PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NAS PRECEPTORIAS EM SAÚDE

PERCEPÇÃO E ADAPTAÇÃO DE RESIDENTES MULTIPROFISSIONAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.25225

Palavras-chave:

Equipe multiprofissional, Preceptoria, Prática Profissional

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar as percepções de residentes sobre o processo de ensino e aprendizagem em sua formação nos cenários de prática e sua adaptação ao mesmo. Participaram 25 residentes do 2º ano de 5 programas de residência multiprofissional de uma faculdade pública paulista, que responderam a um questionário com perguntas abertas e fechadas sobre o tema. Os resultados indicaram que a residência é um espaço potente de formação, no qual se utilizam metodologias ativas e desenvolve-se certa autonomia dos residentes. O processo de ensino e aprendizagem tem ocorrido nas preceptorias de modo a facilitar a integração ensino e serviço. Existem, porém, algumas limitações a serem superadas, como esclarecimento sobre os papéis dos residentes e preceptores, sobre as atividades previstas para a formação e a caracterização do perfil dos residentes ingressantes. Identificam a necessidade de fortalecimento da relação preceptor-residente, aprimoramento do acolhimento dos residentes, especialmente daqueles sem vivências de métodos ativos, e investimento contínuo na formação dos preceptores.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Cicarelli, Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA)

Mestre pelo Programa de Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Especialista em Educação Profissional na área da Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Especialista em Saúde da Família pela Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Graduação em Enfermagem pela Faculdade de Medicina de Marília. Enfermeira, Servidora Pública no Departamento Regional de Saúde- IX- Marília, no Centro de Avaliação em Saúde.

Camila Mugnai Vieira, Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA)

Pós-doutoranda em Educação pela UNESP/ Marília, Doutora em Educação pela UNESP/Marília. Mestrado em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos, Graduação em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina.  Docente da Faculdade de Medicina de Marília (Famema).

Referências

AFONSO, Denise H.; SILVEIRA, Lia M. C. da. Os desafios na formação de futuros preceptores no contexto de reorientação da educação médica. Revista do Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ, v. 11, n. 1, p. 82-86, 2011. Disponível em: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=313. Acesso: 04 jun. 2020.

ANTUNES, Juliane de Macedo. A preceptoria na formação do residente em Enfermagem em Saúde Coletiva: o aprender e o ensinar no cotidiano do Sistema Único de Saúde. 2016. 93p. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino na Saúde) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2016. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/5935/1/Juliane-%20de%20Macedo%20Antunes.pdf. Acesso em: 04 maio 2020.

AZANHA, José Mário Pires. Parâmetros curriculares nacionais e autonomia da escola. International Studies on Law and Education, n. 3, p. 23-32, 2001. Disponível em: http://www.hottopos.com-/harvard3/zemar.htm. Acesso em: 04 maio 2020.

BATISTA, Karina Barros Calife; GONCALVES, Otília Simões Janeiro. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saude soc., São Paulo, v. 20, n. 4, p. 884-899, dez. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902011000400007.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011. DOI: 10.5433/1679-0359.2011v32n1p25.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface (Botucatu), v. 2, n. 2, p. 139-154, 1998. DOI: 10.1590/S1414-32831998000100008.

BOTTI Sérgio. Principais atributos de um preceptor de residência médica. In: CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ. Manual do preceptor de residência médica. Curitiba, PR: CRMPR, 2011. p. 37-40. Disponível em: https://www.crmpr.org.br/uploadAddress/edicaopreceptor-[3667].pdf. Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Constituição da república federativa do Brasil de 1988. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 05 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 19 set. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nº s 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 30 de junho de 2005a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11129.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Interministerial nº 1.077, de 12 de novembro de 2009. Institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Ministério da Educação. Brasília,DF, 12 de novembro de 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view-=download&alias=15462-por-1077-12nov-2009&Itemid=30192. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.111, de 5 de julho de 2005. Fixa normas para a implementação e a execução do Programa de Bolsas para a Educação pelo Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 7 de julho de 2005b; Seção 1:47. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm-/2005/prt1111_05_07_2005.html. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília, 2006.

