IMPLANTAÇÃO DO TELETRABALHO NO INSTITUTO FEDERAL BAIANO, CAMPUS GOVERNADOR MANGABEIRA

ASPECTOS RELACIONADOS À GESTÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

Autores

  • Adriano dos Santos Moraes Instituto Federal Baiano
  • Francisco José Aragão Pedroza Cunha Universidade Federal da Bahia
  • Maria de Fátima Hanaque Campos Universidade Estadual da Bahia
  • Jéssica Silva Almeida Instituto Federal Baiano

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.40539

Palavras-chave:

Teletrabalho, Gestão do Conhecimento, Aprendizagem Organizacional

Resumo

Este artigo objetiva analisar o impacto da implantação do teletrabalho no Instituto Federal Baiano (IF Baiano), Campus Governador Mangabeira, na Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Organizacional, a partir da percepção dos servidores lotados no Campus. Trata-se de pesquisa qualiquantitativa, bibliográfica e documental. Foram aplicados questionários aos informantes qualificados e articulados aportes conceituais relacionados à Gestão do Conhecimento Organizacional, Informação e Aprendizagem Organizacional, associados aos princípios da proposta do Pensamento Complexo de Morin (Teoria da Complexidade). Os resultados da pesquisa indicam que a implantação do teletrabalho no IF Baiano, Campus Governador Mangabeira, acontece de forma não estruturada e não sistematizada, ou seja, fora de uma política institucional, o que acaba por causar prejuízos aos processos de gestão do conhecimento e da aprendizagem organizacional. Entende-se que esta pesquisa deve ser continuada na forma de um estudo comparado da implantação do teletrabalho no Campus Governador Mangabeira com os demais Campi do IF Baiano e realizados estudos no que concerne aos efeitos ergonômicos, físicos, psicológicos e emocionais relacionados ao teletrabalho, com ênfase nas questões atinentes à (sobre)carga de trabalho, atingimento de metas institucionais e avaliação de desempenho do teletrabalhador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano dos Santos Moraes, Instituto Federal Baiano

Aluno Especial de Doutorado do Programa de Pós-Graduação Multi-institucional em Difusão do Conhecimento (PPGDC) em forma associativa da UFBA, IFBA, UNEB, LNCC, UEFS e Centro Universitário Senai Cimatec), Disciplina: Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Colaborativa. Mestre em Educação Profissional Científica e Tecnológica (Programa de Pós-graduação em Educação Profissional, Científica e Tecnológica - ProfEPT, Polo: IFBA), Especialista em Direito Educacional, Especialista em Gestão Pública, Graduado em Tecnologia em Gestão Pública.

Francisco José Aragão Pedroza Cunha, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Difusão do Conhecimento pelo Programa de Pós-gradução Multi-institucional e Multidiciplinar da Faculdade de Educação da UFBA (2012). Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Católica do Salvador (1985) e mestrado em Ciência da Informação pela UFBA (2005). Professor Associado do Departamento de Documentação e Informação da UFBA. Professor permanente dos Programas de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da UFBA e do Doutorado Multi-institucional e Multidiciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC) da Faculdade de Educação da UFBA. 

Maria de Fátima Hanaque Campos, Universidade Estadual da Bahia

Graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal da Bahia (1981), mestrado em Historia da Arte pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em História da Arte pela Universidade do Porto (2004). Atualmente é professora titular B da Universidade do Estado da Bahia e atua no Curso de Licenciatura em História. Integra como professora colaboradora do Doutorado Multiinstitucional de Difusão do Conhecimento (DMMDC).

Jéssica Silva Almeida, Instituto Federal Baiano

Possui graduação em Direito pela Universidade do Estado da Bahia (2013). Advogada. Pós-graduada em Direito Constitucional Aplicado. Atualmente é servidora pública do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano. 

Referências

ANGELLONI, M. T. (Org.). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O que é ciência da informação. Belo Horizonte: KMA, 2018.

BABBIE, Earl. Métodos de pesquisas de survey. Tradução Guilherme Cezarino. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

BRASIL. Decreto nº 11.072, de 17 de maio de 2022. Dispõe sobre o Programa de Gestão e Desempenho - PGD da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-11.072-de-17-de-maio-de-2022-401056788. Acesso em 03 jun. 2022. [2022].

BRASIL. Ministério da Economia/Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital/Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal. Instrução Normativa nº 65, de 30 de julho de 2020. Estabelece orientações, critérios e procedimentos gerais a serem observados pelos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC relativos à implementação de Programa de Gestão. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-65-de-30-de-julho-de-2020-269669395. Acesso em: 03 jun. 2022. [2020].

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução no 510, de 7 de abril de 2016. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 maio 2016. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/22917581. Acesso em: 25 mai. 2022. [2016].

CENDÓN, Beatriz Valadares; RIBEIRO, Nádia Ameno; CHAVES, Consuelo Joncew. Pesquisas de Survey: análise das reações dos respondentes. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v. 24, n. 3, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/download/19963/12693/. Acesso em: 02 set. 2020.

CUNHA, F.J.A.P. Da adesão à participação em uma rede de hospitais como promoção de aprendizagem organizacional e da inovação gerencial: um olha sobre a Rede InovarH-BA. Salvador, 2012. 300f.:il. Tese (Doutorado) – Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Educação, 2012.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Os Desafios de Aprendizagem e Inovação Organizacional. Rae light., v. 2, n. 5, p. 14-20, 1994.

GARVIN, D. A. (2001). Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus.

