EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA (EPT)

OS DESAFIOS DA RELAÇÃO TRABALHO-EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2020.13522

Palavras-chave:

Educação Profissional e Tecnológica, Trabalho, Emancipação

Resumo

Este artigo tem por objetivo retomar alguns diálogos considerados essenciais acerca da Educação Profissional e Tecnológica e os desafios que inserem a mesma na relação entre trabalho/educação, formação/educação do ser humano e qualificação. O estudo utiliza como principais referenciais teóricos Marx, Frigotto, Ramos e Ciavatta. A organização desta pesquisa envolve características da pesquisa bibliográfica e de estudo de caso. Didaticamente, está estruturalmente subdividida em dois momentos: o primeiro momento diz respeito ao resgate da História da Educação Profissional no Brasil, seu processo de construção e sua atualidade. O segundo momento realiza uma abordagem salientando as relações que a Educação Profissional e Tecnológica estabelece com os direitos ao trabalho - educação, a partir de uma pesquisa de campo com alguns estudantes, em um Curso Técnico Subsequente, num Instituto Federal, localizado na região metropolitana de Porto Alegre. Ao retomarmos as principais conclusões obtidas, pontua-se: 1) recentemente houve uma expansão sem precedentes na história da Educação Profissional e Tecnológica federal na sociedade brasileira; 2) a Educação Profissional e Tecnológica está diretamente integrada e sofre influências do padrão de acumulação, que vem se modificando ao longo da história; 3) os estudantes acreditam na Educação Profissional e Tecnológica para o avanço nas condições de produção de suas vidas; 4) a Educação Profissional e Tecnológica deve ser democratizada, num caráter igualitário, irrestrito, e deve seguir com condições dignas para seu desenvolvimento, com o intuito de oportunizar a emancipação humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deloíze Lorenzet, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFSul)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestra em Educação pelo PPGEDU (Universidade de Passo Fundo), Graduada em Pedagogia pela UPF, Especialista em Psicopedagogia (UPF). Especialista em Administração, Orientação e Supervisão Escolar (UNIASSELVI). Pedagoga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Felipe Andreolla, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestre em Educação – PPGEDU/UFRGS, Especialista em Gestão Estratégica de Instituições da Educação Profissional, Especialista em Gestão Educacional. Graduado em Administração. Graduado em Formação Pedagógica. Gestor SENAI Garibaldi (RS).

Conceição Paludo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutora em Educação – PPGEDU/UFRGS. Mestra em Educação – PPGEDU/UFRGS, Especialista em Educação Psicomotora e Orientação Educacional. Graduada em Pedagogia. Docente pesquisadora na Linha TRAMSE – PPGEDU/UFRGS.

Referências

BRASIL, Câmara dos Deputados. Lei n.º 4.759, de 20 de agosto de 1965. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-4759-20-agosto-1965-368906-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 22 dez. 2018.

BRASIL, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Desemprego sobe para 12,7% com 13,4 milhões de pessoas em busca de trabalho. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/24283-desemprego-sobe-para-12-7-com-13-4-milhoes-de-pessoas-em-busca-de-trabalho. Acesso em: 22 mai. 2019.

BRASIL, Ministério da Educação. Decreto n.º 7.566, de 23 de setembro1909. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf. Acesso em: 02 de jan. 2018.

BRASIL, Ministério da Educação. Concepções e Diretrizes - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília: MEC, 2010. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=55&Itemid=50. Acesso em: 02 mai. 2017.

BRASIL, Portal da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Expansão da Rede Federal. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/expansao-da-rede-federal. Acesso em: 20 mai. 2019.

BRASIL, Planalto. Decreto n.º 4.048, de 22 de janeiro de 1942. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/Del4048.htm. Acesso em: 20 dez. 2017.

BRASIL, Planalto. Lei n.º 8.069, de 13 de julho de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm. Acesso em: 14 mar. 2019.

BRASIL, Planalto. Lei n.º 8.948, de 08 de dezembro de 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8948.htm. Acesso em: 10 jan. 2018.

BRASIL, Planalto. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 15 out. 2018.

BRASIL, Planalto. Lei n.º 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em 16 nov. 2018.

BRASIL, Planalto. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 10 abr. 2018.

CORTELLA, Mario Sergio. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 22. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CUNHA, Luiz Antônio. O Ensino de Ofícios nos Primórdios da Industrialização. São Paulo: Editora UNESP, Brasília, DF: Flacso, 2000.

FERNANDES, Florestan. O desafio educacional. São Paulo: Cortez, 1989.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. São Paulo: Cortez, 1993.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. (Org.). A experiência do trabalho e a educação básica. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. Educação Básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação e Sociedade. Campinas, v. 24, n. 82, p. 93-130, abr.2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v24n82/a05v24n82.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

GOMES, Carlos. (Org.). Trabalho e conhecimento: dilemas na educação do trabalhador. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

HARVEY, David. Espaços de Esperança. 7. ed. São Paulo: Loyola, 2015.

KONDER, Leandro. A construção da proposta pedagógica do SESC Rio. Rio de Janeiro: SENAC, 2000.

KUNZE, Nádia Cuiabano. O surgimento da rede federal de Educação Profissional nos primórdios do Regime Republicano Brasileiro. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica. Natal, v. 2, n. 2, p. 8-24, 2009. Disponível em: portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task. Acesso em: 17 out. 2018.

MARTINS, Evandro Silva. A etimologia de alguns vocábulos referentes à educação. Olhares & Trilhas. Uberlândia, Ano VI, n. 6, p. 31-36, 2005. Disponível em: www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/download/3475/2558. Acesso em: 20 mai. 2005.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Crítica da educação e do ensino. Lisboa/Portugal: Moraes Editores, 1978.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política: Livro 1: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

RAMOS, Marise Nogueira. História e Política da Educação Profissional. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014. Disponível em: http://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2016/05/Hist%C3%B3ria-e-pol%C3%ADtica-daeduca%C3%A7%C3%A3o-profissional.pdf . Acesso em: 22 mai. 2019.

THOMPSON, Eduard. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1981.

Downloads

Publicado

2020-09-04

Como Citar

LORENZET, D.; ANDREOLLA, F.; PALUDO, C. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA (EPT): OS DESAFIOS DA RELAÇÃO TRABALHO-EDUCAÇÃO. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 15–28, 2020. DOI: 10.35699/2238-037X.2020.13522. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/13522. Acesso em: 28 nov. 2020.

Edição

Seção

ARTIGOS