Identificação genotípica de Staphylococcus aureus multiresistentes a drogas isolados de animais de produção

Autores

  • Stephanie Pedrosa de Oliveira
  • Alessandra Rejane Ericsson de Oliveira Xavier
  • Cintya Neves de Souza
  • Gabriel Santos Persiquini Cunha
  • Afrânio Farias de Melo Júnior
  • Mauro Aparecido de Sousa Xavier
  • Demerson Arruda Sanglard
  • Anna Christina de Almeida

Palavras-chave:

Antibióticos. Identificação molecular. ResistênciaFAPEMIG, CNPq, UFMG-PRPq

Resumo

Métodos genotípicos asseguram a identificação dos micro-organismos ao nível de espécie. O gene femA (Factor Essential for Methicillin resistance) tem sido utilizado como marcador espécie específico para Staphylococcus aureus resistentes ou não a meticilina. O presente trabalho teve como objetivo verificar o uso do gene femA como ferramenta para a confirmação da espécie Staphylococcus aureus dentre os isolados de  animais de produção. Para tal, amostras coletadas da superfície de tetos e de leite bovino foram utilizadas para isolamento, seleção e identificação de micro-organismos por métodos microbiológicos padrão. Isolados previamente identificados como S. aureus e resistentes a oxacilina foram submetidos à extração de DNA genômico de acordo com recomendações do fabricante do kit KAPA Extract. Os DNAs foram quantificados e posteriormente submetidos à reação em cadeia de polimerase (PCR) para detecção do gene femA. Os amplicons foram visualizados em gel de agarose a 1,5% e fotodocumentados. Todos os isolados presuntivamente identificados por métodos padrão microbiológicos (14/14) e cepa S. aureus ATCC 25923 (controle positivo) amplificaram um fragmento de 132 pares de bases correspondente ao gene parcial femA. A presença do gene femA em todos os isolados verificados pela analise molecular confirmou a identificação presuntiva microbiológica dos isolados como S. aureus.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AARESTRUP, F.M. et al. Effect of abolishment of the use of antimicrobial agents for growth promotion on occurrence of antimicrobial resistance in fecal Enterococci from food animals in Denmark. Antimicrobial Agents and Chemotherapy, Copenhagen, v.45, n. 7, p.2054-2059, 2001.

ARCURI, E. F., et al. Qualidade microbiológica do leite refrigerado nas fazendas. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, v.58, n. 3, p. 440-446, 2006.

CARTER G.R. Fundamentos de Bacteriologia e Micologia Veterinária. São Paulo: Roca, 1988. Cap. 17, p. 145-154, 1998. 250p.
CLSI. Clinical and Laboratory Standards Institute. Performance Standards for Antimicrobial Disk Susceptibility Tests - 2015. Disponível em: http://antimicrobianos.com.ar/ATB/wp-content/uploads/2012/11/01-CLSI-M02-A11-2012.pdf. Acesso em: 28 dez. 2016.
COSTA, G.M. Mamite bovina em rebanhos leiteiros da região sul do estado de Minas Gerais. 2008.123f. Tese (Doutorado em Ciência Animal) - Escola de Veterinária - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

DELLINGER RP et al., Surviving Sepsis Campaign Guidelines Committee including the Pediatric Subgroup. Surviving sepsis campaign: international guidelines for management of severe sepsis and septic shock: 2012. Critical Care Medicine, v. 41, n. 2, p. 580-637, 2013.

DIAS, N. L. et al. Detecção dos genes de Staphylococcus aureus, enterotoxinas e de resistência à meticilina em leite. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, v. 63, n. 6, p. 1547-1552, 2011.

DIAS, N. L.. Identificação de Staphylococcus aureus, avaliação do seu potencial enterotoxigênico e resistência a meticilina pela técnica de pcr em amostras de leite da microrregião de Sete Lagoas-MG. 2010. 53 f. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária Preventiva) – Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

FAGUNDES, H.; Oliveira, C. A. F. Infecções intramamárias causadas por Staphylococcus aureus e suas implicações em saúde pública. Ciência Rural, Santa Maria, v. 34, n. 4, p.1315-1320, 2004.