GARVIN, D. A., NAYAK, P. R., MAIRA, A. N., & BRAGAR, J. (1998). Aprender a aprender. HSM Management, 9, 58-64.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. Para uma reflexão epistemológica acerca da Ciência da Informação. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 6, n. 1, p. 5-18, jan./jun. 2001.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Resolução nº 182/2022 - OS-CONSUP/IFBAIANO, de 1 de fevereiro de 2022. Aprova o Programa de Gestão do Teletrabalho no âmbito do IF Baiano. Disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/wp-content/uploads/2022/02/Resolucao-182-2022.pdf. Acesso em: 03 jun. 2022. [2022a].

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Resolução 113/2021 - OS-CONSUP/IFBAIANO, de 22 de fevereiro de 2021. Aprova o Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano. Disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/wp-content/uploads/2021/02/Resolucao-113.2021_Estatuto-com-anexo.pdf. Acesso em: 01 jun. 2022. [2021b].

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Resolução 117/2021 - OS-CONSUP/IFBAIANO, de 23 de fevereiro de 2021. Aprova o Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI - 2021 -2025. Disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/wp-content/uploads/2021/02/Resolucao-117.2021-com-anexo.pdf. Acesso em: 02 mai. 2022. [2021a].

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Resolução 206/2022 - OS-CONSUP/IFBAIANO, de 29 de abril de 2022: Aprova o Relatório de Gestão - 2021 do IF Baiano (Anexo). Disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/relatorio-gestao-2021. Acesso em: 01 jun. 2022. [2022b].

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Portaria 2/2022 - RET-SCS/RET-GAB/RET/IFBAIANO, de 18 de fevereiro de 2022. Estabelece os procedimentos gerais e divulga a Tabela de Atividades de que trata o art. 8º, da Resolução nº 182/2022 - OS-CONSUP/IFBAIANO - Programa de Gestão do IF Baiano. Disponível em: https://ifbaiano.edu.br/portal/wp-content/uploads/2022/02/Portaria-02.2022-RET-SCS.pdf. Acesso em: 03 jun. 2022. [2022c].

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO. Portaria 37/2022 - GMB-GAB/GMB-DG/RET/IFBAIANO, de 28 de abril de 2022. Constitui comissão para elaborar edital de seleção para adesão ao Programa de Gestão - Modalidade Teletrabalho, Campus Governador Mangabeira. Disponível em: https://www.ifbaiano.edu.br/unidades/gmb/files/2022/05/04.2022_boletim-de-servicos-campus-governador-mangabeira-abril-2022.pdf. Acesso em: 03 jun. 2022. [2022d].

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). O teletrabalho no setor público e privado na pandemia: potencial versus evolução e desagregação do efetivo. Carta de Conjuntura, n. 48, 3° trimestre 2020. Brasília: IPEA, 2020. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/ images/stories/PDFs/conjuntura/200804_cc_48_nt_teletrabalho.pdf>>. Acesso em: 11 set. 2020.

ISHIKURA, Y. Gestão do conhecimento e concorrência global: a abordagem da Olympus à gestão do conhecimento global na indústria de câmeras fotográficas digitais. In: TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008. p.165-200.

LOERMANS, J. Synergizing the learning organization and knowledge management. Kempston: Journal of Knowledge Management, v. 6, n. 3, p. 285-294, 2002.

MORIN, Edgard. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil, - 14ª Edição, 2008a. 128 p.

MORIN, Edgard; LE MOIGNE, Jean-Louis. A inteligência da complexidade. São Paulo, SP: Peirópolis, 2000. 263 p.

MORIN, Edgard. A necessidade de um pensamento complexo. In: Representação e complexidade. Candido Mendes (Org.); Enrique Larreta (Ed.). Rio de Janeiro: Garamond, 2003a, p. 69 – 78.

MORIN, Edgard. Ciência com consciência. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil, - 11ª Edição, 2008b.

p.

MORIN, Edgard; CIURANA, Emilio-Roger; MOTTA, Raúl Domingo. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo, SP: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, - 2ª Edição, 2007. 111 p.

MORIN, Edgard. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre, RS: Sulina, - 3ª Edição, 2007a. 27p.

MORIN, Edgard. Meus demônios. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand Brasil, - 4ª Edição, 2003b. 368 p.

MORIN, Edgard. O método 1: a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina, 2005a.

MORIN, Edgard. O método 3: conhecimento do conhecimento. Porto Alegre, RS: Sulina, - 4ª Edição, 2008c. 286 p.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

RIBEIRO, N.M.; MENEZES, A.M.F.; CAMPOS, M.F.H. Difusão do conhecimento: conceitos, analogias, convergências e divergências. In: Alfredo E. R. Matta; Jose Claudio Rocha. Cognição: aspectos contemporâneos da construção e difusão do conhecimento. Salvador: EDUNEB, 2016. P.151-194.

TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TECHTUDO. Google Forms: o que é e como usar o app de formulários online. Disponível em:https://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/2018/07/google-forms-o-que-e-e-como-usar-o-app-de-formularios-online.ghtml. Acesso em: 04 jan. 2020.

TERRA, J. C. C. Gestão 2.0: como integrar a colaboração e a participação em massa para o sucesso dos negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

VASCONCELOS, I. F. G. de; MASCARENHAS, A. O. Organizações em aprendizagem. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

Downloads

Publicado

2023-05-29

Como Citar

MORAES, A. dos S.; CUNHA, F. J. A. P.; CAMPOS, M. de F. H.; ALMEIDA, J. S. A. IMPLANTAÇÃO DO TELETRABALHO NO INSTITUTO FEDERAL BAIANO, CAMPUS GOVERNADOR MANGABEIRA: ASPECTOS RELACIONADOS À GESTÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 1, p. 100–117, 2023. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.40539. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/40539. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS