ENSINO SUPERIOR EM TEMPOS MEDIADOS PELAS TECNOLOGIAS DIGITAIS

Autores

  • Vani Moreira Kenski Universidade de São Paulo (USP)
  • Rosangela Araújo Medeiros Universidade do Estado da Paraíba (UEPB) https://orcid.org/0000-0003-3459-6124
  • Jean Ordéas Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2019.9872

Palavras-chave:

Ensino superior, Cultura digital, Tecnologias digitais

Resumo

O mundo mudou. As relações humanas e as relações com a informação e o conhecimento mudaram. A ampliação do acesso à internet e às tecnologias digitais estabeleceram novos patamares de relacionamento entre pessoas, processos e objetos. Essas mudanças afetam também as instituições de ensino, que precisam se reinventar para não ficarem à margem dessa evolução. Um dos desafios contemporâneos é saber escolher a informação e transformá-la em conhecimento significativo, algo completamente diferente de pelo menos duas décadas atrás, quando o desafio era obter a informação. Hoje a informação é abundante. O acesso ao excesso (COSTA, 2008) de informação é possível em qualquer localidade e horário. Gera novas necessidades de orientação docente e de participação dos estudantes. Discutimos esse contexto de mutação do saber a partir de Levy (1999) e Santos (2005), que nos ajudam a compreender esse processo e a posição que a universidade assume nesse novo cenário. Garcia et al. (2011), Santaella (2013) e Kenski (2015) trazem para a discussão as novas relações, formas e estratégias de ensino e aprendizagem mediadas de acordo com os novos anseios formativos dos sujeitos e da sociedade contemporânea. Assim, o objetivo deste texto é apresentar reflexões sobre as tecnologias digitais e as necessidades de mudança no processo educacional desenvolvido pelas instituições de ensino superior brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vani Moreira Kenski, Universidade de São Paulo (USP)

Doutora e Mestre em Educação. Licenciada em Pedagogia e Geografia. Vice-presidente da ABED (Associação Brasileira de Educação a Distância), gestão 2015-2019. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de São Paulo (USP).

Rosangela Araújo Medeiros, Universidade do Estado da Paraíba (UEPB)

Doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre e Pedagoga pela USP. Professora da Universidade do Estado da Paraíba.

Jean Ordéas, Universidade de São Paulo (USP)

Mestrando em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Especialista em Educação a Distância pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). É membro associado da Associação Brasileira de Educação a Distância - ABED. 

Referências

ADAMS BECKER, Samantha et al. NMC Horizon Report: 2017 Higher Education Edition, Austin, Texas: The New Media Consortium, 2017. Disponível em: <http://cdn.nmc.org/media-/2017-nmc-horizon-report-he-EN.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2018.

BARIFOUSE, Rafael. Você corre risco de perder o emprego para um robô? BBC Brasil online. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/curiosidades-38979057>. Acesso em: 24 jul. 2018.

COSTA, Rogério. A cultura digital. 3. ed. São Paulo: Publifolha, 2008.

EIRÓ, Maria Idati; CATANI, Afrânio Mendes. Projetos Tuning e Tuning América Latina: Afinando os Currículos às Competências. Cadernos PROLAM/USP, 10, v. 1, 2011, p. 103-123.

JORNAL DA USP. O avanço da tecnologia e os empregos que deixarão de existir. Edição online de 23/02/2018. Disponível em:<https://jornal.usp.br/atualidades/o-avanco-da-tecnologiae-os-empregos-que-deixarao-de-existir/>. Acesso em: 22 jul.2018.

KENSKI, Vani Moreira. Cultura digital. In: MILL, Daniel (Org.). Dicionário Educação e Tecnologias Crítico EaD +. Campinas: Papirus, 2018.

KENSKI, Vani Moreira. A urgência de propostas inovadoras para a formação de professores para todos os níveis de ensino. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 15, n. 45, p. 423-441, mai./ago. 2015.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas, São Paulo: Papirus, 2013.

KLAUS, Schwab. A quarta revolução industrial. Trad. Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016.

LEVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. Inteligência coletiva. Para uma antropologia do ciberespaço 5ª edição ed.: Loyola, 2007.

MELARE, Daniela. Aplicação dos Estilos de Aprendizagem em Ambientes Virtuais. Simpósio virtual online. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=BRDHaYf8Xu4>. Acesso em: 11 jul. 2018.

CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - CETIC. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação: pesquisa TIC Domicílios, 2017. Disponível em: <http://cetic.br/arquivos-/domicilios/2017/domicilios/>. Acesso em: 21 jul. 2018.

SANTAELLA, Lucia. Desafios da ubiquidade para a educação. Unicamp, 2013. Disponível em: https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/>. Acesso em: 06 jun. 2018.

SANTAELLA, Lucia. Pós-humano. Por quê? Revista USP, São Paulo, n.74, p. 126-137, jun./ago. 2007.

TAVARES, Cristina Zukowsky. Educação universitária em tempos de cibercultura. Revista educação. Edição 199, 2015. Disponível em: <http://www.revistaeducacao.com.br/educacaouniversitaria-em-tempos-de-cibercultura/>. Acesso em: 9 jul. 2018.

Downloads

Publicado

2019-02-21

Como Citar

KENSKI, V. M.; MEDEIROS, R. A.; ORDÉAS, J. ENSINO SUPERIOR EM TEMPOS MEDIADOS PELAS TECNOLOGIAS DIGITAIS . Trabalho &amp; Educação, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 141–152, 2019. DOI: 10.35699/2238-037X.2019.9872. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9872. Acesso em: 7 maio. 2021.