A Teoria dos Campos Conceituais e o Ensino de Ciências: Uma Revisão

Palavras-chave: ensino de ciências, teoria dos campos conceituais, revisão bibliográfica

Resumo

No presente manuscrito buscou-se conhecer as principais linhas de investigação do uso da Teoria dos Campos Conceituais (TCC) no ensino de ciências naturais (Química, Física e Biologia) exploradas em pesquisas de periódicos nacionais e internacionais e nas atas do Encontro Nacional de Pesquisas em Educação em Ciências (ENPEC). Para tanto, foi realizada uma revisão em periódicos da área de ensino de ciências no intervalo de 2008 a 2018 e nas atas de 2007 a 2017 do ENPEC. A partir da busca realizada foram localizados 66 trabalhos, entre estudos teóricos e empíricos, abordando a temática. A análise indicou as potencialidades da TCC na construção de conceitos pelos sujeitos em diferentes níveis de ensino e na evolução em campos conceituais, bem como no auxílio a professores na elaboração de procedimentos metodológicos que favorecem o ensino de conceitos científicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alegro, R. C. (2008). Conhecimento prévio e aprendizagem significativa de conceitos históricos no ensino médio. (Tese de doutorado). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, São Paulo.

Andrés, M. M., Pesa, M. A., & Villagrá, J. A. M. (2008). Efectividad de un laboratorio guiado por el modelo de aprendizaje matlaf para el desarrollo conceptual asociado a tareas experimentales. Enseñanza de las ciencias, 26(3), 343–358.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Edições 70.

Cedran, D. P., & Kiouranis, N. M. M. (2019). Teoria dos campos conceituais: visitando seus principais fundamentos e perspectivas para o ensino de ciências. ACTIO, 4(1), 63–86. https://doi.org/10.3895/actio.v4n1.7709

Fioreze, L. A., Barone, D., Basso, M., & Isaia, S. (2013). Análise da construção dos conceitos de proporcionalidade com a utilização do software geoplano virtual. Ciência & Educação, 19(2), 267–278. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132013000200003

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e terra.

Greca, I. M., & Moreira, M. A. (2003). Do saber fazer ao saber dizer: Uma análise do papel da resolução de problemas na aprendizagem conceitual de Física. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 5(1), 1–16. http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172003050106

Grings, E. T. O., Caballero, M. C., & Moreira, M. A. (2006). Possíveis indicadores de invariantes operatórios apresentados por estudantes em conceitos da termodinâmica. Revista Brasileira de Ensino de Física, 28(4), 463–471. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-11172006000400009

Grings, E. T. O., Caballero, M. C., & Moreira, M. A. (2008). Avanços e retrocessos dos alunos no campo conceitual da Termodinâmica. Revista electrónica de enseñanza de las ciencias, 7(1), 23–46.

Hilger, T., & Oliveira, A. (2012). O problema dos falsos teoremas-em-ação sobre a força de atrito na disciplina de física geral para graduação. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 5(1), 54–70. http://dx.doi.org/10.3895/S1982-873X2012000100004

Linde, K., & Willich, S. N. (2003). How objective are systematic reviews? Differences between reviews on complementary medicine. Journal of the royal society of medicine, 96(1), 17–22. https://doi.org/10.1258/jrsm.96.1.17

Moreira, M. A. (2002). A teoria dos campos conceituais de Vergnaud, o ensino de ciências e a pesquisa nesta área. Investigações em ensino de ciências, 7(1), 7–29.

Moreira, M. A. (2009). Subsídios teóricos para o professor pesquisador em ensino de ciências: A Teoria da Aprendizagem Significativa. http://moreira.if.ufrgs.br/Subsidios5.pdf.

Moreira, M. A., Caballero, C., & Vergnaud, G. (2010). La Teoría de los Campos Conceptuales y la Enseñanza Aprendizaje de las Ciencias. UBU, 13(1).

Rocha, K. C., & Basso, M. V. A. (2017). Programação em Scratch na Sala de Aula: investigações sobre a construção do conceito de ângulo. RENOTE, 15(1), 725–734. http://dx.doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.725

Scheffler, G. L., & Del Pino, J. C. (2013). A teoria dos campos conceituais de Vergnaud e o ensino da radioatividade. Experiências em Ensino de Ciências, 8(1), 29–46.

Souza, C. M. S. G., & Fávero, M. H. (2002). Análise de uma situação de resolução de problemas de física, em situação de interlocução entre um especialista e um novato, à luz da teoria dos campos conceituais de Vergnaud. Investigações em Ensino de Ciências, 7(1), 55–75.

Vasconcelos, C., Praia, J. F., & Almeida, L. S. (2003). Teorias de aprendizagem e o ensino/aprendizagem das ciências: Da instrução à aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, 7(1), 1–19. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-85572003000100002

Vergnaud, G., Rogalski, J., & Artique, M. (1989). Paris, France. https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED411141.pdf

Vergnaud, G. (1996). Algunas ideas fundamentales de Piaget en torno a la didáctica. Perspectivas, 26(10), 195–207.

Vergnaud, G. (2009). The theory of conceptual fields. Human development, 52(2), 83–94. https://doi.org/10.1159/000202727

Vergnaud, G. (2013). Pourquoi la théorie des champs conceptuels? Infancia y Aprendizaje, 36(2),131–161. https://doi.org/10.1174/021037013806196283

Vergnaud G. (2017a). O que é aprender? Iceberg da conceitualização. Geempa.

Vergnaud, G. (2017b). Piaget e Vygotsky em Gérard Vergnaud Teoria dos Campos Conceituais. GEEMPA.

Viecheneski, J. P., Lorenzetti, L., & Carletto, M. R. (2012). Desafios e práticas para o ensino de ciências e alfabetização científica nos anos iniciais do ensino fundamental. Atos de pesquisa em educação, 7(3), 853–876. http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2012v7n3p853-876

Publicado
2020-07-06
Como Citar
Cunha, K. M. A., & Ferreira, L. N. de A. (2020). A Teoria dos Campos Conceituais e o Ensino de Ciências: Uma Revisão. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 20(u), 523-552. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u523552
Seção
Artigos