A saúde mental dos adolescentes brasileiros

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar de 2019

Autores

  • Juliana Teixeira Antunes Instituto Federal do Norte de Minas Gerais - IFNMG. Januária, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7996-0773
  • Érica Dumont-Pena Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1220-6041
  • Alanna Gomes da Silva Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2587-5658
  • Cristiane dos Santos Moutinho Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, Diretoria de Pesquisas. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0717-1967
  • Maria Lucia França Pontes Vieira Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento - COREN. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5284-6214
  • Deborah Carvalho Malta Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8214-5734

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.38984

Palavras-chave:

Saúde Mental, Adolescente, Inquéritos Epidemiológicos, Desenvolvimento do Adolescente, Brasil

Resumo

Objetivo: descrever as prevalências dos indicadores de saúde mental entre os escolares brasileiros. Método: estudo transversal com dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) de 2019. Estimou-se as prevalências e intervalos de confiança de 95% (IC95%) dos indicadores de saúde mental dos adolescentes brasileiros de 13 a 17 anos, segundo idade, sexo, dependência administrativa da escola e Unidade da Federação. Resultados: dos 125.123 escolares de 13 a 17 anos investigados, 4,0% (IC95% 3,7-4,3) mencionaram que não tinham amigos próximos; 50,6% (IC95% 49,8-51,4) sentiram-se preocupados com as coisas comuns do dia a dia; 31,4% sentiram-se tristes na maioria das vezes ou sempre; 30,0% (IC95% 29,4 - 30,6) achavam que ninguém se preocupava com eles; 40,9% (IC95% 40,2 - 41,5) ficaram irritados, nervosos ou mal-humorados; 21,4% (IC95% 20,9 - 22,0) sentiam que a vida não vale a pena ser vivida; e 17,7% (IC95% 17,2 - 18,2) apresentou autoavaliação em saúde mental negativa. A maioria desses indicadores foram mais frequentes em escolares de 16 e 17 anos, no sexo feminino e em escolas públicas. Conclusão: evidenciou-se o aumento do sofrimento mental entre os adolescentes brasileiros pelos indicadores de saúde mental da PeNSE edição 2019. Os resultados revelaram relações de desigualdades estruturais de gênero e classe social. É necessário maior investimento em políticas públicas a fim de diminuir as consequências do sofrimento mental entre os adolescentes brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Campos JR, Prette AD, Prette ZAPDP. Depressão na adolescência: habilidades sociais e variáveis sociodemográficas como fatores de risco/proteção. Estud Pesqui Psicol. 2014[citado em 2021 nov. 19];14(2):408-28. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revispsi/article/view/12645/9853

World Health Organization (WHO). Geneva: World Health Organization; 2022[citado 2021 nov. 23]. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/adolescent-mental-health

Claumann GS, Pinto AA, Silva DAS, Pelegrini A. Prevalência de pensamentos e comportamentos suicidas e associação com a insatisfação corporal em adolescentes. J Bras Psiquiatr. 2018[citado 2022 jan. 10];67(1):3-9. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000177

Simões EV, Oliveira AMN, Pinho LB, Lourenção LG, Oliveira SM, Farias FLR. Reasons assigned to suicide attempts: adolescents’ perceptions. Rev Bras Enferm. 2022[citado 2022 fev. 04];75(Suppl 3). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2021-0163

Belfer ML. Child and adolescent mental disorders: the magnitude of the problem across the globe. J Child Psychol Psychiatry. 2008[citado 2022 fev. 05];49(3):226-36. Disponível em: https://acamh.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1469-7610.2007.01855.x

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde do escolar. Rio de Janeiro: IBGE. 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde do escolar. Rio de Janeiro: IBGE. 2016.

Lopes CS, Abreu GA, Santos DF, Menezes PR, Carvalho KMB, Cunha CF, et al. ERICA: prevalence of common mental disorders in Brazilian adolescents. Rev Saúde Pública. 2016[citado em 2022 fev. 24];50(1):14s. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S01518-8787.2016050006690

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde do escolar. Rio de Janeiro: IBGE. 2020.

Oliveira MM, Campos MO, Andreazzi MAR, Malta DC. Características da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar - PeNSE. Epidemiol Serv Saude. 2017[citado em 2022 jan. 03];26(3):605-16. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v26n3/2237-9622-ess-26-03-00605.pdf

Grolli V, Wagner MF, Dalbosco SNP. Sintomas depressivos e de ansiedade em adolescentes do ensino médio. Rev Psicol IMED. 2017[citado em 2022 mar. 02];9(1):87-103. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-50272017000100007&lng=pt&nrm=iso

Amaral AP, Sampaio JU, Matos FRN, Pocinho MTS, Mesquita RF, Sousa LRM. Depressão e ideação suicida na adolescência: implementação e avaliação de um programa de intervenção. Enferm Glob. 2020[citado em 2022 mar. 02];19(59):13-24. Disponível em: https://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1695-614120200003&lng=es&nrm=iso

Sousa GS, Ramos BMD, Tonaco LAB, Reinaldo MAS, Pereira MO, Botti NCL. Factors associated with suicide ideation of healthcare university students. Rev Bras Enferm. 2022[citado em 2022 jan. 18];75 (Suppl 3). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0982

Antunes JT, Machado ÍE, Malta DC. Loneliness and associated factors among Brazilian adolescents: results of national adolescent school-based health survey 2015. J Pediatr. 2021[citado em 2021 nov. 23]. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0021755721000735

Silva DRP, Werneck AO, Agostinete RR, Bastos AA, Fernandes RA, Ronque VER, Cyrino ES. Self-perceived social relationships are related to health risk behaviors and mental health in adolescents. Ciênc Saúde Coletiva. 2021[citado em 2021 nov. 23];26(3). Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/KK7gNttjBNkgNZjn8btZgNv/?lang=en

Bica I, Pinho LMD, Silva EMB, Aparício G, Duarte J, Costa J, et al. Influência sociodemográfica na qualidade de vida relacionada com a saúde dos adolescentes. Acta Paul Enferm. 2020[citado em 2021 dez. 16];33. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002020000100406&lng=pt

Beck CC, Lopes AS, Giuliano ICB, Borgatto AF. Fatores de risco cardiovascular em adolescentes de município do sul do Brasil: prevalência e associações com variáveis sociodemográficas. Rev Bras Epidemiol. 2011[citado em 2021 out. 10];14(1). Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/BB5nQVQWtV6ThqQvZHM7KvC/abstract/?lang=pt

Oliveira G, Silva TLN, Silva IB, Coutinho ESF, Bloch KV, Oliveira ERA. Agregação dos fatores de risco cardiovascular: álcool, fumo, excesso de peso e sono de curta duração em adolescentes do estudo ERICA. Cad Saúde Pública. 2019[citado em 2021 nov. 23];35(12). Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/PXc5f7kGhbKGF5qWNpHNzCc/?lang=pt

Malta DC, Oliveira MM, Machado IE, Prado RR, Stopa SR, Crespo CD, et al. Características associadas à autoavaliação ruim do estado de saúde em adolescentes brasileiros, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar, 2015. Rev Bras Epidemiol. 2018[citado em 2022 jan. 10];21(1). Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/9rCGXPNG5VQNWm76ZhJhT7n/?lang=pt

Cerrato J, Cifre E. Gender Inequality in Household Chores and Work-Family Conflict. Front Psychol. 2018;9:1330. Disponível em: https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fpsyg.2018.01330/full

Bastos LCS, Silva TPR, Dumont-Pena E, Matozinhos IP, Manzo BF, Matozinhos FP. Cirurgia bariátrica, intersecções de gênero, raça e classe social: estudo de coorte. Online Braz J Nurs.[internet]. 2020[citado em 2022 mar. 04];19(3). Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1129542

Malta DC, Antunes JT, Prado RR, Assunção AÁ, Freitas MI. Fatores associados aos episódios de agressão familiar entre adolescentes, resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ciênc Saúde Colet. 2019[citado em 2021 out. 13];24(4):1287-98. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018244.15552017

Oliveira WA, Silva JL, Santos MA, Hayashida M, Caravita SCS, Silva MAI. Interações familiares de estudantes em situações de bullying. J Bras Psiquiatr. 2018[citado em 2022 jan. 10];67(3):151-8. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jbpsiq/a/dzT9gZnBBtXQ3kXM7dvVf5x/?format=pdf&lang=pt

Ferreira RW, Varela AR, Monteiro LZ, Häfele CA, Santos SJ, Wendt A, et al. Desigualdades sociodemográficas na prática de atividade física de lazer e deslocamento ativo para a escola em adolescentes: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE 2009, 2012 e 2015). Cad Saúde Pública. 2018[citado em 2022 nov. 13];34(4). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00037917

Oliveira E, Luiz OC, Couto MT. Adolescents, poverty areas, violence, and public health: an intersectional perspective. Rev Bras Enferm.[Internet]. 2022[citado em 2022 fev. 24];75(suppl 2). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0685

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Brasil: 2022[citado em 2022 mar. 02]. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/saude-mental-de-adolescentes

Arquivos adicionais

Publicado

2022-09-23

Como Citar

1.
Antunes JT, Dumont-Pena Érica, Silva AG da, Moutinho C dos S, Vieira MLFP, Malta DC. A saúde mental dos adolescentes brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar de 2019. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 23º de setembro de 2022 [citado 30º de setembro de 2022];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/38984

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)