A utilização de jogos digitais educacionais na educação de jovens e adultos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2020.25572

Palavras-chave:

Jogos digitais educacionais, Educação de jovens e adultos, Tecnologias digitais

Resumo

Os jogos educacionais digitais têm sido importantes ferramentas para a aprendizagem de diversos conteúdos. No entanto, na Educação de Jovens e Adultos (EJA), modalidade carente de material didático, esses recursos não têm sido muito utilizados, pois são escassos os jogos educacionais criados para este público. Acreditamos que uma das razões para esta carência seja o fato de se pensar que esses recursos são mais atrativos para crianças. Considerando o exposto, para este artigo, construímos um jogo educacional digital, a fim de explorar o seu potencial na EJA, com vistas a investigar se este contribui para a aprendizagem, por meio de práticas de letramentos. Como contribuição teórica, este artigo baseia-se, principalmente, em: Prensky (2001), Savi e Ulbricht (2008) e Pinheiro, Lima e Araújo (2020), sobre os benefícios dos jogos digitais educacionais para a aprendizagem; Freire (2018; 1987), sobre a conscientização do indivíduo e a aprendizagem contextualizada; Soares (2004), Kleiman (2007), Catelli Jr. (2014) e Pinheiro (2018) sobre letramentos. Dessa forma, após o desenvolvimento do jogo digital Xote da Preservação, que aborda questões ambientais, este foi aplicado em uma turma de jovens e adultos e buscamos, a partir da observação desta prática e de entrevistas, analisar suas considerações a respeito da atividade proposta. Como resultados, verificamos que o objeto desta investigação demonstrou grande potencial para alfabetização e conscientização dos alunos e, apesar de esta pesquisa identificar que as práticas auxiliadas pelas tecnologias não são recorrentes com o público-participante, o jogo despertou o interesse de todos os envolvidos, que se mostraram satisfeitos em jogá-lo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Claudia Pinheiro, Universidade Estadual do Ceará

Professora do Curso de Pedagogia (CECITEC) e do Mestrado Interdisciplinar em História e Letras, da Universidade Estadual do Ceará.

José Rogério de Oliveira, Universidade Estadual do Ceará

Graduado em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará.

Referências

ARAÚJO, N. M. S.; RIBEIRO, F. R.; SANTOS, S. F. Jogos pedagógicos e responsividade: ludicidade, compreensão leitora e aprendizagem. Bakhtiniana. Revista de Estudos do Discurso, v. 7, n. 1, p. 4-23, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/bak/v7n1/v7n1a02.

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes de Bases da Educação Nacional. 2. ed. Brasília: Senado Federal, 1996. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/544283/lei_de_diretrizes_e_bases_2ed.pdf . Acesso em: 30 jun. 2019.

BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação – PNE, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em: 20 jun. 2020.

BUZATO, M. E. K. Letramentos multimodais críticos: contorno e possibilidades. Revista Crop. Nº 12/2007, p. 108-144.

CATELLI Jr., R. Alfabetização de jovens e adultos no Brasil: de programa em programa. In: MORTATTI, M. R.; FRADE, I. C. S. (org.). Alfabetização e seus sentidos: o que sabemos, fazemos e queremos? São Paulo: UNESP, 2014. p. 91-108. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/alfabetizacao_ebook.pdf. Acesso em: 31 out. 2019.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

FREIRE, P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 16ª. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1987.

GRAY, D. E. Pesquisa no Mundo Real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 18 de maio, de 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/21255-analfabetismo-cai-em-2017-mas-segue-acima-da-meta-para-2015. Acesso em: 05 ago. 2019.

KLEIMAN, A. B. O conceito de letramento e suas implicações para a alfabetização. Projeto Temático Letramento do Professor, fev. 2007. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/download/ALFABETIZACAO/Anexo3.doc. Acesso em: 22 set. 2019.

PAULA, B. H. de. Jogos digitais como artefatos pedagógicos: o desenvolvimento de jogos digitais como estratégia educacional. 2015. 227 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

PINHEIRO, R. C.; CAVALCANTE, G. R. M.; AMORIM, N. O. Jogos digitais para alfabetização. Domínios de Lingu@gem, v. 12, n. 1, 2018, p. 653-680. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/38614/21982. Acesso em: 21 abr. 2020.

PINHEIRO, R. C. Conceitos e modelos de letramento digital: o que escolas de ensino fundamental adotam? Linguagem em (Dis)curso–LemD, Tubarão, SC, v. 18, n. 3, p. 603-622, set./dez. 2018. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/7059/4114. Acesso em: 05 maio 2020.

PINHEIRO, R. C.; LIMA, F. A.; ARAÚJO, J. Jogos digitais como motivação para a leitura. Diacrítica. Vol. 34, n.º 1, 2020, p. 173-198. Disponível em: http://diacritica.ilch.uminho.pt/index.php/dia/article/view/349/137. Acesso em: 01 maio 2020.

PRENSKY, M. Fun, play and games: what makes games engaging. Digital game-based learning. New York: McGraw-Hill, 2001. p. 1-31. Disponível em: http://www.autzones.com/din6000/textes/semaine13/Prensky(2001).pdf. Acesso em: 05 nov. 2019.

SAVI, R.; ULBRICHT, V. R. Jogos Digitais Educacionais: Benefícios e Desafios. RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 6, n. 2, p. 1-10, dez. 2008. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/renote/article/viewFile/14405/8310. Acesso em: 11 ago. 2019.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 25, p. 5-17, abr. 2004.

Downloads

Publicado

2020-09-29

Como Citar

PINHEIRO, R. C. .; OLIVEIRA, J. R. de . A utilização de jogos digitais educacionais na educação de jovens e adultos. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 13, n. 3, p. 200–223, 2020. DOI: 10.35699/1983-3652.2020.25572. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/25572. Acesso em: 9 dez. 2021.