Ingestão de solo por vacas leiteiras a pasto

Autores

  • Bárbara Cardoso da Mata e Silva Universidade José do Rosário Vellano http://orcid.org/0000-0003-0295-4601
  • Fernando César Ferraz Lopes Analista da Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora/MG
  • Albert José dos Anjos Mestre em Zootecnia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, MG
  • Afrânio Silva Madeiro Prof. Dr. Escola Agrotécnica da Universidade Federal de Roraima, Campus Murupu
  • Vinícius Sacramento Pacheco Mestrando em Ecologia aplicado ao Manejo e Conservação de Recursos Naturais pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Juliana Dias Doutoranda em Zootecnia, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG

Palavras-chave:

Contaminação. Dióxido de titânio. Pastagem.

Resumo

Objetivou-se com a revisão reunir informações sobre o consumo involuntário de solo por vacas leiteiras a pasto, fato este relacionado ao manejo da pastagem, a estação do ano, espécie forrageira e ao tipo de solo. A ingestão de solo por bovinos leiteiros pode ser via potencial de entrada de contaminantes na cadeia alimentar como, por exemplo, metais pesados ou poluentes orgânicos presentes na camada superficial do solo, sendo importante do ponto de vista da saúde humana. A quantidade do solo ingerida por bovinos leiteiros manejados em pastagem de clima temperado varia de 0,5 a 1,86 kg/dia, e dependendo do tipo e dos seus constituintes, pode influenciar em experimentos que utilizam o dióxido de titânio para a estimativa da produção fecal, e posteriormente no cálculo do consumo de matéria seca, em virtude da presença desse composto no solo. Desse modo, fazem-se necessários estudos para a avaliação do consumo involuntário de solo por vacas manejadas sob pastejo em ambiente tropical, bem como sua influência na estimação da produção fecal quando indicadores externos como o dióxido de titânio são utilizados. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Cardoso da Mata e Silva, Universidade José do Rosário Vellano

Zootecnista, docente do Programa de Pós-Graduação em Reprocução, Sanidade e Bem-estar animal

Referências

ANDRADE, L. N.; LEITE, M. G. P.; BACELLAR, L. A. P. Composição mineralógica e geoquímica dos solos do parque estadual do Itacolomi - Ouro Preto/MG. Quaternary and Environmental Geosciences, v. 3, p. 1-8, 2012.
BASTOS, L. H. P. et al. Possíveis fontes de contaminação do alimento leite, por agrotóxicos, e estudos de monitoramento de seus resíduos: uma revisão nacional. Cadernos Saúde Coletiva, v. 19, p. 51-60, 2011.
BERESFORD, N. A.; HOWARD, B. J. The importance of soil adhered to vegetation as a source of radionuclides ingested by grazing animals Science of the Total Environment, v. 107, p. 237–254, 1991.
BEYER, W. N.; CONNOR, E. E.; GEROULD, S. Estimates of soil ingestion by wildlife. The Journal of Wildlife Management, v. 58, p. 375–382, 1994.
BRASIL, Portaria nº. 685/98. Aprova o Regulamento Técnico: “Princípios Gerais para o Estabelecimento de Níveis Máximos de Contaminantes Químicos em Alimentos” e seu Anexo: “Limites máximos de tolerância para contaminantes inorgânicos” complementa e faz algumas modificações no Decreto Lei nº 55.871, de 26 de março de 1965.
CARVALHO FILHO, A. Solos e ambientes do Quadrilátero Ferrífero (MG) e aptidão silvicultural dos Tabuleiros Costeiros. 2008. 245 f. Tese (Doutorado em Ciência do Solo). Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
CONRAD, J. H. Administração racional de suplementos minerais a nível de fazenda. In: SIMPÓSIO SOBRE NUTRIÇÃO MINERAL, 1984. Anais… São Paulo, p. 57-67, 1984.
DELAGARDE, R. et al. Graze in: a model of herbage intake and milk production for grazing dairy cows. 2. Prediction of intake under rotational and continuously stocked grazing management. Grass and Forage Science, v. 66, p. 45–60, 2011.
FERREIRA, B. A. et al. Óxidos de ferro das frações areia e silte de um nitossolo desenvolvido de basalto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 27, p. 405-413, 2003.
FRIES, G. F.; MARROW, G. S.; SNOW, P. A. Soil ingestion by dairy cattle. Journal of Dairy Science, v. 65, p. 611–618, 1982.
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA. Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Manual de Preenchimento da Ficha de Notificação e de Atendimento: Centros de Assistência Toxicológica. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2001.
GEBREMICHAEL, S.; BIRHANU, T.; TESSEMA, D. A. Analysis of organochlorine pesticide residues in human and cow’s milk in the towns of Asendabo, Serbo and Jimma in South-Western Ethiopia. Chemosphere, v. 90, p. 1652-1657, 2013.
HEALY, W. B. Ingestion of soil by dairy cows. New Zealand Journal of Agricultural Research, v. 11, p. 487-499, 1968.
HEALY, W. B.; LUDWIG, T. G. Wear of sheep’s teeth. The role of ingested soil. New Zealand Journal of Agricultural Research, v. 8, p. 737–752, 1965.
HERLIN, A.; ANDERSSON, I. Soil ingestion in farm animals. Report from the Swedish University of Agricultural Sciences, Department of Biosystems and Technology. Swedish University of Agricultural Sciences, Lund, Sweden, 1996.
IKEDA, M. et al. Urban population exposure to lead and cadmium in east and south-east Asia. Science of The Total Environment, v. 249, p. 373-384, 2000.
JOBIM, C. F. P. et al. Existe uma associação entre mortalidade por câncer e uso de agrotóxicos? Uma contribuição ao debate. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, p. 277-288, 2010.
JURJANZ; S. et al. Soil intake of lactating dairy cows in intensive strip grazing systems. Animal, v. 6, p. 1350–1359, 2012.
KREULEN, D. A. Lick use by large herbivores: a review of benefits and banes of soil consumption. Mammal Review, v. 15, p. 107–123, 1985.
MAMONTOVA, E. A. et al. The influence of soil contamination on the concentrations of PCBs in milk in Siberia. Chemosphere, v. 67, p. 571–57, 2007.
MAYLAND H. F.; SHEWMAKER G. E.; BULL R. C. Soil ingestion by cattle grazing crested wheatgrass. Journal of Range Management, v. 30, p. 264–265, 1977.
MAYLAND, H. F.; FLORENCE, A. R.; ROSENAU, R. C. Soil ingestion by cattle on semiarid range as reflected by titanium analysis of feces. Journal of Range Management, v. 28, p. 448-452, 1975.
McGRATH, D. et al. Soil ingestion by grazing sheep. Iranian Journal of Agricultural Research, v. 21, p. 135-145,1982.
MELO, V. F. et al. Caracterização física, química e mineralógica de solos da colônia agrícola do Apiaú (Roraima, Amazônia), sob diferentes usos e após queima. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 30, p. 1039-1050, 2006.
MILLER, J. K.; MADSEN, F. C.; SWANSON, E. W. Effects of ingested soil on ration utilization by dairy cows. Journal of Dairy Science, v. 60, p. 618–622, 1977.
OUACHEM, D.; NOUICER, F. L’argile, source biologique ameliorant le metabolisme du rumen. Rencontres autour des Recherches sur les Ruminants, v. 13, p. 113, 2006.
PAROLINI, M. et al. Polybrominated Diphenyl Ether contamination in soil, vegetation, and cow milk from a High-Mountain pasture in the Italian Alps. Archives of Environmental Contamination and Toxicology, v. 63, p. 29–44, 2012.
PATRA, A. K. et al. Unraveling the effects of management regime and plant species on soil organic carbon and microbial phospholipid fatty acid profiles in grassland soils. Bioresource Technology, v. 99, p. 3545–3551, 2008.
PÉREZ-PRIETO, L. A.; PEYRAUD, J. L.; DELAGARDE, R. Substitution rate and milk response to corn silage supplementation of late lactating dairy cows grazing low mass pasture at two daily allowances in autumn. Journal of Dairy Science, v. 94, p. 3592–3604, 2011.
PÉREZ­RAMÍREZ, E.; PEYRAUD , J. L.; DELAGARDE, R. N-alkanes v. ytterbium/faecal index as two methods for estimating herbage intake of dairy cows fed on diets differing in the herbage: maize silage ratio and dairy cows fed indoors on different herbage:supplement ratios and feeding levels. Animal, v. 6, p. 232­244, 2012.
SANCHEZ de la CAMPA A. M. et al. Arsenic speciation study of PM in an urban area near a copper smelter, Atmospheric Environment, v. 42, p. 6487–6495, 2008.
SOARES, V. A. et al. Determinação de elementos nutricionais e tóxicos em leite pasteurizado bovino da região do Vale do Paraíba (Brasil). Food Control, v. 21, p. 45-49, 2010.
THORNTON, I.; ABRAHAMS, P. Soil ingestion – a major pathway of heavy metals into livestock grazing contaminated land. Science of The Total Environment, v. 28, p. 287–294, 1983.
VERDADE, F. C. Composição química de alguns solos do Estado de São Paulo. III - Sesquióxidos, sílica e certas relações moleculares. Bragantia, v. 20, p. 885-905, 1961.
WAISSMANN, W. Agrotóxicos e doenças não transmissíveis. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, p. 15-24, 2007.
WORDU, G. O.; DEEDUA, I. W. Effect of sand or soil as a dietary component on phosphorus utilization. Continental Journal of Food Science and Technology, v. 2, p. 1-5, 2008.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

Mata e Silva, B. C. da, Lopes, F. C. F., dos Anjos, A. J., Madeiro, A. S., Pacheco, V. S., & Dias, J. (2016). Ingestão de solo por vacas leiteiras a pasto. Caderno De Ciências Agrárias, 8(2), 100–107. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2910

Edição

Seção

REVISÕES DE LITERATURA

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)