ENSINO SUPERIOR

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E MERCANTILIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2019.9865

Palavras-chave:

Educação a Distância, Ensino Superior, Conglomerado Educacional, Educação de Qualidade

Resumo

Este artigo objetiva comparar, no nível do ensino superior, a educação a distância ministrada pelos conglomerados educacionais com a EaD veiculada, sobretudo, pelas universidades públicas, PUCs, e instituições ligadas à Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica (RFEPCT). Após analisar, vis a vis, a aplicação da EaD nos referidos loci, conclui-se que a EaD privilegiada pelas instituições mercantis, globalizadas e oligopolizadas, visa a aumentar seus níveis de lucratividade e, consequentemente, seu ensino carece da qualidade necessária para formar alunos de forma competente e compromissada. Diferentemente, o ensino superior ofertado, notadamente, pelas referidas instituições públicas e pelas PUCs vem possibilitando a oferta de uma educação com alto nível de qualidade teórica, prática, social e ética capaz de formar alunos comprometidos tanto com a sociedade, formando cidadãos que se inserem, para se tornarem protagonistas de suas histórias, quanto no mundo do trabalho, de forma responsável e competente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Auxiliadora Monteiro Oliveira, PUC-MINAS (PUC/MG)

Doutora em Educação: Políticas e Administração Educacional, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestrado em Educação: História, Política e Sociedade, realizado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Concluiu Pós-doutorado em Educação, realizado na Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorado realizado na Universidade do Porto (Portugal). Graduação, em Pedagogia, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação e do Curso de Pedagogia da PUC Minas. É coordenadora, no PREPES (Programa de Especialização para Professores do Ensino Superior, da PUC Minas), do Curso de Docência e Gestão do Ensino Superior.

Jussara Bueno de Queiroz Paschoalino, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Doutorado Sanduíche pela Universidade do Porto. Pós-Doutorado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Especialização em Educação pelo CEPEMG. Especialização em Psicopedagogia pelo CEPEMG. Especialização em Direitos Humanos pelo CES. Especialização em Temas Filosóficos pela UFMG. Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

ALONSO, A expansão da EaD no Brasil: Reflexos sobre sua institucionalização. FIDALGO, Fernando S. R. et al. (Org.) Educação a Distância meios, atores e processo. Belo Horizonte: Editora CAED, 2013.

ARRUDA, Eucídio Pimenta; ARRUDA, Durcelina Ereni Pimenta. Os materiais didáticos e a aula na Educação a Distância: por uma integração de discursos e práticas. In: Fernando Fidalgo, Nara Luciene Fidalgo, Inajara Neves, Jussara Paschoalino. (Org.). Educação a Distância: tão longe, tão perto. 1ed. Belo Horizonte: Editora CAED, 2012, v. 1, p. 89-112.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm>. Acesso em: 6 jan. 2010.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: 05 fev. 2011.

BRASIL. Decreto n. 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/dec_5622.pdf>. Acesso em: 25 jun. 2011.

BRASIL. Decreto n. 5.800, de 8 de junho de 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2006/decreto/d5800.htm>. Acesso em: 25 jun. 2011.

BRASIL. Portaria Normativa n. 2, de 11 de janeiro de 2007. Disponível em: <http://www.EaD.uems.br/file.php/1/Legislacao/portaria_02.pdf>. Acesso em: 25 jun. 2011.

BRASIL. Portaria n. 1.134, de 10 de outubro de 2016. Disponível em: <http://www.faal.com.br/arquivos/portariaAVA.pdf>. Acesso em: 25 jun. 2011.

CAMPOS, Fernanda A. C. Convergência na educação: políticas, tecnologias digitais e relações pedagógicas. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais, 2017.

CARVALHO, C. H. A. A política pública para a educação superior no Brasil (1995-2008): ruptura e/ou continuidade? 2011. 465f. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

CARVALHO, M. A educação superior no Brasil: o retorno privado e as restrições ao ingresso, Revista Sinais Sociais, Rio de Janeiro, 2011, 5(15), 82–109.

CARVALHO, C. H. A. A mercantilização da educação superior brasileira e as estratégias de mercado das instituições lucrativas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 18, n. 54, p. 761- 776, Sept. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782013000300013&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 14 jun. 2017.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: do documento à acção política. Lisboa: Casa da Moeda, 2005, p. 17-30.

CORRADI, et al. Tessituras do trabalho de gestão da UAB nas instituições de ensino superior. In: FREITAS, Maria Teresa Menezes; ARRUDA, Eucídio Pimenta; ARAÚJO, Sarah Mendonça de. (orgs). Na tessitura da distância: entre políticas, docência e tecnologia na EaD, Uberlândia: EDUFU, 2015.

CUNHA, Luiz Antonio. A universidade temporã: da Colônia à Era de Vargas. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1980.

CUNHA, Luiz Antonio. Desenvolvimento desigual e combinado no Ensino Superior – Estado e Mercado. Educ. Soc., Campinas, vol. 25, n. 88, p. 795-817, Especial - Out. 2004 795. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/es/v25n88/a08v2588.pdf>Acesso em: 16 abr. 2018.

FOLHA DE SÃO PAULO. Trabalhador com nível superior ganha 140% a mais, mostra estudo. Bruno Aragaki Colaboração para o UOL, no Rio 12/09/2017. Disponível em:<https://educacao.uol.com.br/noticias/2017/09/12/trabalhador-com-nivel-superior-ganha-140-amais-mostra-estudo.htm?cmpid=copiaecola>. Acesso em: 20 mar. 2018.

GENTILI, Pablo. Qual educação para qual cidadania? Reflexões sobre a formação do sujeito democrático. In, AZEVEDO, J.C. et al. Utopia e democracia na Educação Cidadã. Porto Alegre: Universidade/ UFRGS/ Secretaria Municipal de Educação, 2000. p. 143-156.

LEVY, Pierre. O inexistente impacto da tecnologia: uso intensivo da técnica é característica fundamental da humanidade. In: Folha Uol. São Paulo, 17 de agosto de 1997.

MARTINS, Antonio Carlos Pereira. Ensino superior no Brasil: da experiência aos dias atuais. Acta Cir. Bras. [conectados]. 2002, v.17, supl.3 [citado 2018-08-19], pp.04-06. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502002000900001>. Acesso em: 18 maio 2011.

MANCEBO. Uma análise da produção escrita sobre o trabalho docente em tempos de globalização. In: MANCEBO; FÁVERO, M. L. A. (Orgs.). Universidade: políticas, avaliação e trabalho docente. São Paulo: Cortez, 2004.

MEC. Portaria nº 1.134, de 10 de outubro de 2016. Disponível em: <https://aprender.unb.br/2-uncategorised/12-nova-portaria-do-mec-sobre-a-oferta-a-distancia-de-disciplina-dos-cursospresenciais>. Acesso em: 22 jun. 2017. MEC/INEP. Atualizada legislação que regulamenta Educação a Distância no país. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/busca-geral/212-noticias/educacao-superior1690610854/49321-mec-atualiza-legislacao-que-regulamenta-educacao-a-distancia-no-pais>. Acesso em: 25 jun. 2018.

MELO, José Marques; TOSTA, Sandra Pereira. Mídia & Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

MENEZES, Sheilla. Educação a distância. FIDALGO, Fernando; MACHADO, Lucília. Dicionário da Educação Profissional. Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação, UFMG, 2000.

MILL, D.; PIMENTEL, N. Escritos sobre educação a distância: desafios contemporâneos sob múltiplos enfoques. São Carlos: Edufscar, 2010.

MUELLER, Rafael Rodrigo. Tecnologias gerenciais, educação e capital. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 54, p. 739-760, set. 2013.

OLIVEIRA, M.; PASCHOALINO, J.; ROCHA, T. Políticas para o Ensino Superior: Profissionalização ou proletarização dos trabalhadores docentes? Revista Trabalho e Educação. Belo Horizonte, MG, v.20, n. 2, p. 77-89, mai./ago. 2011.

OLIVEIRA, R. P. A transformação da educação em mercadoria no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, Cedes, v.30, out., 2009. p 739-760.

PASCHOALINO, Jussara B. Q. gestão da qualidade na educação a distância. MILL, Daniel (org.) Dicionário Crítico de Educação e Tecnologia. Campinas: Papirus, 2018.

PETERS, Otto. A educação a distância em transição. São Leopoldo: Ed. Da Unisinos, 2004.

REZENDE, Wanderley M.; DIAS, Ana I. A. S. Educação a Distância e Ensino Presencial: Incompatibilidade ou Convergência? Revista EAD em Foco - nº 1 - vol.1 - Rio de Janeiro - abril/outubro, 2010, 7-158- 16-158.

SGUISSARDI, Valdemar; SILVA Jr., João dos Reis. Novas faces da educação superior no Brasil – reforma do Estado e mudanças na produção. São Paulo: Cortez; Bragança Paulista: EDUSF, 2001.

UNESCO. Educación de las personas adultas y los desafíos del siglo XXI. Una serie de 29 folletos documentando los grupos de trabajo que se llevaron a cabo en la Quinta Conferencia Internacional de Educación de las Personas Adultas. Hamburgo: Instituto de la UNESCO para la Educación, 1999.

Downloads

Publicado

2019-02-21

Como Citar

OLIVEIRA, M. A. M.; PASCHOALINO, J. B. de Q. ENSINO SUPERIOR: EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E MERCANTILIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR. Trabalho &amp; Educação, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 83–95, 2019. DOI: 10.35699/2238-037X.2019.9865. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9865. Acesso em: 7 maio. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)