TRABALHO INFANTIL, FAMÍLIA, IDENTIDADE E SAÚDE MENTAL: INDAGAÇÕES CONSTRUÍDAS DIANTE DE UM FENÔMENO FAMILIAR TRANSGERACIONAL

Autores

  • Walter Ernesto Ude Marques

Palavras-chave:

Trabalho infantil, família, identidade, saúde mental

Resumo

Este estudo visa discutir os possíveis comprometimentos para a saúde mental dos pequenos trabalhadores e de seus familiares no contexto do trabalho infantil realizado nas ruas da cidade de Belo Horizonte - MG. Nesse sentido, a identidade representou um elemento balizador desta discussão, considerando que crianças estavam assumindo atribuições que cabiam aos adultos do grupo familiar, e os adultos, por sua vez, se sentiam impossibilitados de assumir determinados papéis familiares diante de situações de precariedade social geradas pela condição de desempregados ou subempregados, como também pela fragilidade das políticas públicas do nosso país. Trata-se de uma pesquisa original, no que se refere à tentativa de compreender a dinâmica familiar de grupos que dependem dessa estratégia de sobrevivência, já que a bibliografia encontrada sobre o assunto revelou que a maioria dos trabalhos restringiram-se à apresentação de dados estatísticos e demográficos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-05-08

Como Citar

MARQUES, W. E. U. TRABALHO INFANTIL, FAMÍLIA, IDENTIDADE E SAÚDE MENTAL: INDAGAÇÕES CONSTRUÍDAS DIANTE DE UM FENÔMENO FAMILIAR TRANSGERACIONAL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 29–42, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/8863. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS