Validação de material educativo para homens em uso de cateter urinário de demora no domicílio

Autores

  • Adriane Pinto de Medeiros Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem, São Carlos SP , Brasil, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem. São Carlos, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5865-9807
  • Bianca Bolzan Cieto Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem, São Carlos SP , Brasil, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem. São Carlos, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0003-2526-6078
  • Danielle Cristina Garbuio Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem, São Carlos SP , Brasil, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem. São Carlos, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0002-0516-5213
  • Anamaria Alves Napoleão Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem, São Carlos SP , Brasil, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós Graduação em Enfermagem. São Carlos, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0002-6229-4206

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49804

Palavras-chave:

Cateterismo Urinário, Educação em Saúde, Autocuidado

Resumo

Objetivo: elaborar e validar material educativo escrito e ilustrativo para homens em uso de cateter urinário de demora no ambiente domiciliar. Material e Método: letramento em saúde, educação em saúde, modelos de validação de conteúdo diagnóstico de Enfermagem e Suitability Assessment of Educational Materials (SAM) foram referenciais teóricos e metodológicos utilizados. Resultados e discussão: realizaram-se a validação de conteúdo e aparência do material com base na avaliação de 30 peritos. Quanto ao conteúdo, todas as orientações foram validadas com escore final igual ou superior a 0,80. A aparência foi avaliada positivamente em todos os itens por 89,7% dos peritos. As sugestões contribuíram sobremaneira para melhor qualidade do material. Conclusão: considera-se que a validação de conteúdo e aparência com base nos referenciais utilizados pode contribuir como método de validação de materiais educativos em saúde

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cutilli CC, Bennett IM. Understanding the health literacy of America results of the national assessment of adult literacy. Orthop Nurs. 2009[citado em 2011 abr. 11];28(1):27-34. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2668931/

Doak CC, Doak LG, Root JH. Teaching patients with low literacy skills. 2aed. Philadelphia: JB Lippincontt; 1996.

Adams RJ, Stocks NP, Wilson DH, Hill CL, Gravier S, Kickbusch I, et al. Health literacy. A new concept for general practice? Aust Fam Physician. 2009[citado em 2011 abr. 11];38(3):144-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19283256

Herter R, Kaser MW. Best practices in urinary catheter care. Home Healthc Nurse. 2010[citado em 2011 abr. 11];28(6):342-9.Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20539136

Santos EC, Garbuio DC, Cieto BB, Dalri MCB, Figueiredo RM, Hortense P, Napoleão AA. Risco de lesão do trato urinário pelo uso de cateter vesical de demora: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE online. 2013[citado em 2018 jan. 18];7(esp):5711-7. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/262935306_RISCO_DE_LESAO_DO_TRATO_URINARIO_PELO_USO_DE_CATETER_VESICLE_DE_DEMORA_REVISAO _INTEGRATIVA/download

Chenoweth CE, Saint S. Urinary tract infections. Infect Dis Clin N Am. 2016[citado em 2018 jun. 13];30(4):869-85. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.idc.2016.07.007

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Medidas de Prevenção de Infecção do Trato Urinário. In: Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de prevenção de infecção relacionada à Assistência à Saúde. Brasília: Anvisa; 2017. p.37-47.

Gould CV, Umscheid CA, Agarwal RK, Kuntz G, Pegues DA, Healthcare Infection Control Practices Advisory Committee (HICPAC). Guideline for Prevention of Catheter-Associated Urinary Tract Infections. Centers for Disease Control and Prevention (US). US Department of Health and Human Services; 2009[citado em 2018 ago. 15]. 61p. Disponível em: https://www.cdc.gov/infectioncontrol/pdf/guidelines/cauti-guidelines.pdf

Garbuio D. Análise de conceito e validação de conteúdo de risco de lesão do trato urinário: proposta de diagnóstico de Enfermagem [dissertação]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2012.

Sorbye LW, Finne-Soveri H, Ljunggren G, Topinková E, Bernabei R. Indwelling catheter use in home care: elderly, aged 65, in 11 different countries in Europe. Age Ageing. 2005 [citado em 2011 abr. 11];34(4):377-81. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15901577

Jonsson K, Emauelsson-Loft A, Nasic S, Hedelin H. Urine bladder catheters in nursing home patients: A one-day pointprevalence study in a Swedish county. Scand J Urol Nephrol. 2010[citado em 2018 jan. 15];44:320-3. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20602572

Ercole FF, Macieira TGR, Wenceslau LCC, Martins AR, Campos CC, Chianca TCM. Revisão integrativa: evidências na prática do cateterismo urinário intermitente/demora. Rev Latinoam Enferm. 2013[citado em 2018 jan. 15];21(1):[10 telas]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n1/pt_v21n1a23

Polit DF, Beck CT, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em Enfermagem: métodos, avaliação e utilização. 5a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Gestão e Trabalho e da Educação na Saúde: Guia prático do cuidador. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

Addison R, Foxley S, Mould C, Naish W, Oliver H, Sullivan J, et al. Catheter care. RCN guidance for nurses. Royal Coll Nurs. 2012[citado em 2018 fev. 28];60p. Disponível em: https://www.rcn.org.uk/professional-development/publications/pub-003237

Pratt RJ, Pellowe CM, Wilson JA, Loveday HP, Harper PJ, Jones SRLJ, et al. National evidence-based guidelines for preventing healthcare-associated infection in NHS hospitals in England. J Hosp Infect. 2007[citado em 2019 jan. 18];65(Suppl 1):S1-59. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0195670107600024?via%3Dihub

Centers for Disease Control and Prevention (US). US Department of Health and Human Services. Division of Communication Services. Simply Put. A guide for creating easy-to-understand materials. 3a ed. Atlanta: Centers for Disease Control and Prevention; 2009.

