APRENDER A HABITAR A ARQUITETURA ESCOLAR DA NOVA ORDEM URBANA (DISTRITO FEDERAL, MÉXICO, 1932)

Autores

  • Dr. Carlos Ortega Dirección de Difusión de Ciencia y Tecnología, Instituto Politécnico Nacional

Palavras-chave:

Arquitetura escolar, Aprendendo, Modernidade, Ordem urbana, Juan O'Gorman

Resumo

Em 1932, a equipe de técnicos liderada pelo arquiteto funcionalista Juan O´Gorman desenvolveu um projeto de arquitetura escolar para os bairros populares do Distrito Federal (México). Uma dessas escolas, a Escola Primária Emiliano Zapata (atualmente reconhecida como monumento artístico nacional), foi construída em um bairro fundado no norte da Cidade do México como parte de uma estratégia de expansão urbana promovida por empresários e pelo governo mexicano. Seus construtores pensaram que o prédio da escola era o meio de transformar as classes populares da sociedade mexicana e promover uma ordem urbana moderna. A arquitetura funcionalista da escola gerasse discussões acaloradas entre engenheiros e arquitetos sobre o impacto desse tipo de construção na paisagem urbana e no gosto de seus habitantes. No entanto, seus promotores garantiram que, eventualmente, as classes populares aprenderiam a habitar os novos edifícios da escola e superariam o analfabetismo e a insalubridade que afetavam seus corpos e mentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dr. Carlos Ortega, Dirección de Difusión de Ciencia y Tecnología, Instituto Politécnico Nacional

Doutor em História pela Universidade Nacional Autônoma do México. Em 2017-2019, ele completou uma estadia de pós-doutorado no Departamento de Pesquisa Educacional de Cinvestav. Em 2016, el recebeu o Prêmio Nacional de Jornalismo. Seus tópicos de pesquisa são: história da tecnologia, cultura material e arquitetura escolar. Entre suas publicações sobre arquitetura escolar, podemos encontrar: "O que resta das escolas de Juan O'Gorman? Reflexões da história em um projeto de arquitetura escolar de 1932 ”, em Anuario Argentino de Historia de la Educación (2019); "Uma arquitetura escolar nacional e popular durante a revolução constitucionalista de 1914-1917", na Revista História da Educação (2019); “História política da tecnologia: uma proposta metodológica para a história da arquitetura escolar (Cidade do México, 1880-1920), na Revista Mexicana de Historia de la Educación (2015); "Primeiros regulamentos técnicos em arquitetura escolar mexicana (1880-1920)", em Quipu, Revista Latino-Americana de Historia de la Ciencia y la Tecnología (2013); e "Ciência e revolução na arquitetura escolar na Cidade do México (1910-1920)", em Ciencia y Desarrollo (2012).

Publicado

2021-04-26

Edição

Seção

ESPACIOS Y ARQUITECTURAS ESCOLARES