Letramentos digitais e uma sequência didática para o ensino de espanhol

Autores

  • Elizabeth Guzzo de Almeida UFMG
  • Renata de Souza Lima UFMG

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.7.2.86-104

Palavras-chave:

letramentos digitais, língua espanhola, sequência didática.

Resumo

RESUMO: As Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas. Assim, faz-se necessário não apenas dominá-las tecnicamente, mas principalmente usá-las de maneira consciente e crítica. A escola precisa ser a agência responsável pelo ensino não só das habilidades técnicas para o uso dessas tecnologias, mas, sobretudo, por estimular a capacidade crítica de seu uso. Muitos dos professores de espanhol atuantes na Educação Básica têm dificuldades para elaborar materiais didáticos que envolvam as TIC e, dessa forma, acabam não promovendo práticas de leitura e escrita em ambientes digitais com seus alunos. Buscando mostrar que é possível contribuir para mudanças nesse quadro o objetivo deste artigo, é, pois, apresentar o percurso de elaboração de uma sequência didática criada para fomentar os letramentos digitais de alunos do Ensino Fundamental II nas aulas de espanhol. A metodologia utilizada para desenvolver o material didático apresentado é uma adaptação da Sequência Didática proposta por Dolz, Noverraz, Schneuwly (2004). O resultado foi a elaboração de um material didático mediado pelas tecnologias digitais para o desenvolvimento da produção escrita colaborativa em língua espanhola e a reflexão crítica sobre o uso das TIC nesse processo.

PALAVRAS-CHAVE: letramentos digitais; língua espanhola; sequência didática.

 

ABSTRACT: The information and communication technologies (ICT) have become, in a very short time, a constant element in people’s daily lives. That is why it is necessary not only to master them technically speaking, but mainly use them in a conscious and critical way. School needs to be the agency responsible for teaching technical abilities of ICT and for stimulating their critical use. Most teachers of Spanish as a foreign language who work with basic Education face difficulties to design materials which include ICT and thus fail to contribute to change this scenario. The purpose of this article is to present the routes chosen to design a didactic sequence that stimulate digital literacies of students at basic levels in Spanish Language. The methodology used to develop the material is an adaptation of the model proposed by Dolz, Noverraz and Schneuwly (2004). The result is the design of a didactic material mediated by digital technologies focused on the development of collaborative writing of Spanish language and a critical reflection on the use of these tools throughout the process.

KEYWORDS: Digital literacies; Spanish Language teaching; didactic sequence.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Guzzo de Almeida, UFMG

Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino / Linguística Aplicada

Renata de Souza Lima, UFMG

Linguística Aplicada

Referências

ABIO, G. V. Literacidad digital en los libros de enseñanza de E/LE escogidos por el PNLD: algunas reflexiones. In: BARROS, C. S.; COSTA, E. G. M. (Orgs.) Se hace camino al andar: reflexões em torno do ensino do espanhol na escola. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2012.

ARAÚJO, J.; SANTOS, L. A. A ferramenta digital máquina de quadrinhos em uma experiência didática com letramento visual. In: RIBEIRO, A. E., NOVAIS, A. E. C. (Org.). Letramento digital em 15 cliques. RHJ: Belo Horizonte, 2012. p. 45-57.

BARROSO, M.; COUTINHO, C. Utilização da ferramenta Google Docs no Ensino das Ciências Naturais. Um Estudo com alunos do 8ºano de escolaridade. Revista Iberoamericana de Informática Educativa. Número 9, Enero – Junio 2009, p. 10-21. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8469/1/MartaSIIE_08.pdf. Acesso em: 29 ago. 2014.

BARTON, D.; HAMILTON, M. La literacidad entendida como práctica social. In: ZAVALA, V.; NIÑO-MURCIA, M; AMES, P. Escritura y sociedad: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima: Red para el desarrollo de las ciencias sociales en el Perú, 2004. p. 109-139.

BUZATO, M. E. K. Letramento e inclusão na era digital. (parte do capítulo 5) Entre a fronteira e a periferia: linguagem e letramento na inclusão digital. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas: 2007. p. 141 – 174.

BUZATO, M. K. Novos letramentos e apropriação tecnológica: conciliando heterogeneidade, cidadania e inovação em rede. In: RIBEIRO, A. E. N.; SOBRINHO, J. C..; SILVA, R. B. da (Org.). Linguagem, Tecnologia e Educação. São Paulo: Petrópolis, 2010. p. 53-63.

COSCARELLI, C. V.; SANTOS, E. M. O livro didático como agente de letramento digital. In: VAL, M. da G. C. (Org.). Alfabetização e língua portuguesa. 1ed. Belo Horizonte: Autêntica / Ceale/Fae/UFMG, 2009, v. 1, p. 171-18.

DIAS, R. A produção textual como um processo interativo no contexto do ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras. Matraga 16. Rio de Janeiro: Caetés: UERJ. p. 203-218, 2004.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 81-108.