BRASIL. Secretaria de Educação Superior. Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Resolução n. 2, de 13 de abril de 2012. Dispõe sobre diretrizes gerais para os programas de residência multiprofissional e em profissional de saúde. Brasília,DF, 2012.

CAVALHEIRO, Maria Teresa Pereira; GUIMARÃES Alóide Ladeia. Formação para o SUS e os desafios da integração ensino serviço. Caderno FNEPAS, v. 1, p. 19-27, 2011. Disponível em: http://www.fnepas.org.br/artigos_caderno/v11/artigo2_formacao_para_sus.pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

COSTA NETO, Patrícia Elisabeth Widmer; BATISTA, Sylvia Helena Souza da Silva. Preceptoria na formação em saúde: uma incursão na literatura. In: SILVA, Gilberto Tadeu Reis da (Org.). Residência multiprofissional em saúde: vivências e cenários da formação. São Paulo: Martinari, 2013. p. 47-60.

CYRINO, Eliana Goldfarb; TORALLES-PEREIRA, Maria Lúcia. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 780-788, maio/jun., 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v20n3/15. Acesso em: 02 maio 2020.

DINIZ, Neila Fernanda Pereira de Souza; AIRES, Sueli. Grupo de escuta e reflexão com estudantes universitários. Vínculo – Revista do NESME, v. 15, n. 1, p. 61-75, 2018. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/vinculo/v15n1/v15n1a07.pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA. Edital n° 03/2017. Inscrições para o processo seletivo de Admissão ao Primeiro Ano de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde. Marília,SP, 2017.

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA. Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental: caderno do programa. Marília,SP, 2020a.

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA. Residência Integrada Multiprofissional em Saúde: área Saúde Coletiva. Caderno do programa. Marília,SP, 2020b.

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA. Residência Integrada Multiprofissional em Saúde 2011-2013: área Materno Infantil. Marília,SP, 2011.

FERREIRA, Ricardo Correa; TSUJI, Hissachi; TONHOM, Silvia Franco Rocha. Aprendizagem Baseada em Problemas no internato: há continuidade do processo de ensino e aprendizagem ativo?. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 276-285, jun. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v39n2e01412013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

HAUBRICH, Paula Lopes Gomide et al. Intenções entre tensões: as residências multiprofissionais em saúde como locus privilegiado da educação permanente em saúde. Saúde em Redes, v. 1, n. 1, p. 47-56, 2015. Disponível em: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/rede-unida/article/view/304. Acesso em: 02 maio 2020.

HONDA, Karla; CHIRELLI, Mara Quaglio. Residência Multiprofissional em Saúde: formação com metodologias ativas de ensino-aprendizagem desenvolvimento curricular e didática. Indagatio Didactica, v. 7, n. 3, p. 50-61, 2015. DOI: https://doi.org/10.34624/id.v7i3.2836.

LEFÈVRE, Ana Maria Cavalcanti et al. Assistência pública à saúde no Brasil: estudo de seis ancoragens. Saude soc., São Paulo, v. 11, n. 2, p. 35-47, dez. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902002000200004.

LIMA, Maria Socorro Lucena; PIMENTA, Selma Garrido. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2018.

MAROJA, Maria Clara Santana; ALMEIDA JUNIOR, José Jailson de; NORONHA, Claudianny Amorim. Os desafios da formação problematizadora para profissionais de saúde em um programa de residência multiprofissional. Interface (Botucatu), Botucatu,SP, v. 24, e180616, 2020. DOI: http://dx.doi.org/ 10.1590/interface.180616.

MELLO, Amanda de Lemos et al. Fatores que interferem no ensino e aprendizagem de residentes multiprofissionais em saúde: revisão integrativa. ABCS Health Sciences, v. 44, n. 2, p. 138-146, 2019. DOI: 10.7322/abcshs.v44i2.1176.

MELLO, Amanda Lemos et al. Formação de residentes multiprofissionais em saúde: limites e contribuições para a integração ensino-serviço. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, v. 8, e2567, 2018. DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v8i0.2567.

MENDES, Tatiana de Medeiros Carvalho et al. Interação ensino-serviço-comunidade no Brasil e o que dizem os atores dos cenários de prática: uma revisão integrativa. Revista Ciências Plural, v. 4, n. 1, p. 98-116, jul. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/14283. Acesso em: 20 maio 2020.

