Práticas horizontais e colaborativas com comunidades indígenas Kaingang

a arte como terreno para efetivar fazeres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.45499

Palavras-chave:

Arte e vida, Arte Colaborativa, Comunidade Indígena, Cultura Kaingang

Resumo

As práticas artísticas apresentadas neste texto são ações desenvolvidas em coletivo, na relação entre artistas, não artistas, comunidades e indivíduos indígenas e são efetivadas tanto em espaços públicos quanto privados, em territórios locais e em rede global. Ao descrever as ações propostas pelo Projeto DNA Afetivo Kame e Kanhru, buscamos legitimar a arte enquanto um campo de efetivação e transformação ao gerar significado, subversão e reflexão. Desse modo trazemos o conceito de arte e vida de Allan Kaprow, em diálogo com outros teóricos do campo artístico, para discorrer em torno da colaboração na arte, visto que as práticas artísticas colaborativas, a partir dos anos 1980/1990, foram ganhando formato de categoria artística e criando especificidades ao trabalhar diretamente com comunidades e suas urgências.

Referências

ASCOTT, Roy. Telematic Embrance: Visionary Theories of Art, Technology, and Consciousness. London: University of Califórnia Press, 2003.

BANIWA, Denilson. O ser humano como veneno do mundo. Entrevista. Disponível em: https://www.ihuonline.unisinos.br/artigo/7397-o-ser-humano-como-veneno-do-mundo, 2018. Acesso em: 1 fev. 2021.

CUSICANQUE, Silvia Rivera. Sociología de la imagen: ensayos. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Tinta Limón, 2015.

FERVENZA, Hélio. Considerações da arte que não se parece com arte. Porto Arte: Revista de Artes Visuais, v. 13, n. 23, 2012. DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.27922.

HART, Michael; NEGRI, Antonio. Multitude: War and Democracy in the Age of Empire. New York: Penguin Press, 2009.

KAPROW, A. A Educação do Não-Artista, Parte 1 (1971). Trad. Carlos Klimick. Concinnitas. Rio de Janeiro, v 1, n. 4. p. 1-13, 2003. Disponível em: https://blogdearte.art/wp-content/uploads/2021/06/kaprow-allan-a-educaccca7ao-do-nao-artista.pdf. Acesso em: 30 jun. 2023.

KESTER, Grant H. The One and the Many: Contemporary Collaborative Art in a Global Context. Durham, NC: Duke University Press, 2011.

KESTER, Grant H. Colaboração, arte e subculturas. In: ASSOCIAÇÃO CULTURAL VIDEOBRASIL. Caderno VideoBrasil 02: Arte Mobilidade Sustentabilidade,11–35. São Paulo: Associação Cultural VideoBrasil, 2006. p. 11-35. Disponível em: https://embuscadointerior.files.wordpress.com/2011/05/caderno-brasil-arte-mobilidade-sustentabilidade.pdf. Acesso em: 30 jun. 2023.

KERCHOVE, Derrick. Inteligencias em conexion: hacia uma sociedade de la web. Barcelona: Gedisa, 1999.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das letras, 2019.

LACY, Suzanne. Mapping the Terrain: New Genre Public Art. Seattle: Bay Press, 1995.

MALLMANN, Kalinka Lorenci; OLIVEIRA, Andreia Machado; PEREIRA, Marcelo Eugenio Soares. Prática artística em comunidade indígena Kaingang: por uma metodologia colaborativa. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, v. 9, n. 18, nov. 2019. Disponível em: https://eba.ufmg.br/revistapos.

MALLMANN, Kalinka. DNA Afetivo Kamê e Kanhru – Prática artística colaborativa em comunidade Kaingang. 2018. 108 p. Dissertação – Mestrado em Arte Contemporânea. Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

MALLMANN, Kalinka Lorenci; MACHADO, Andreia Oliveira; SALES, Joceli Sirai Sales. Arte e tecnodiversidade na ativação da cultura indígena kaingáng. Cuadernos de Música, Artes Visuales y Artes Escénicas, v. 16, n. 2, p. 174-195, 2021. DOI: http://doi.org/10.11144/javeriana.mavae16-2.atac. Acesso em: 30 jun. 2023.

REC.TYTY. Disponível em: https://rectyty.com.br/. Acesso em: 8 ago. 2022.

SELVAGEM CICLO. Disponível em: http://selvagemciclo.com.br/. Acesso em: 8 ago. 2022.

Downloads

Publicado

2023-08-01

Como Citar

MALLMANN, K. L.; OLIVEIRA, A. M. de. Práticas horizontais e colaborativas com comunidades indígenas Kaingang: a arte como terreno para efetivar fazeres. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 28, p. 75–90, 2023. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.45499. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/45499. Acesso em: 15 abr. 2024.