PRÁTICA FORMATIVA

A DOCÊNCIA EM CONSTRUÇÃO, UMA BUSCA DA IDENTIDADE E PROFISSIONALIDADE DOCENTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17648/2238-037X-trabedu-v29n1-9859

Palavras-chave:

Política educacional, PNEM, Formação de professores

Resumo

O Programa PNEM, política pública educacional destinada à formação dos professores, demonstrou ser de grande relevância para o desafio de fomentar a formação continuada. Procuramos analisar a concepção dos professores orientadores(as) de estudo sobre a política de formação continuada vivenciada no PNEM. Enfatizamos que apesar das dificuldades estruturais que marcam a educação no Brasil, houve uma avaliação positiva que destacam a qualidade e os resultados do programa. No qual se sobressai a mobilização da reflexividade crítica, a preocupação dos orientadores em melhorar o processo de ensino e aprendizagem. Informações que corroboram com o objetivo desse texto de analisar o que pensam os professores que foram orientadores de estudo, sobre o programa e a necessidade da continuidade dos estudos. O PNEM se mostrou uma política importante para nossa investigação acerca dos sentidos atribuídos à formação continuada por parte dos professores. Assim concluímos que o programa se mostrou ser um momento importante para a formação continuada dos(as) orientadores(as) e contribuiu imensamente com o repensar da prática docente no Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julierme Antonio dos Santos, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Mestre em Educação, Culturas e Identidades – Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE / Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ. Possui graduação em Direito pela Faculdade Maurício de Nassau - Recife (2011) e graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade de Pernambuco (2005). Atualmente é professor ensino fundamental 2, médio e EJA - Secretária de Educação de Pernambuco

Bruna Tarcília Ferraz, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Professora Adjunta 3 do Departamento de Educação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), do núcleo de Formação de Professores e Prática Pedagógica. Mestre em Educação pela UFPE, 2006.2 pela linha de Pesquisa Política Educacional, Planejamento e Gestão da Educação, Coordenadora Pedagógica do Programa Formação Continuada de Professores/as e Prática Pedagógica: Ação/Reflexão/Ação. NEFOPP/DEd/UFRPE - Rede Nacional de Formação Continuada dos Profissionais da Educação Básica SEB/SECAD/SEESP/MEC

Referências

ALARCÃO, Isabel. A Escola Reflexiva. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola Reflexiva e Nova Racinalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 15-30.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Parecer Cne/cp nº 2/2015, de 09 de junho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais Para A Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília, DF, 25 jun. 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17625-parecer-cne-cp-2-2015-aprovado-9-junho-2015&category_slug=junho-2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 05 jan. 2017.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 15. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. Edição, São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 48. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005. 213 p.

LIBÂNEO, J. C.Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: Mf Livros, 2008. 319 p.

MELO, Katia Maria Silva de. Formação e profissionalização docente: o discurso das competências. Maceió: Edufal, 2007. 159 p.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17719-res-cne-cp-002-03072015&category_slug=julho-2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 05 jan. 2017.

MORGADO, José Carlos. Identidade e profissionalidade docente: sentidos e (im)possibilidades. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 793-812, dez. 2011. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362011000500004.

NÓVOA, António. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. 5. ed. Porto: Porto Editora, 1999a. cap. 1. p. 13-35.

NÓVOA, António. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, Lisboa, v. 25, n. 1, p. 1-15, jun. 1999b. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97021999000100002. Acesso em: 27 ago. 2016.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 143-155, abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12.pdf. Acesso em: 21 dez. 2016.

SANTOS, Julierme Antonio dos. A formação continuada no pacto nacional pelo fortalecimento do ensino médio: o que pensam os professores orientadores? 2018. 178 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Culturas e Identidades) - Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFPE/Fundação Joaquim Nabuco-FUNDAJ, Recife, 2018.

ZEICHNER, Kenneth M. Uma análise crítica sobre a "reflexão" como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302008000200012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 28 ago. 2017.

Downloads

Publicado

2020-05-18

Como Citar

SANTOS, J. A. dos; FERRAZ, B. T. PRÁTICA FORMATIVA: A DOCÊNCIA EM CONSTRUÇÃO, UMA BUSCA DA IDENTIDADE E PROFISSIONALIDADE DOCENTE. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 29, n. 1, p. 33–46, 2020. DOI: 10.17648/2238-037X-trabedu-v29n1-9859. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9859. Acesso em: 17 maio. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS