v. 11 n. 20 (2017): Textualidades judaicas contemporâneas

					Visualizar v. 11 n. 20 (2017): Textualidades judaicas contemporâneas

Apresentação

Lyslei Nascimento (Universidade Federal de Minas Gerais) e Nancy Rozenchan (Universidade de São Paulo)

A Arquivo Maaravi: Revista Digital do Núcleo de Estudos Judaicos da UFMG, n. 20, recebeu, para este dossiê, artigos que refletem sobre formas de textualidades judaicas na contemporaneidade. A tradição judaica, de forma paradigmática, permite abordar a ficção, bem como as relações da literatura com a tecnologia, o cinema, a fotografia, a cibernética e as artes visuais e gráficas em geral. Os valores literários, considerados imprescindíveis, que Italo Calvino elencou em Seis propostas para o próximo milênio – a leveza, a exatidão, a multiplicidade, a rapidez, a visibilidade e a consistência – são alguns dos operadores capazes de delinear, em vários níveis, a inscrição dessa tradição na atualidade, sua incidência e estratégia de enunciação e resistência. Das tábuas da Lei às telas do computador, como apontam Regina Zilberman e Marisa Lajolo, a relação dos judeus com as palavras é fundamental. Da materialidade do suporte sobre a qual se instala a produção literária, passando pelo hipertexto e pela invenção de realidades virtuais, a textualidade judaica também põe em cena o escritor e sua representação, nem sempre cordiais ou submissos, com o ofício da literatura. Amós Oz e Fania Oz-Salzberger definem a controvérsia, a ironia, o autoexame, além de uma particular relação com a memória, como estratégias discursivas em que a experimentação de estilos, de gêneros, de autorias, configura uma linhagem de textos que exibe múltiplas vozes, lugares e formas de inscrição de uma tradição criativa e criadora.
Publicado: 2017-05-31

Arte

Artigo-Dossiê

Conto

Crônica

Estante Maaravi

Humor

Poema