Aprendizagem situada

Autores

  • Elizabeth Guzzo de Almeida Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.7.1.177-184

Palavras-chave:

Aprendizagem situada. Teoria. Cognição.

Resumo

Um dos objetivos do STIS (Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec <http://stis.lingtec.org/>) é discorrer em uma conferência sobre um tópico teórico de uma das áreas de atuação e pesquisa do Grupo Texto Livre: Semiótica e Tecnologia, visando um público interdisciplinar como o próprio grupo. A partir dessa proposta, hoje focalizaremos a concepção de aprendizagem tendo como princípios a teorização de Jean Lave e Etienne Wenger sobre “aprendizagem situada”. Dividiremos a apresentação em três partes: (1) a contextualização da teoria; (2) a apresentação da teoria e (3) aprendizagem situada e pesquisas recentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Guzzo de Almeida, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Linguística Aplicada na linha de pesquisa Linguagem e Tecnologia na Faculdade de Letras da UFMG (2013). Possui graduação em Letras (Licenciatura em Língua Espanhola) pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000), graduação em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa) pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998), especialização em Língua Espanhola pela PUC / Minas (2001) e mestrado em Letras pela UFMG (2003). Atualmente, é professora de Análise da Prática e Estágio de Espanhol na Faculdade de Educação da UFMG. Participou como professora do curso de Licenciatura em Educação do Campo (FAE/UFMG). Participou como professora colaboradora do projeto de extensão Educonle (Educação Continuada para Professores de Línguas Estrangeiras / Espanhol - FALE/UFMG) e do Curso Especial de Graduação para Educadores Indígenas (FAE/UFMG). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Formação de professores de espanhol, atuando principalmente nos seguintes temas desenvolvimento de materiais didáticos, informática e ensino de línguas, formação inicial e continuada, prática de ensino de espanhol e ensino de língua espanhola.

Referências

BERGO, R. S. Quando o santo chama: o terreiro de umbanda como contexto de aprendizagem na prática. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2011.

BRAGA, J. C. F. Comunidades autônomas de aprendizagem on-line na perspectiva da complexidade. 2007. Tese (Doutorado) – Faculdade de Letras, UFMG, Belo Horizonte, 2007.

CASTANHEIRA, M. L.; GREEN, J.; DIXON, C. N. Práticas de letramento em sala de aula: uma análise de ações letradas como construção social. Revista Portuguesa de Educação, 20(2), p. 7-38, 2007.

DANIELS, H. Vygotsky e a pedagogia. São Paulo: Loyola, 2003.

DEVELOTTE, C. MANGENOT, F. ZOUROU, K. Situated creation of multimedia activities for distance learners: motivational and cultural issues. ReCALL, 17 (2) p. 229-244, 2005.

EGBERT, J. Learning in context: Situating language teacher learning in CALL. In: P. Hubbard & M. Levy (Eds.). In: Teacher education in CALL. Amsterdam: John Benjamins. 2006. p. 167-182.

FARIA, E. L. A aprendizagem na e da prática social: um estudo etnográfico sobre as práticas de aprendizagem do futebol em um bairro de Belo Horizonte. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2008.

FONTANA, B. Tarefas colaborativas como prática social situada: uma abordagem sociointeracionista para o ensino-aprendizagem de línguas em sala de aula. VI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação do UniRitter, Porto Alegre, 2010. Disponível em http://www.uniritter.edu.br/eventos/sepesq/vi_sepesq/arquivosPDF/27978/2366/com_identificacao/Tarefas%20colaborativas%20como%20pr_tica%20social%20situada.pdf. Acesso em: 30 jul. 2014. FRADE, Cristina. Componentes Tácitos e Explícitos do Conhecimento Matemático de Áreas e Medidas. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2003.

GÓES, M. B. A educação no projeto e o projeto na educação: um estudo sobre o ensino e a aprendizagem de projeto na arquitetura. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010.

HERRINGTON, J.; OLIVER, R. An instructional design framework for authentic learning environments. Educational Technology Research and Development, 48 (3), p. 23-48, 2000.

HERRINGTON, J.; OLIVER, R.; SPARROW, H. Towards a New Tradition of Online Instruction: Using Situated Learning Theory to Design Web-Based Units. Artigo apresentado em conferência no ASCILITE, Coffs Harbour, Queensland, 2000. Disponível em http://www.adelaide.edu.au/clpd/online/current/sitlearn/. Acesso em: 26 set. 2010.

KANES, K.; LERMAN, S. Analysing concepts of community of practice. IN: WINBOURNE, P.; WATSON, A. New Directions for Situated Cognition in Mathematics Education. Cambridge: London, 2008. p. 303-328.

KIM, H.; HANNAFIN, M. J. Situated case-based knowledge: an emerging framework for prospective teacher learning. Teaching and Teacher Educaction, 24. p. 1837-1845, 2008.

KIM, H. Exploring freshmen preservice teachers' situated knowledge in reflective reports during case-based activities. Internet and Higher Education doi:10.1016/j.iheduc.2010.03.005, 2010 (no prelo).

KRUMVSK, R. J. Situated learning and teachers' digital competence. Education and Information Technologies. Vol. 13 , Issue 4, p. 279 – 290, 2008. LAVE, J. Cognición en la práctica. Barcelona: Paidós, 1991.

LAVE, J. The practice of learning. In: LAVE, J; CHAIKLYN, S. (org.) Understanding of practice: Perspectives on Activity and Context. Cambridge: University of Cambridge Press, 1993. p. 3-32.

LAVE, Jean. Teaching, as Learning, in Practice. Mind, culture and activity: Vol. 3, nº 3. p.149-164, 1996. LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning: Legitimate peripheral participation. New York: Cambridge University Press, 1991.

MARTINS, A. C. A emergência de eventos complexos em aulas on-line e face a face: uma abordagem ecológica. Tese (Doutorado) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

MIGUEL, A. VILELA, D. S. Práticas escolares de mobilização de cultura matemática. Cadernos Cedes, Campinas, vol. 28, n. 74, p. 97-120, jan./abr. 2008. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v28n74/v28n74a07.pdf. Acesso em: 10 set. 2012. MILLS, N. Situated learning through social networking communities: the development of joint enterprise, mutual engagement, and a shared repertoire. CALICO Journal, 28(2), p. 345-368, 2011.

OLIVEIRA, G. G. N. O uso do hipertexto na aprendizagem de cálculo em um ambiente virtual. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010.

PUTNAM, R. T.; BORKO, H. What do new views of knowledge and thinking have to say about research on teacher learning? Educational Reseacher, vol. 29, nº 1, p. 4-15, 2000.

RODRIGUES, A. J. Um estudo das identidades matemáticas de alunos do ensino médio da escola: preparatória de cadetes do ar. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2010.

SALOMON, G. Distributed Cognitions: Psychological and educational considerations. Cambridge: CUP, 1993.

STREET, B. V. Literacy in Theory and Practice. Cambridge, MA: C.U.P., 1984.

TOMAZ, V.S. Práticas de transferência de aprendizagem situada em uma atividade interdisciplinar. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2007.

WENGER, Etienne. Communities of practice: learning, meaning and identity. Cambridge: New York, 1998.

Downloads

Publicado

2014-03-22

Como Citar

ALMEIDA, E. G. de. Aprendizagem situada. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 7, n. 1, p. 177–184, 2014. DOI: 10.17851/1983-3652.7.1.177-184. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16668. Acesso em: 14 ago. 2022.