LANGE, C. C. et al. Uso de PCR e sequenciamento do rDNA 16S para identificação de bactérias do gênero Staphylococcus isoladas de mastite bovina. Pesquisa Veterinária Brasileira, Rio de janeiro, v. 31, n. 1, p. 36-40, 2011.

GANDRA, E. A. et al. Técnicas moleculares aplicadas à microbiologia de alimentos. Acta Scientiarum. Technology, Maringá, v.30, n.1, p.109-118, 2008.

GUIMARÃES, F. F. Detecção de genes codificadores de enterotoxinas e resistência aos antimicrobianos fenotípica e genotípica, mecA e vanA e expressão gênica em estafilococos SCP e SCN isolados de mastite bovina. 2015. 127 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu, Botucatu, 2015.

MACFADDIN, J.F. Biochemical Tests for Identification of Medical Bacteria. 3 ed. Baltimore, Lippincott Williams & Wilkins, 1976. 912p.

MENDES, A. V. A.; SAPOLNIK, R.; MENDONÇA, N. Novas diretrizes na abordagem clínica da neutropenia febril e da sepse em oncologia pediátrica. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v.83, no.2, p.S54-S63, 2007.

MENDONÇA, J. F. M. et al. Detecção de células viáveis de Salmonella spp. e Staphylococcus aureus em queijo de coalho pela técnica de PCR em tempo real. 2016. p.70. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia do Leite e Derivados) – UFJF, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de fora, 2016.

MOTA, R. A., et al. Utilização indiscriminada de antimicrobianos e sua contribuição a multirresitência bacteriana. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, São Paulo, n°.6, v.42, p.465-470, 2005.

SABOUR, P.M. et al. Molecular Typing and Distribution of Staphylococcus aureus Isolates in Eastern Canadian Dairy Herds. Jornaul of Clinical Microbiology. Canadá,n°.8. v.42, p.3449-3455, 2004

SANTANA, E. H. W., et al. Estafilococos em alimentos. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, n°3, v°77, p.545-554, 2010.

SANTOS, N. A resistência bacteriana no contexto da infecção hospitalar. Texto e Contexto Enfermagem, Santa Catarina, n°esp, v. 13, p. 64-70, 2004.

SAUNDERS, T. et al. Bactérias gram-positivas resistentes a antibióticos. Revista Brasileira de Medicina, São Paulo,v. 62, n. 1/2, p. 23-26, 2005

SILVA N.; JUNQUEIRA V. C. A.; SILVEIRA N. F. A. Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos. São Paulo: Varela, 1997.p.295.

SOUZA, M. V.; REIS, C.; PIMENTA, F. C. Revisão sobre a aquisição gradual de resistência de Staphylococcus aureus aos antimicrobianos. Revista de Patologia Tropical, Goiás, v. 34, n. 1, p. 27-36, 2005

TEIXEIRA, J. P. et al. Uso de PCR Duplex para detecção dos genes femA e mecA e determinação da concentração inibitória mínima (CIM) em Staphylococcus aureus isolados de leite cru. Revista do Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, v. 73, n. 3, p. 272-279, 2014.

TEIXEIRA, J. P. Caracterização fenotípica, genotípica e avaliação por PCR do potencial enterotoxigênico de Staphylococcus aureus isolados de amostras de leite cru refrigerado. 2013. p.69. Tese (Doutorado Medicina Veterinária Preventiva) – Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

ZAFALON, L. F. et al. Mastite subclínica causada por Staphylococcus aureus: Custo-benefício da antibioticoterapia de vacas em lactação. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinaria e Zootecnia, Belo Horizonte, v. 59, n. 3, p. 577-585, 2007.

ZAFALON, L. F. et al. Perfis de resistência de Staphylococcus aureus isolados no leite de vacas com mastite subclínica. Boletim de Indústria Animal, Nova Odessa v. 62, n. 3, p. 229-234, 2005.

Downloads

Publicado

2016-12-19

Como Citar

Oliveira, S. P. de, Xavier, A. R. E. de O., Souza, C. N. de, Cunha, G. S. P., Melo Júnior, A. F. de, Xavier, M. A. de S., Sanglard, D. A., & Almeida, A. C. de. (2016). Identificação genotípica de Staphylococcus aureus multiresistentes a drogas isolados de animais de produção. Caderno De Ciências Agrárias, 8(3), 45–51. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2942

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)