Mahadevan R, Center for Health Care Strategies (US). Health literacy Fact Sheets. Center for Health Care Strategies. 2013[citado em 2018 fev. 28]. Disponível em: https://www.chcs.org/resource/health-literacy-fact-sheets/

Fagermoen MS, Hamilton G. Patient information at discharge: a study of a combined approach. Patient Educ Couns. 2006[citado em 2011 maio 11];63(1-2):169-76. Disponível em: http://www.pec-journal.com/article/S0738-3991(05)00295-8/abstract

Dochterman JM, Bulechek GM. Classificação das intervenções de Enfermagem (NIC). 4a ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Mata LRF, Carvalho EC, Napoleão AA. Validação por peritos de intervenções de Enfermagem para a alta de pacientes submetidos à prostatectomia. Texto Contexto Enferm. 2011[citado em 2012 jan. 25];20(esp):36-44. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000500004

Mata LRF, Napoleão AA. Intervenções de Enfermagem para alta de paciente prostatectomizado: revisão integrativa. Acta Paul Enferm. 2010[citado em 2012 jan. 25];23(4):574-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v23n4/21.pdf

Springhouse. As melhores práticas de Enfermagem: procedimentos baseados em evidência. Cuidado renal e urológico. 2a ed. Porto Alegre: Artmed; 2010.

Turra V, Costa Junior AL, Almeida FF, Doca FNP. Contribuições da Psicologia na atenção ao paciente cirúrgico: uma análise da literatura. Com Ciênc Saúde. 2011[citado em 2012 jan. 25];22(4):353-66. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/contribuicoes_psicologia_atencao_paciente_cirurgico.pdf

Fehring RJ. Methods to validate nursing diagnoses. Heart Lung. 1987[citado em 2012 jan. 25];16(6):625-9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3679856

Wileman RE. Visual communicating. 2a ed. New Jersey: Educational Technology Publications; 1993

Danek G, Gravenstein N, Lizdas DE, Lampotang S. Prevalence of dependente loops in urinary drainage systems in hospitalized patients. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2015[citado em 2018 jun. 28];42(3):273-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25945825

Meddings J, Saint S, Krein SL, Gaies E, Reichert H, Hickner A, et al. Systematic review of interventions to reduce urinary tract infection in nursing home residents. J Hops Med. 2017[citado em 2018 jun. 28];12(5):356-68. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28459908

Godfrey H, Fraczy L. Preventing and managing catheter associated urinary tract infections. Br J Community Nurs. 2005[citado em 2018 jun. 28];10(5):205-12. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3665614/

Napoleão AA, Caldato VG, Petrilli Filho JF. Diagnósticos de Enfermagem para o planejamento da alta de homens prostatectomizados: um estudo preliminar. Rev Eletrônica Enferm. 2009[citado em 2011 maio 11];11(2):286-94. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n2/v11n2a08.htm

Eves FJ, Rivera N. Prevention of urinary tract in persons with spinal cord injury. Home Healthc Nurse. 2010[citado em 2011 maio 11];28(4):230-41. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20520263

Wilde MH, Crean HF, McMahon JM, McDonald MV, Tang W, Brasch J, et al. Testing a model of self-management of fluid intake in community-residing long-term indwelling urinary catheter users. Nurs Res. 2016[citado em 2018 jun. 28];65(2):97-106. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26938358

Wojcik M, Dennison D. Photoselective vaporization of the prostate in ambulatory surgery. AORN J. 2006[citado em 2018 jun. 28];83(23):330-50. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16544855

Instituto Nacional de Câncer (INCA). Guia de nutrição para pacientes e cuidadores: orientações aos pacientes. 2a ed. Rio de Janeiro: INCA. 2010[citado em 2011 abr. 10]. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/Orientacoespacientes/guia_de_nutricao_para_pacientes_cuidadores.pdf

Ward-Smith P, Mehl J. Quality of life before and after prostatectomy as treatment for localized cancer. UrolNurs. 2007[citado em 2018 jun. 28];27(6):542-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18217538

Willener R, Hantikainen V. Individual quality of life following radical prostatectomy in men with prostate cancer. UrolNurs. 2005[citado em 2018 jan. 21];25(2):88-100. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15900977

Wilde MH, McDonald MV, Brasch J, McMahon JM, Fairbanks E, Shah S, et al. Long-term urinary catheter users self-care practices and problems. J Clin Nurs. 2013[citado em 2018 jan. 21];22(3-4):356-67. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23301577

Publicado

01-08-2019

Como Citar

1.
Medeiros AP de, Cieto BB, Garbuio DC, Napoleão AA. Validação de material educativo para homens em uso de cateter urinário de demora no domicílio. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 1º de agosto de 2019 [citado 23º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49804

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)