Direito e politicismo no Brasil: para uma análise da conjuntura nacional pré e pós golpe

Autores

  • Vitor Bartoletti Sartori Professor Adjunto do Departamento de Direito do Trabalho e Introdução ao Direito na Faculdade de Direito da UFMG. Mestre em história, Doutor em Filosofia e Teoria do Direito.

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2017.5048

Resumo

De acordo com Marx, o Direito conforma-se, efetivamente, como “reconhecimento oficial do fato”. Aqui, isto será visto ao tratarmos de tecer apontamentos sobre a gênese da conjuntura brasileira contemporânea, em que, da “luta por direitos” consagrada nos “novos movimentos sociais” que emergem na década 80 com grande esperança para a “nova esquerda”, chega-se ao impeachment de Dilma Rousseff. Pretende-se mostrar como que a crença “politicista” (Chasin), consagrada na emergência da “nova república”, tem como consequência o modo pelo qual a política institucional se coloca como um jogo de bastidores que se afasta da lutas sociais e que toma como referência implícita aquilo que José Chasin chamou de “miséria brasileira”. Disto surge também uma concepção “atrófica” de democracia, que passa a ser colocada enquanto “Estado de Direito”; da “centralidade” do Direito, quase que se modo natural, vai-se ao seu uso golpista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

SARTORI, V. B. Direito e politicismo no Brasil: para uma análise da conjuntura nacional pré e pós golpe. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, 2017. DOI: 10.35699/2525-8036.2017.5048. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/5048. Acesso em: 7 jul. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)