ELOLA, I.; OSKOZ, A. Collaborative Writing: Fostering Foreign Language And Writing Conventions Development. Language Learning & Technology. 14(3), 2010, p. 51–71. Disponível em http://llt.msu.edu/issues/october2010/elolaoskoz.pdf. Acesso em 29 de agosto de 2014.

FREITAS, M. T. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista. rev., Belo Horizonte, v. 26, n. 3, Dec. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982010000300017. Acesso em: 19 ago. 2013.

GALLARDO, B. C. Potenciais das redes sociais na web para o aprendizado de letramentos digitais, línguas e cultura inglesa. In: ARAÚJO, J. C.; CARVALHO LIMA, S.; DIEB, M. (Orgs). Línguas na web: links entre ensino e aprendizagem. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010. p. 267-285.

HEATH, S. B. El valor de la lectura de cuentos infantiles a la hora de dormir: habilidades narrativas en el hogar y en la escuela. In: ZAVLA, V.; NIÑO-MURCIA, M.; AMES, P. Escritura y sociedad: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima: Red para el desarrollo de las ciencias sociales en el Perú, 2004. p. 143-179.

KALMAN, J.; GUERRERO, I. Matices en la inserción de tecnología en el aula: posibilidades de cambio en las prácticas docentes. Cuadernos Comillas, 1, (1), 2011. p.84-104.

KESSLER, G. Student initiated attention to form in autonomous wiki based collaborative writing. Language Learning & Technology, 13(1), 2009, p. 79–95. Disponível em: http://llt.msu.edu/vol13num1%20/kessler.pdf. Acesso em: 29 ago. 2014.

KNOBEL, M.; LANKSHEAR, C. Remix: la nueva escritura popular. Cuadernos Comillas, 1, (1), 2011. p.105-126. Disponível em http://everydayliteracies.net/files/8_Knobel_Lankshear.pdf. Acesso em: 02 out. 2013. KRESS, G. ¿Qué es alfabetismo? In: KRESS, G. El alfabetismo en la era de los nuevos medios de comunicación. Granada: Ediciones El Aljibe-Enseñanza Abierta de Andalucía, 2005. p. 83-111.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. Digital literacy and digital literacies: policy, pedagogy and research considerations for education. Digital Kompetanse, vol. 1, p. 12-24, 2006.

LEMKE, J. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trab. Ling. Aplic., Campinas, v.49, n.2, p.455-479, jul./dez.2010.

PAIVA, V. L. M. O. O uso do glogster na formação do professor de língua inglesa. In: PELLÈT, S. H. Wikis for Building Content Knowledge in the Foreign Language Classroom. CALICO Journal, 29 (2), p. 224-248, 2012.

PRIMO, A. Blogs e seus gêneros: Avaliação estatística dos 50 blogs mais populares em língua portuguesa. In: Anais do XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom 2008, Natal, 2008.

RIBEIRO, A. E., NOVAIS, A. E. C. (Org.). Letramento digital em 15 cliques. RHJ: Belo Horizonte, 2012. p. 158-166.

RIBEIRO, A. E. Novas tecnologias para ler e escrever: algumas ideias sobre ambientes e ferramentas digitais na sala de aula. 1. ed. Belo Horizonte: RHJ, 2012.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (Org.). Multiletramentos na escola. Parábola: São Paulo, 2012. p. 11-31.

SNYDER, I. Antes, agora, adiante: hipertexto, letramento e mudança. Educ. Rev. [online]. 2010, vol.26, n.03, p. 225-281. ISSN 0102-4698. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/edur/v26n3/v26n3a13.pdf. Acesso em: 02 set. 2013.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 81, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?%20=sci_arttext8pid=S0101-73302002008100008%20&Ing=pt&nrm=iso. Acesso em: 19 ago. 2013.

STREET, B. Los Nuevos Estudios de Literacidad. In: ZAVALA, V.; NIÑO-MURCIA, M.; AMES, P. Escritura y sociedad: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima: Red para el desarrollo de las ciencias sociales en el Perú, 2004. p. 83-107.

TALLEI, J. Os podcasts na sala de aula. In: RIBEIRO, A. E., NOVAIS, A. E. C. (Org.). Letramento digital em 15 cliques. RHJ: Belo Horizonte, 2012. p. 139-157.

WAGNER, R. Using Google Docs as a Collaboration. Athletic Training Education Journal. Tool, 2010, vol. 5, nº 2. p. 94-96.

ZORKO, V. Factors affecting the way students collaborate in a wiki for English language learning. Australasian Journal of Educational Technology, 25 (5), 2009, p. 645–665.

Downloads

Publicado

2014-11-07

Como Citar

ALMEIDA, E. G. de; LIMA, R. de S. Letramentos digitais e uma sequência didática para o ensino de espanhol. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 7, n. 2, p. 86–104, 2014. DOI: 10.17851/1983-3652.7.2.86-104. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16676. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Educação e Tecnologia