Mobilidade pendular e autossuficiência econômica na Periferia Metropolitana de Belo Horizonte/MG

Autores

  • Carlos Lobo Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Leandro Cardoso Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Ralfo Matos Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Eduardo Guimarães Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X.2018.19367

Palavras-chave:

Mobilidade Pendular; Autossuficiência Municipal; RMBH.

Resumo

Apesar da queda no ritmo de crescimento demográfico observado nas últimas décadas do século passado, as periferias metropolitanas no Brasil continuam atraindo expressivos fluxos populacionais. O propósito desse artigo é avaliar o suposto ganho de autossuficiência econômica dos municípios da Periferia Metropolitana de Belo Horizonte, tendo como base os deslocamentos pendulares. Com base nos microdados amostrais dos Censos Demográficos de 1980, 2000 e 2010 foi possível identificar um sensível crescimento no volume de trabalhadores e estudantes que realizam suas atividades na própria periferia metropolitana, ainda que Belo Horizonte tivesse mantido sua centralidade regional. Mesmo que boa parte dessa mão de obra esteja vinculada a setores com menor nível de qualificação ocupacional, parece que o mercado de trabalho local tem ampliado o seu poder de atração e retenção, permitindo que parte da população esteja ocupada no próprio município de residência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUILERA, A. Growth in commuting distances in French Polycentric Metropolitan Areas: Paris, Lyon and Marseille. Urban Studies, v. 42, n. 9, 2005, p.1537–1547.

ARANHA, V. Mobilidade pendular na metrópole paulista. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v.19, n.4, 2005, p.96-109.

AZZONI, C. Indústria e Reversão da Polarização no Brasil. Ensaios Econômicos, IPE/USP, São Paulo, n.58, 1986.

BAENINGER, R. O processo de urbanização no Brasil: características e tendências. In: BÓGUS, L.M.M.; WANDERLEY, L.E.W.(orgs.). A luta pela cidade em São Paulo. Cortez Editora. São Paulo, 1992, p. 11-28.

BRITO, F. Mobilidade espacial e expansão urbana: o caso da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Anais do X Encontro de Estudos Populacionais. Brasília, 1992, v.2, p.771-788.

CARVALHO, J. A. M., RIGOTTI, J. I. Análise das metodologias de mensuração das migrações. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE MIGRAÇÃO, 1998, Curitiba. Anais...Curitiba: IPARDES/ABEP, 1998.

CASTELLO BRANCO, M. L. G.; FIRKOWSKI, O. L. F. C.; MOURA, R. Movimento pendular: abordagem teórica e reflexões sobre o uso do indicador. In: XI ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 2005, Salvador. Anais... Salvador, 2005.

CHAMPION, A. G. Population Change and Migration in Britain since 1981: Evidence for Continuing deconcentration,Environment and Planning A, October, n. 26: p.1501-1520, 1994.

CUNHA, J. M. P. Redistribuição espacial da população: tendências e trajetória. São Paulo em Perspectiva, 17(3-4), 2003, p. 218-233.

CRUZ, M. F. Condicionantes Metropolitanos para Políticas Públicas: Análise dos Transportes Coletivos na Região Metropolitana de São Paulo (1999-2009). Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo), Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2010.

DINIZ, C.C. “Desenvolvimento poligonal no Brasil; nem desconcentração, nem contínua polarização”. Nova Economia, Belo Horizonte, vol. 31, n. 11, 1993, p. 35-64.

DURANTON, G. Delineating metropolitan areas: Measuring spatial labour market networks through commuting patterns. Processed, Pennsylvania, 2013.

FREY, W. H.; SPEARE, Jr, A. Metropolitan Areas as Functional Communities: A Proposal for a New Definition. Research Report, Population Studies Center, University of Michigan USA, 1992.

GREENWOOD, M. Migrações internas nos Estados Unidos; uma revisão da literatura. In: MOURA, A. M. (Coord). Migração interna; textos selecionados. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 1980, p. 733-77. 1980.

JARDIM, A de P. Reflexões sobre a mobilidade pendular. In: OLIVEIRA, L. A. P. de; OLIVEIRA, A. T. R. de. Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.

JULIEN, P. Mesurer un univers urbaine en expansion. Economie et Statistique. Paris, INSEE, n. 336, 2000.

LIPSHITZ, G. Spatial Concentration and Deconcentration of Population: Israel as a Case Study. Geoforum. v. 27. N. 1, p. 87-96, 1996.

LOBO, C. Dispersão espacial da população no Brasil. Mercator, v. 15, n. 3, 2016a.

LOBO, C. Mobilidade pendular e a dispersão espacial da população: evidências com base nos fluxos com destino às principais metrópoles brasileiras. Caderno de Geografia, v.26, n.45, 20.

LOBO, C.; MATOS, R., CARDOSO, L., COMINI, L.; PINTO, G. Expanded commuting in the metropolitan region of Belo Horizonte: evidence for reverse commuting. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 32, n. 2, p. 219-233, 2015.

LOBO, C.; CARDOSO, L.; MATOS, R. Mobilidade pendular e centralidade espacial: considerações sobre o caso da Região Metropolitana de Belo Horizonte. In: XXIII ANPET -Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes. Vitória/ES, 2009.

MARES GUIA, V. R. A gestão na Região Metropolitana de Belo Horizonte: avanços e limites. In: FERNANDES, E. (org.). Direito urbanístico e política urbana no Brasil. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

MARTINE, G. A redistribuição espacial da população brasileira durante a década de 80. Textos para Discussão 329, Brasília, IPEA, 1994. 43p.

MARTINE, G. Migração e metropolização. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, Fundação SEADE 1(2)7, 1987.

MATOS, R. “Questões teóricas acerca dos processos de concentração e desconcentração da população no espaço”. Revista Brasileira de Estudos Populacionais. São Paulo, 1995, p. 35-58.

MATOS, R. e BENINGER, R. Migração e urbanização no Brasil: processos de concentração e desconcentração espacial e o debate recente. Cadernos do Leste. IGC/UFGM, v.1, n.1, Belo Horizonte, 2004, p.7-44.

MORRILL, R.; CROMARTIE, J. e HART, G. Metropolitan, urban, and rural commuting areas: toward a better depiction of the United States settlement system. Urban Geography, 1999, 20, 8, p. 727-748.

MOURA, R.; BRANCO, M. L. G. C. e IRKOWSKI, O. L. C. de F. Movimento pendular e perspectivas de pesquisas em aglomerados urbanos. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 4,2005,p. 121-133.

OJIMA, R. Fronteiras metropolitanas: um olhar a partir dos movimentos pendulares. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n.121, 2011, p.115-132.

OJIMA, R.; MARANDOLA JR, E.; PEREIRA, R. H. M.; DA SILVA, R. B. O estigma de morar longe da cidade: repensando o consenso sobre as “cidades-dormitório” no Brasil. Cadernos metrópole, v. 12, n. 24, 2010, p. 395-415.

PATARRA, N. Dinâmica populacional e urbanização no Brasil: período pós-30. In: PEREIRA, R. H. M.; HERRERO, V. Mobilidade pendular: uma proposta teóricometodológica. Rio de Janeiro: Ipea (Texto para Discussão, n. 1.395), 2009. Disponível

em:<http://goo.gl/Kz6f2Z>. Acesso em: 20 abr. 2014.

REDWOOD III, J. Reversion de polarizacion, ciudades secundarias y eficiência em el desarrollo nacional: una vison teorica aplicada al Brasil contemoraneo. Revista Latinoamericana de Estudios Urbanos Regionales, Santiago, vol 11, n.32, dez. 1984.

RICHARDSON, H. “Polarization reversal in developing countries”. The Regional Science Association Papers, Los Angeles, vol. 45, nov. 1980.

RIGOTTI, J. I. R. Técnicas de mensuração das migrações a partir de dados censitários: aplicação aos casos de Minas Gerais e São Paulo. Belo Horizonte: UFMG/CEDEPLAR (tese de doutorado em demografia), 1999.

RIGOTTI, J. I. R. e RODRIGUES, J. N. Distribuição espacial da população na região Metropolitana de Belo Horizonte. Anais do IX Encontro de Estudos Populacionais.Caxambú,1994, v.1, p.435-456

TASCHNER, S. P. e BÓGUS, L.M.M. Mobilidade Espacial da População Brasileira:Aspectos e Tendências. Revista Brasileira de Estudos de População, jul-dez, 1986.

TOWNROE, P. e KEEN, D. M. “Polarization reversal in the state of São Paulo, Brazil”.Journal of the Regional Studies Association, Cambridge, vol. 18, n. 1, fev. 1984

Downloads

Publicado

2020-02-26 — Atualizado em 2022-04-15

Versões

Como Citar

Lobo, C. ., Cardoso, L. ., Matos, R., & Guimarães, E. . (2022). Mobilidade pendular e autossuficiência econômica na Periferia Metropolitana de Belo Horizonte/MG . Revista Geografias, 14(2), 80–102. https://doi.org/10.35699/2237-549X.2018.19367 (Original work published 26º de fevereiro de 2020)

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>