MIOTO, Regina Célia Tamaso et al. As residências multiprofissionais em saúde: a experiência da Universidade Federal de Santa Catarina. Serviço Social e Saúde, v. 11, n. 2, p. 185-208. DOI: 10.20396/sss.v11i2.8635288.

NASCIMENTO, Débora Dupas Gonçalves dos; OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos. Reflexões sobre as competências profissionais para o processo de trabalho nos núcleos de apoio à saúde da família. O Mundo da Saúde, v. 34, n. 1, p. 92-96, 2010. DOI: 10.15343/0104-7809.201019296.

PAIVA, Marlla Rúbya Ferreira et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare, v. 15, n. 2, p. 145-153, 2016. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article-/view/1049. Acesso em: 20 maio 2020.

RIBEIRO, Kátia Regina Barros; PRADO, Marta Lenise do. A prática educativa dos preceptores nas residências em saúde: um estudo de reflexão. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 35, n. 1, p. 161-5, 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/43731. Acesso em: 04 maio 2020.

ROSSATO, Lucas; SCORSOLINI-COMIN, Fábio. “Chega Mais”: O grupo reflexivo como espaço de acolhimento para ingressantes no ensino superior. Rev. SPAGESP, Ribeirão Preto, v. 20, n. 1, p. 1-8, jan. 2019. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702019000100001&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 02 maio 2020.

SANTOS, Anelise Schaurich dos et al. Atuação do Psicólogo Escolar e Educacional no ensino superior: reflexões sobre práticas. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 19, n. 3, p. 515-524, dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0193888.

SANTOS, José Wilson dos et al. Metodologias de ensino aprendizagem em anatomia humana. Ensino Em Revista, Uberlândia, MG, v. 24, n. 2, p. 364-386, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.14393ER-v24n2a2017-04.

SILVA, Cristiane Trivisol da et al. Educação permanente em saúde a partir de profissionais de uma residência multidisciplinar: estudo de caso. Rev Gaúcha Enferm., v. 35, n. 3, p. 49-54, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2014.03.44512.

SOUSA, Cristina Silva et al. Perfil do ingressante na residência multiprofissional e em área de saúde de um hospital privado brasileiro. Rev. Iberoam. Educ. investi. Enferm., Madrid, v. 6, n. 4, p. 26-32, out./dez. 2016. Disponível em: https://journaldedados.files.wordpress.com/2016/10/aladefe_octubre-2016.pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

TAVARES, Manuel. O fenômeno educativo entre a ideologia e a utopia. O pensamento de Paul Ricoeur; fundamentos para uma educação emancipatória. Revista Lusófona de Educação, v. 1, p. 13-37, 2003. Disponível em: https://recil.grupolusofona.pt/bitstream/10437/298/1/artigo1_manuel_tavares.pdf. Acesso em: 02 maio 2020.

VIEIRA, Alessandra dos Santos Tavares et al. Programa de residência multiprofissional em saúde: fortalecendo a integração profissional em contextos reais de aprendizagem. JMPHC – Journal of Management & Primary Health Care, v. 8, n. 3, p. 35, 2017. DOI: https://doi.org/10.14295/jmphc.v8i3.649.

VILLARDI, Raquel; OLIVEIRA, Eloisa da Silva Gomes de. Tecnologia na educação: uma perspectiva sociointeracionista. Rio de Janeiro: Dunya, 2005.

WEBER, Caroline et al. Integração ensino-serviço-gestão na saúde bucal em Santa Maria e região: relato de experiência em estágio curricular acadêmico e Residência Multiprofissional. Rev ABENO, v. 17, n. 4, p. 144-152, 2017. DOI: 10.30979/rev.abeno.v17i4.484.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

CICARELLI, K.; VIEIRA, C. M. PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NAS PRECEPTORIAS EM SAÚDE: PERCEPÇÃO E ADAPTAÇÃO DE RESIDENTES MULTIPROFISSIONAIS . Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 2, p. 121–139, 2021. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.25225. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/25225. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS