O ESTUDO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM NO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2022.39020

Palavras-chave:

Curso Técnico de Enfermagem, Processo de Enfermagem, Técnico de Enfermagem

Resumo

Este artigo busca discutir sobre aspectos relacionados à ausência e à introdução do estudo do Processo de Enfermagem (PE) no curso Técnico de Enfermagem. Para tanto, foram aplicadas entrevistas semiestruturadas aos docentes enfermeiros do curso Técnico de Enfermagem do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Campus Januária e os dados obtidos foram organizados e categorizados segundo a análise de conteúdo, dando origem a três categorias de análises, e discutidos à luz do referencial teórico levantado. O PE é a base científica do cuidado e, embora, deva ser utilizado por todas as categorias de enfermagem, ainda hoje, seu estudo se mantém praticamente restrito às graduações. Os resultados alcançados apontam que a falta do ensino do PE no curso técnico pode ser considerada uma falha no processo formativo e que o PE deve ser abordado de forma teórica e prática, ao longo do curso, em diversas disciplinas e durante os estágios, onde ocorra o cuidado de enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valessa Gizele Ramos Oliveira, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG)

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação Profi ssional e Tecnológica (ProfEPT), pelo
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Montes Claros/MG

Rosiney Rocha Almeida, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais

Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Cruzeiro do Sul/SP, Mestrado
Profi ssionalizante em Ensino de Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Graduação em Ciências Bio lógicas pela Universidade Estadual de Montes Claros/MG. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Profi ssional e Tecnológica (ProfEPT) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - Campus Montes Claros

Referências

AMANTE, Lúcia Nazareth; ROSSETTO, Annelise Paula; SCHNEIDER, Dulcinéia Ghizoni. Sistematização da assistência de enfermagem em unidade de terapia intensiva sustentada pela teoria de Wanda Horta. Revista da Escola de Enfermagem da USP, Santa Catarina, v. 43, n. 1, p. 54-64, mar. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342009000100007. Acesso em: 10 maio 2021.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2016.

BARROS, Alba Lúcia Bottura Leite [et al.]. Processo de enfermagem: guia para a prática. Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo. 1. ed. São Paulo: COREN-SP, 2015. 113 p. Disponível em: https://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/SAE-web.pdf. Acesso em: 11 jun. 2021.

BONINI, Bárbara Barrionuevo et al. Enfermeiras americanas do Serviço Especial de Saúde Pública e a formação de recursos humanos na Enfermagem Brasileira. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 49, n. 2, p. 136-143, dez. 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-623420150000800019. Acesso em: 13 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Brasília, DF, 25 jun. 1986. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7498.htm. Acesso em: 18 jun. 2021.

CARVALHO, Emilia Campos de et al. A contribuição dos membros da equipe de enfermagem para o Processo de Enfermagem na visão dos enfermeiros. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 71-78, maio 2008. Disponível em: http://reme.org.br/artigo/detalhes/240. Acesso em: 10 jun. 2021.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM - COFEN. Resolução COFEN n. 358, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências. Brasília, DF: COFEN, 2009. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-COFEN-3582009_4384.html. Acesso em: 13 maio 2021.

CRUZ, Andréa de Mello Pereira; ALMEIDA, Miriam de Abreu. Competências na formação de Técnicos de Enfermagem para implementar a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 44, n. 4, p. 921-927, dez. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342010000400009. Acesso em: 12 junho 2021.

GELBCKE, Francine Lima. Interfaces dos aspectos estruturais, organizacionais e relacionais do trabalho de enfermagem e o desgaste do trabalhador. 2002. 270 f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/84216. Acesso em: 20 jun. 2021.

GEOVANINI, Telma et al. História da Enfermagem: versões e interpretações. 4. ed. Rio de Janeiro: Thieme Revinter. 2018.

GUIMARÃES, Juliana Oliveira et al. Panorama do Processo de Enfermagem no Brasil. Revista Enfermagem Atual In Derme, [S. l.], v. 94, n. 32, p. 1-11, dez. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.31011/reaid-2020-v.94-n.32-art.926. Acesso em: 12 de jul. de 2021.

HERMIDA, Patrícia Madalena Vieira. Desvelando a implementação da sistematização da assistência de enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 57, n. 6, p. 733-737, nov./dez. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-71672004000600021. Acesso em: 11 jun. 2021.

IFNMG - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais – Campus Januária. Plano de curso: Curso de educação profissional técnica de nível médio em enfermagem. Januária: IFNMG, 2014.

LODI-CORRÊA, Samantha. Nadezhda Krupskaia: por uma educação revolucionária. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 10, n. 3, p. 236-244, dez. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.27387. Acesso em: 14 jun. 2021.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Textos sobre educação e ensino. Campinas, SP: Navegando Publicações, 2011.

PACHECO, Eliezer. Desvendando os institutos federais: identidade e objetivos. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 4-22, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.36524/profept.v4i1.575. Acesso em: 21 jun. 2021.

SALVADOR, Pétala Tuani Candido de Oliveira. Compreensão do típico ideal de técnicos de enfermagem acerca da sistematização da assistência de enfermagem. 2013. 123 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFRN_5c08b59db34048dd97ffaf76f4bdb94e. Acesso em: 27 jun. 2021.

SALVADOR, Pétala Tuani Candido de Oliveira; SANTOS, Viviane Euzébia Pereira. Participação do técnico de enfermagem na sistematização da assistência de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, p. 818-823, dez. 2013. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/12301. Acesso em: 27 jun. 2021.

SALVADOR, Pétala Tuani Candido de Oliveira et al. Ensino da sistematização da assistência de enfermagem aos técnicos de enfermagem. Escola Anna Nery, [S. l.], v. 19, n. 4, p. 557-562, out./dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/7swh6wDYxNqbsVrprBF7CcN/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 27 jun. 2021.

SALVADOR, Pétala Tuani Candido de Oliveira et al. Ensinar sistematização da assistência de enfermagem em nível técnico: percepção de docentes. Acta Paulista de Enfermagem, [S. l.], v. 29, n. 5, p. 525-533, nov./dez. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0194201600073. Acesso em: 27 jun. 2021.

SAVIANI, Dermeval. O choque teórico da politecnia. Trabalho, educação e saúde, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 131-152, 2003. Disponível em: http://www.revista.epsjv.fiocruz.br/upload/revistas/r41.pdf. Acesso em: 28 jul. 2021.

SAVIANI, Dermeval. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In: Novas tecnologias, trabalho e educação. 1. ed. Petrópolis /RJ : Vozes, 1994.

SOUZA, Maria de Lourdes de et al. O cuidado em enfermagem: uma aproximação teórica. Texto & Contexto-Enfermagem, Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 266-270, abr./jun. 2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072005000200015. Acesso em: 13 jun. 2021.

TANNURE, Meire Chucre; PINHEIRO, Ana Maria. SAE: Sistematização da assistência de enfermagem: guia prático. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

TANURE, Meire Chucre; PINHEIRO, Ana Maria. SAE: Sistematização da assistência de enfermagem: Guia Prático. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019.

TRUPPEL, Thiago Christel et al. Sistematização da assistência de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, DF, v. 62, n. 2, p. 221-227, mar./abr. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-71672009000200008. Acesso em: 25 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2023-01-24

Como Citar

OLIVEIRA, V. G. R.; ALMEIDA, R. R. O ESTUDO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM NO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 31, n. 3, p. 182–192, 2023. DOI: 10.35699/2238-037X.2022.39020. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/39020. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.