DANCING OUTSIDE THE BOX

O PAPEL DOS ARTEFATOS COGNITIVOS NA CRIATIVIDADE

Autores

  • Daniella Aguiar Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Brasil
  • João Queiroz Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Brasil

Palavras-chave:

dança, criatividade transformacional, artefatos cognitivos

Resumo

A criatividade artística pode ser observada como uma propriedade da manipulação de artefatos cognitivos. Mais especificamente, está distribuída através de artefatos cognitivos, como oportunidades para a emergência de entidades e processos surpreendentes. Quando novos artefatos são criados, ou usados em novos contextos, observamos o que Boden chama de ‘criatividade transformacional’. Em dança, a manipulação de novos artefatos cognitivos, como técnicas de dança, softwares, notações, levam a transformação de ‘espaços conceituais’ de dança. Interessa-nos como a introdução e a manipulação de novos artefatos em exemplos históricos contribuem para a transformação de espaços conceituais da dança.

Biografia do Autor

Daniella Aguiar, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Brasil

Doutora em Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
Professora do Curso de Dança da Universidade Federal de Uberlândia.

João Queiroz, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Brasil

Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
Professor do Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

ACOPLAMENTO. In: DICIONÁRIO Aulete Digital. Disponível em: <http://www.auletedigital. com.br/>. Acesso em: 27 de fevereiro de 2008.

AGUIAR, Daniella. Sobre treinamentos técnicos de dança como coleções de artefatos cognitivos. 2008. 119 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Dança, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

AGUIAR, Daniella; QUEIROZ, João. Artefatos cognitivos e técnicas de dança. Teccogs: Revista Digital de tecnologias Cognitivas, São Paulo, n. 4, p.49-59, 2010. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2010/edicao_4/4-artefatos_cognitivos_e_tecnica_de_danca-daniella_aguiar-joao_queiroz.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2016.

AGUIAR, Daniella; QUEIROZ, João. Técnicas de dança & artefatos cognitivos. In: WOSNIAK, Cristiane; MEYER, Sandra; NORA, Sigrid. Seminários de Dança: o que quer e o que pode (ess) a técnica? Joinville: Letradágua, 2009. p. 45-53.

BALES, Melanie. Training as the medium through which. In: BALES, Melanie; NETTL-FIOL, Rebecca. Eclectic Bodies: Evolving practices in dance training. Urbana: University of Illinois Press, 2008. p. 28-42.

BANES, Sally. Terpsichore in Sneakers: Post-Modern Dance. Middletown: Wesleyan, 1987.

BODEN, Margaret A. Creativity and Art: Three Roads to Surprise. Oxford: Oxford University Press, 2012.

BODEN, Margaret A. Computer Models of Creativity. In: STERNBERG, Robert J. Handbook of Creativity. New York: Cambridge University Press, 1999. p. 351-372.

BICKERTON, Derek. Adam’s Tongue. New York: Hill and Wang, 2009.

CHEMERO, Anthony. Radical Embodied Cognitive Science. Massachusetts: The MIT Press, 2009.

CLARK, Andy. Being There: Putting Brain, Body, and World Together Again. Massachusetts: A Bradford Book, 1998.

CLARK, Andy. An embodied cognitive science? Trends In Cognitive Sciences, Cambridge, n. 3, p.345-351, 1999.

CLARK, Andy. Natural born-cyborgs: Minds, Technologies, and the Future of Human Intelligence. Oxford: Oxford University Press, 2003.

CLARK, Andy. Memento’s Revenge: The Extended Mind, Extended. In: MENARY, Richard. Objections and Replies to the Extended Mind. Aldershot: Ashgate, 2006a. p. 1-43.

CLARK, Andy. Language, embodiment, and the cognitive niche. Trends In Cognitive Sciences, Cambridge, v. 10, n. 8, p.370-374, 2006b.

CLARK, Andy. Supersizing the Mind: Embodiment, Action, and Cognitive Extension. Oxford: Oxford University Press, 2010.

CLARK, Andy; CHALMERS, David. The Extended Mind. Analysis, [S.l.], v. 58, n. 1, p.7-19, jan. 1998.

COPELAND, Roger. Merce Cunningham: The Modernizing of Modern Dance. New York: Routledge, 2004.

GALLAGHER, Shaun. Philosophical antecedents of situated cognition. In: ROBINS, Philip; Aydede, Murat. The Cambridge Handbook of Situated Cognition. Cambridge University Press, 2009. p. 35-54.

HOFFMEYER, Jesper. The Semiotic Niche. Journal Of Mediterranean Ecology, Reggio Emilia, v. 9, p.5-30, 2008.

HUTCHINS, Edwin. Cognitive artifacts. In: WILSON, Robert A.; KEIL, Frank C. The MIT Encyclopedia of the Cognitive Sciences. Massachusetts: MIT Press, 1999. p. 126-127.

KIRBY, Michael. Introduction. The Drama Review, [S.I.], v. 19, n. 65, 1975.

LALAND, Kevin N.; O’BRIEN, Michael J. Cultural Niche Construction: An Introduction. Biological Theory, [S.I.], n. 6, p.191-202, 2011.

MENDES, Miriam Garcia. A dança. São Paulo: Editora Ática, 1987.

MONTEIRO, Mariana. Balé, tradição e ruptura. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia. Lições de dança 1. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 1999, p. 169-189.

NORMAN, Donald A. Things That Make Us Smart. Reading, MA: Addison Wesley,1993.

ODUM, E. Fundamentals of Ecology. W. B. Saunders, 1959.

SASPORTES, José. Pensar a dança: a reflexão estética de Mallarmé a Cocteau. Vila da Maia: Imprensa Nacional - Casa da moeda, 1983.

SMITH, B. In: WILSON, Robert A.; KEIL, Frank C. The MIT Encyclopedia of the Cognitive Sciences. Massachusetts: MIT Press, 1999. pp. 769-770.

STERNBERG, Robert J. Handbook of Creativity. Cambridge: Cambridge Universtiy Press, 1999.

WHEELER, Michael. Reconstructing the Cognitive World: The Next Step. Massachusetts: The MIT Press, 2005.

ZHANG, Jiajie. The Nature of External Representations in Problem Solving. Cognitive Science, [S.I.], v. 21, n. 2, p.179-217, 1997.

Downloads

Publicado

2016-11-01

Como Citar

AGUIAR, D.; QUEIROZ, J. DANCING OUTSIDE THE BOX: O PAPEL DOS ARTEFATOS COGNITIVOS NA CRIATIVIDADE. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], p. 255–265, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15751. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta