Epissemiótica: entorno, contorno e turno

Autores

  • Ana Cristina Fricke Matte Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.7.1.139-147

Palavras-chave:

Semiótica. Epistemologia. Unidade de sentido. Texto. Contexto. Corpo.

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de estabelecer alguns princípios, com base na epistemologia que sustenta a teoria semiótica greimasiana, com a finalidade de viabilizar a interdisciplinaridade desta com outras teorias, em qualquer domínio do conhecimento. Não se trata de uma investida exaustiva nas questões epistemológicas de maior importância para a teoria semiótica greimasiana, mas a discussão daqueles pontos que, em nossas abordagens interdisciplinares, mostraram-se de fundamental importância para um bom relacionamento entre as disciplinas implicadas. Assim, procuramos aqui definir questões como: qual a unidade mínima de análise para a semiótica? Como a semiótica vê a relação entre texto e contexto? E qual a relação possível entre o corpo ontológico e o corpo linguageiro?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Fricke Matte, Universidade Federal de Minas Gerais

ANA CRISTINA FRICKE MATTE CONCLUIU O DOUTORADO EM SEMIÓTICA E LINGUISTICA GERAL PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EM 2002. ATUALMENTE É PROFESSORA DOUTORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. LIDERA O GRUPO DE PESQUISA TEXTO LIVRE: SEMIÓTICA E TECNOLOGIA, REGISTRADO NO DIRETÓRIO DE GRUPOS DO CNPQ. ATUA NA ÁREA DE LINGUÍSTICA APLICADA, COM ÊNFASE EM SEMIÓTICA, NA ÁREA INTERDISCIPLINAR DE LINGUAGEM E TECNOLOGIA, LINHA DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS. É A ADMINISTRADORA ACADÊMICA DO GRUPO E EDITORA RESPONSÁVEL DA REVISTA CIENTÍFICA TEXTO LIVRE, NA ÁREA DE DOCUMENTAÇÃO EM SOFTWARE LIVRE, ENSINO DE LEITURA/ESCRITA E SEMIÓTICA. EM SEU CURRÍCULO LATTES OS TERMOS MAIS FREQUENTES NA CONTEXTUALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA E ARTÍSTICO-CULTURAL SÃO: SEMIÓTICA, CANÇÃO, FONOESTILISTICA E EMOÇÃO. TEMAS RECORRENTE EM SEUS TRABALHOS SÃO SEMIÓTICA, SOFTWARE LIVRE E CULTURA LIVRE. GRADUOU-SE EM MÚSICA POPULAR PELA UNICAMP EM 1993.

Referências

BICUDO, Francisco. Golpe de vista. Equações simples explicam a localização de objetos que parecem surgir do nada. Pesquisa FAPESP, Edição Impressa 111 - Maio 2005. http://revistapesquisa2.fapesp.br/?art=34&bd=1&pg=1&lg=. Acesso em: 12 abr. 2012.

CRUZ, Dilson F. Algumas considerações sobre o crer e o saber. Revista Estudos Semióticos, vol.4, 2008. URL Disponível em: http://www.fflch.usp.br/dl/semiotica/es/eSSe4/2008-eSSe%5B4%5D-D.F.daCRUZ.pdf. Acesso em: 26 nov. 2011.

GREIMAS, A. & COURTÉS, J. Dicionário de Semiótica. São Paulo: Cultrix, s/data, p. 152-153.

KRISTEVA, Julia. The portable Kristeva. Columbia University Press, 2002.

MERLEAU-PONTY, Maurice. L'entrelacs – le chiasme. In: Le visible et le invisible. Gallimard: Paris, 1964. p. 173-204.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. Editora Cultrix, 2008.

SCHWARZKOPF, D Samuel; SONG, Cheng; REES, Geraint. The surface area of human V1 predicts the subjective experience of object size. In: Nature Neuroscience 14, 28–30, 2011. Disponível em: http://www.nature.com/neuro/journal/v14/n1/abs/nn.2706.html . Acesso em: 12 abr. 2012.

Downloads

Publicado

2014-03-22

Como Citar

MATTE, A. C. F. Epissemiótica: entorno, contorno e turno. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 7, n. 1, p. 139–147, 2014. DOI: 10.17851/1983-3652.7.1.139-147. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16663. Acesso em: 16 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>