EDUCAÇÃO SANITÁRIA EM DEFESA AGROPECUÁRIA

ENTRELAÇAMENTOS COM A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA E A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE

Autores

  • Elaine dos Santos Pinto Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) https://orcid.org/0000-0001-5592-6386
  • Aline Grunewald Nichele Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Porto Alegre https://orcid.org/0000-0001-6177-2037

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.26016

Palavras-chave:

Educação Profissional e Tecnológica, Educação Popular em Saúde, Educação Sanitária em Defesa Agropecuária

Resumo

Este artigo tem por objetivo estabelecer um diálogo entre as bases conceituais da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), principalmente referentes aos conceitos de trabalho como princípio educativo e a formação humana integral, e o campo da Educação Popular em Saúde, ressaltando os pontos de interseção entre as duas bases teóricas, a fim de observar seus desdobramentos para a Educação Sanitária em Defesa Agropecuária. Deriva de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório com aporte teórico de autores como Saviani (2007), Ciavatta (2014), Gramsci (2001) Frigotto (2009), Moura, Lima Filho e Silva (2015) e Kuenzer (1989), no campo da EPT, e Freire (1987, 1996), Pimont (1977), Silva et al (2010), Vasconcelos (2004), Pedrosa (2007), Stotz, David e Un (2005) e Amaral et al (2014), em Educação Popular em Saúde. Por meio de levantamento realizado no sistema de legislação SISLEGIS do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), observa-se como a Educação Sanitária em Defesa Agropecuária é abordada de forma incipiente pelo órgão federal competente e quais as contribuições que o trabalho como princípio educativo, a formação humana integral e a Educação Popular em Saúde podem trazer a este ramo da Educação em Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine dos Santos Pinto, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional (ProfEPT), IFRS – Campus Porto Alegre. Graduanda em Saúde Coletiva na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bacharel em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense. Jornalista na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul.

Aline Grunewald Nichele, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Porto Alegre

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional (ProfEPT). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Porto Alegre.

Referências

AMARAL, Maria Carmélia Sales do; PONTES, Andrezza Graziella Veríssimo; SILVA, Jennifer do Vale e. O ensino de Educação Popular em Saúde para o SUS: experiência de articulação entre graduandos de enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde. Interface (Botucatu), v. 18, supl. 2, p.1547-1558, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v18s2/1807-5762-icse-18-s2-1547.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Decreto nº 5.741, de 30 de março de 2006. Regulamenta os arts. 27-A, 28-A e 29-A da Lei no 8.171, de 17 de janeiro de 1991, organiza o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5741.htm. Acesso em 28 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Gabinete do Ministro. Instrução Normativa nº 28, de 15 de maio de 2008. Institui o Programa Nacional de Educação Sanitária em Defesa Agropecuária. Disponível em: http://www2.agricultura.rs.gov.br/uploads/126936810822.03_INSTRUCAO_NORMATIVA_-No_28_ed_sanit.doc. Acesso em: 28 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa – PNEFA – Plano Estratégico 2017 – 2026. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sanidade-animal-e-vegetal/saude-animal/programas-de-saude-animal/febre-aftosa/vacinacao/PNEFA_Plano_Estratgico_2017_2026verso2017pt.pdf. Acesso em 13 jan. 2020.

CIAVATTA, Maria. O ensino integrado, a politecnia e a educação omnilateral: por que lutamos? Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, p. 187–205, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br-/index.php/trabedu/article/view/9303. Acesso em: 1 abr. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A polissemia da categoria trabalho e a batalha das ideias nas sociedades de classe. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 168–194, 2009.

GIOVANNINI, Izabel Cristina Cardoso; SGUAREZI, Cleonice Natália; SILVA, Jairo da Costa e. Educação Sanitária em Defesa Agropecuária. São Paulo, [s.d.]. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/cesesp/publicacoes/artigos/artigo-es-apm-3.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, volume 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

KUENZER, Acácia Zeneida. O trabalho como princípio educativo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 68, p. 21–28, 1989. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1118/1123. Acesso em: 18 nov. 2019.

MOURA, Dante Henrique; LIMA FILHO, Domingos Leite; SILVA, Mônica Ribeiro. Politecnia e formação integrada: confrontos conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação brasileira. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 63, p. 1057–1080, 2015. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-24782015000401057&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 1 abr. 2020.

PEDROSA, José Ivo dos Santos. Educação Popular em Saúde e Gestão Participativa no Sistema Único de Saúde. Revista de APS, Juiz de Fora, v. 11, n. 3, p. 303-313, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/download/14271/7721. Acesso em: 24 set. 2020.

PIMONT, Rosa Pavone. A Educação em saúde: conceitos, definições e objetivos. Boletin de la Oficina Sanitária Panamericana, Washington, v. 82, n. 1, p. 14–22, 1977. Disponível em: http://iris.paho.org/xmlui/bitstream/handle/123456789/17514/v82n1p14.pdf?sequence=1. Acesso em: 26 nov. 2019.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto nº 53.403, de 16 de janeiro de 2017. Aprova o Regimento Interno da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação. Disponível em: https://www.agricultura-admin.rs.gov.br/upload/arquivos/201805/23092425-regimento-interno-seapi.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152–180, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 03 nov. 2019.

SILVA, Cristiane Maria da Costa et al. Educação em saúde: Uma reflexão histórica de suas práticas. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, p. 2539–2550, 2010.

STOTZ, Eduardo Navarro; DAVID, Helena Maria Scherlowski Leal; UN, Julio Alberto Wong. Educação popular e saúde: trajetória, expressões e desafios de um movimento social. Revista APS, Juiz de Fora, v. 8, n. 1, p. 49-60, 2005. Disponível em: https://www.ufjf.br/nates/files/2009/12/EducacaoPopular.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

VASCONCELOS, Eymard Mourão. Educação popular: de uma prática alternativa a uma estratégia de gestão participativa das políticas de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 67-83, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/physis/v14n1/v14n1a05.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

PINTO, E. dos S.; NICHELE, A. G. . EDUCAÇÃO SANITÁRIA EM DEFESA AGROPECUÁRIA: ENTRELAÇAMENTOS COM A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA E A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 2, p. 69–80, 2021. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.26016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/26016. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS