O ser e o vestir

Oscar Wilde e a masculinidade eternizada na arte moderna

Autores

  • Angelica Oliveira Adverse Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Palavras-chave:

Dandismo, Masculinidade, Virilidade, Veste, Artifício

Resumo

Para Oscar Wilde o Dandismo era tanto um assunto literário como artístico. Por isso, deveria ser compreendido como uma linguagem com a qual o artista revela os aspectos mais inenarráveis do gênio artístico. O Dandismo é fundamental para a construção identitária do artista moderno, porque transfigura as fronteiras entre a arte e a vida. Este artigo pretende refletir sobre algumas questões acerca do Dandismo no trabalho de Oscar Wilde, a partir das transformações da masculinidade apresentadas pelas pinturas modernas.

Biografia do Autor

Angelica Oliveira Adverse, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Doutoranda em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais com estágio de pesquisa (doutorado sanduíche) pela Universidade Paris I - Sorbonne. Mestre em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (2011). Especialista em Filosofia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Atuou como docente por 20 anos lecionando na Universidade do Estado de Minas Gerais, Universidade FUMEC e Universidade Federal de Minas Gerais. Ganhou prêmios nas áreas de arte e moda. Desenvolve pesquisas transdisciplinares a partir de questões filósoficas sobre a arte, o design e a moda.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. Oeuvres Complètes. Paris: Robert Laffont, 1980.

CAILLET, Aline. Quelle Critique Artiste? Pour une Fonction Critique de l’Art à l’âge Contemporain. Paris: L’Harmattan, 2008.

FOUCAULT, Michel. “Qu’est-ce que les Lumières?” In:______. Dits et Écrits. Vol IV. Paris, Gallimard, 1994.

GUINDON, André. L’Habillé et le Nu: Pour une Éthique du Vêtir et du Dénuder. Otawa: Presse de L’Université d’Ottawa, 1997.

HOQUET, Thierry. La Virilité: A quoi Rêvent les Hommes? Paris: Larousse, 2009.

MAURIÈS, Patrick. Second Manifest Camp. Lassayles-Châteaux: Singulier, 2012.

MONTANDON, Alain. Écrire et Vieillir. Clermont Ferrant: Presses Universitaires Blaise Pascal, 2005.

MOSSE, George. The Image of Man: The Creation of Modern Masculinity. New York: Oxford University ,Press,1996.

PERNIOLA, Mario. Pensando o Ritual: Sexualidade, Morte, Mundo. São Paulo: Studio Nobel, 2000.

SCHIFFER, Daniel Salvatore. Le Dandysme: La Création de Soi. Paris: François Bourin, 2008.

SCHIFFER, Daniel Salvatore. Oscar Wilde. Biografia. Porto Alegre, L&PM, 2010.

SENNETT, Richard. Carne e Pedra. Rio de Janeiro: Record, 1999.

VIGARELLO, Georges et allii. História do Corpo. Vol. I. Petrópolis: Vozes, 2008.

VIGARELLO, Georges et allii. História do Corpo. Vol. II. Petrópolis: Vozes, 2008.

WILDE, Oscar. La Mode et le Woman’s World. In: WILDE, Oscar; MALLARMÉ, Stéphane. Noblesse de la Robe. Paris: Les Belles Letres, 1997.

WILDE, Oscar. O Retrato de Dorian Gray. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

WILDE, Oscar. Frases e Filosofias para uso dos Jovens. In: ______. Obras Completas. Volume Único. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2007.

Downloads

Publicado

2016-05-30

Como Citar

ADVERSE, A. O. O ser e o vestir: Oscar Wilde e a masculinidade eternizada na arte moderna. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 92–109, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15778. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática