PESQUISAS EMPÍRICAS NA ABORDAGEM ERGOLÓGICA NO BRASIL NO PERÍODO DE 1980 A 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2022.29323

Palavras-chave:

Ergologia, Trabalho, Método qualitativo

Resumo

A Ergologia tem origem na década de 1980 como uma abordagem voltada para a compreensão da atividade humana e do trabalho com base no conhecimento e experiência dos trabalhadores. O objetivo geral visou realizar uma pesquisa bibliográfica em bases de dados científicas sobre a abordagem ergológica no Brasil no período de 1980 a 2018. Os objetivos específicos foram: descrever o perfil das produções científicas de estudos empíricos no contexto brasileiro embasadas na Ergologia; identificar e organizar os principais resultados das pesquisas no Brasil que utilizaram a abordagem ergológica. A metodologia consiste num estudo de revisão da literatura de artigos empíricos publicados entre 1980 a 2018 nas bases de dados da Scientific Electronic Library Online (SciELO). Foram selecionados 45 artigos, que, em sua grande maioria foram pautados em métodos qualitativos e comungam esforços em mostrar resultados promissores para a compreensão da relação entre subjetividade e trabalho, revelando como trabalhadores de diferentes categorias profissionais se relacionaram singularmente com suas atividades de trabalho. A diversidade das experiências apresentadas demonstra que a abordagem ergológica está consolidada entre os pesquisadores brasileiros como um método de ampla utilização pelos centros e grupos de pesquisa de diferentes instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Prato Santos, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Graduanda em Psicologia pela Faculdade de Ciências e Letras “Universidade Estadual Paulista” – Unesp. Estagiária da Ênfase Subjetividade, Trabalho e Administração Social no Estágio Específico Psicologia e Saúde no Trabalho – Bolsista de Iniciação Científica – FAPESP – Processo - 2019/11878-3

Maria Luiza Gava Schmidt, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Psicóloga, Doutora em Saúde Coletiva (FCM/Unicamp), Pós-doutorado em Saúde Pública (FSM/USP). Docente do Departamento de Psicologia Social – Faculdade de Ciências e Letras – Unesp

Referências

ALMEIDA, Ueberson Ribeiro; HECKERT, Ana Lucia Coelho; BARROS, Maria Elizabeth Barros de. Nas trilhas da atividade: análise da relação saúde-trabalho de uma professora de educação física escolar. Trabalho, Educação e Saúde, 2011, v. 9, p. 245-263. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/pqkqYN3dy3S5Z7RNjbx3bzR/?lang=pt. Acesso em: 22 nov. 2020.

AMADOR, Fernanda Spanier. Produção de imagens, subjetivação e trabalho penitenciário: uma contribuição às clínicas do trabalho. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 31, n. 2, p. 358-373, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932011000200012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 14 out. 2020.

ATHAYDE, Milton Raimundo Cidreira. et al. A perspectiva da Ergologia e o campo da Saúde Mental e Trabalho. In: GLINA, D.; ROCHA, L. (org.). Saúde Mental no Trabalho: da teoria à prática. São Paulo: Roca, 2010, p. 229-247.

ATHAYDE, Vladimir; HENNINGTON, Élida Azevedo. A saúde mental dos profissionais de um Centro de Atenção Psicossocial. Physis, Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, p. 983-1001, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312012000300008&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 16 out. 2020.

BARROS, Maria Elizabeth Barros de; LOUZADA, Ana Paula. Dor-desprazer-trabalho docente: como desfazer essa tríade. Psicol. USP, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 13-34, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65642007000400002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 16 out. 2020.

BARROS, Maria Elizabeth et al. Saúde e trabalho docente: a escola como produtora de novas formas de vida. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 103-124, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462007000100005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 set. 2020.

BERTONCINI, Judite Hennemann; PIRES, Denise Elvira Pires de; SCHERER, Magda Duarte dos Anjos. Condições de trabalho e renormalizações nas atividades das enfermeiras na saúde da família. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, supl. 1, p. 157-173, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 set. 2020.

BINDA, Josiana; BIANCO, Mônica de Fatima; SOUSA, Eloísio Moulin de. O trabalho dos agentes comunitários de saúde em evidência: uma análise com foco na atividade. Saúde soc., São Paulo, v. 22, n. 2, p. 389-402, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902013000200011&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 24 nov. 2020.

BORBA, Louise; MUNIZ, Hélder Pordeus. ‘Mudando para o time’: a dimensão coletiva no trabalho de atletas de vôlei de praia. Laboreal, v. 13, n. 1. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/780. Acesso em: 16 set. 2020.

CANGUILHEM, Georges. Cahiers Internationaux de Sociologie, Paris, v. 3, p. 120-136, 1947. Paris: Seuil.

CANGUILHEM, Georges. Etudes d'histoire et de philosophie des sciences. 7. ed. Paris: Librarie Philosophique J. Vrin, 1994.

CANGUILHEM, Georges. La connaissance de la vie. 2. ed. Paris: Librarie Philosophique J. Vrin, 2003.

CANGUILHEM, Georges. O normal e o patológico. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

CARDOSO, Cíntia Garcia; HENNINGTON, Élida Azevedo. Trabalho em equipe e reuniões multiprofissionais de saúde: uma construção à espera pelos sujeitos da mudança. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 85-112, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 14 out. 2020.

CHRISTO, Cirlene de Souza; BORGES, Maria Elisa Siqueira. Reorganização do trabalho em uma agência da Previdência Social: resistência à mudança ou preservação da saúde?. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 41, n. 2, p. 104-114, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042017000600104&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 01 fev. 2021.

ECHTERNACHT, Eliza Helena de Oliveira. Ergologia. In: R. Mendes (org.), Dicionário de saúde e segurança do trabalhador. São Paulo: Proteção Publicações e Eventos, 2018, p. 467-468.

FERREIRA VINAGRE, Rayana; DE CARVALHO CASTRO, Alexandre. Análise da atividade de maçariqueiros num estaleiro no Brasil: Considerações sobre saúde do trabalhador numa perspectiva ergológica. Trab. soc., Santiago del Estero, n. 28, p. 181-193, 2017. Disponível em: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1514-68712017000100010&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 14 nov. 2020.

FIGARO, Roseli. A abordagem ergológica e o mundo do trabalho dos comunicadores. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 285-297, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400014&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 nov. 2020.

FONSECA, Fernanda Freire et al. Implicações de novas tecnologias na atividade e qualificação dos servidores: Processo Judicial Eletrônico e a Justiça do Trabalho. Rev. bras. saúde ocup., São Paulo, v. 43, n. 4, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572018000100204&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 01 dez. 2020.

FONTANA, Rosane Teresinha; LAUTERT, Liana. The situation of nursing work and occupational risks from an ergological perspective. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 21, n. 6, p. 1306-1313, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692013000601306&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 14 nov. 2020.

FOUCHECOURT-DROMARD, Ingrid. A abordagem ergológica para uma outra avaliação do trabalho social. Laboreal, v. 14, n. 1, p. 59-64, 2018. Disponível em: https://journals.openedition.org/laboreal/534. Acesso em: 7 nov. 2020.

FREITAS, Luciana Maria Almeida de; SOUZA, Carlos Fabiano de. Trabalho docente em cursos livres de idiomas: discurso direto e a voz da hierarquia. Bakhtiniana, Rev. Estud. Discurso, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 31-51, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732018000100031&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 01 dez. 2020.

FURTADO, Eliana Anjos; FISCHER, Maria Clara Bueno. Método da escavação em terapia ocupacional: um dispositivo dinâmico a três polos?. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 175-199, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 22 out. 2020.

GOMES, Luciana et al. Competências, sofrimento e construção de sentido na atividade de auxiliares de enfermagem em Utin. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 137-156, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 22 out. 2020.

GUIDA, Hilka Flavia Saldanha; BRITO, Jussara; ALVAREZ, Denise. Gestão do trabalho, saúde e segurança dos trabalhadores de termelétricas: um olhar sob o ponto de vista da atividade. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 11, p. 3125-3136, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232013001100003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 set. 2020.

LIMA, Estevam Luiz Nascimento; BIANCO, Mônica de Fátima. Análise de situações de trabalho: gestão e os usos de si dos trabalhadores de uma empresa do ramo petrolífero. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 7, n. 4, p. 629-648, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512009000400008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 nov. 2020.

MARQUES, Amanda Almentero; HENNINGTON, Élida Azevedo. As repercussões da Doença de Chagas no contexto de vida e trabalho de usuários de instituto de pesquisa. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 41, n. 2, p. 215-224, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042017000600215&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 out. 2020.

MARQUES, Solange Vianna Dall'Orto; MARTINS, Gabriela de Brito; SOBRINHO, Oswaldo Cruz. Saúde, trabalho e subjetividade: absenteísmo-doença de trabalhadores em uma universidade pública. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 668-680, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512011000600012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 17 nov. 2020.

MASSON, Letícia Pessoa; BRITO, Jussara Cruz de; SOUSA, Rejane Nazaré Pimentel de. O trabalho e a saúde de cuidadores de adolescentes com deficiência: uma aproximação a partir do ponto de vista da atividade. Saúde soc., São Paulo, v. 17, n. 4, p. 68-80, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902008000400008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em:12 out. 2020.

MEZADRE, Simone De Bruim Babisk; BIANCO, Monica de Fátima. Polishing Knowledge: A Study of Marble and Granite Processing. BAR, Braz. Adm. Rev., Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 302-322, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1807-76922014000300302&lng=en&nrm=iso. Acesso em:14 out. 2020.

MORAES, Thiago Drumond; ATHAYDE, Milton Raimundo Cidreira de. Dimensões do coletivo na atividade de trabalho dos motoboys. Fractal, Rev. Psicol., Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, p. 327-348, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-02922014000200327&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 09 set. 2020.

MORAES, Thiago Drumond; ROHR, Roseane Vargas; ATHAYDE, Milton. Ingresso, permanência e abandono na profissão de motoboys: constituição de si e da profissão. Laboreal, v. 11, n. 1, 2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/4244. Acesso em: 26 out. 2020.

NASCIMENTO, Vinícius. Dimensão ergo-dialógica do trabalho do tradutor intérprete de libras/português: dramáticas do uso de si e debate de normas no ato interpretativo. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 1121-1150, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982014000400015&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 set. 2020.

NEVES, Mary Yale; MUNIZ, Hélder Pordeus; SILVA, Edil Ferreira; COSTA, Joana Dar’k; BRITO, Jussara; ATHAYDE, Milton. Saúde, gênero e trabalho nas escolas públicas: potencialidades e desafios de uma experiência com o dispositivo “Comunidade Ampliada de Pesquisa e Intervenção”. Laboreal, v. 11, n. 1, 2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/4169. Acesso em: 01 nov. 2020.

OLIVEIRA, Simone Santos; BRITO, Jussara Cruz de. A dimensão gestionária do trabalho e o debate de normas e valores no teleatendimento. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 265-284, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400013&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 14 nov. 2020.

OLIVEIRA, Simone; REZENDE, Marcello Santos; BRITO, Jussara. Saberes e estratégias dos operadores de telemarketing frente às adversidades do trabalho. Rev. bras. saúde ocup., São Paulo, v. 31, n. 114, p. 125-134, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572006000200011&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 13 set. 2020.

CAROLINNA, Anna; PEREIRA, Eduardo; MENDES, Davidson Passos; MORAES, Geraldo Fabiano de Souza. Do prescrito ao real: a imprevisibilidade e a importância do trabalho coletivo em um centro de usinagem de uma empresa metal-mecânica do interior do Estado de Minas Gerais. Laboreal, v. 13, n. 1, 2017. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/1768. Acesso em: 01 nov. 2020.

PINTO, Francinaldo do Monte; ZAMBRONI-DE-SOUZA, Paulo César. A atividade de trabalho de motoristas de ambulância sob o ponto de vista ergológico. Rev. bras. saúde ocup., São Paulo, v. 40, n. 131, p. 49-58, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572015000100049&lng=pt&nrm=iso. Acesso em:04 dez. 2020.

POCHMANN, Marcio. Brasil: segunda grande transformação no trabalho?. Estud. av., São Paulo, v. 28, n. 81, p. 23-38, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142014000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 13 set. 2020.

PORTO, Thiara De Ângeli; BIANCO, Mônica de Fatima. Os usos do corpo-si no trabalho de transformação de granitos: evidências para saúde e segurança. Laboreal, v. 12, n. 1, 2016. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/3053. Acesso em: 04 dez. 2020.

RIBEIRO, Josina Maria Pontes; ARAUJO-JORGE, Tania Cremonini de; BESSA NETO, Vicente. Ambiente, saúde e trabalho: temas geradores para ensino em saúde e segurança do trabalho no Acre, Brasil. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 20, n. 59, p. 1027-1039, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832016000401027&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 16 out. 2020.

RIQUINHO, Deise Lisboa; HENNINGTON, Élida Azevedo. Sistema integrado de produção do tabaco: saúde, trabalho e condições de vida de trabalhadores rurais no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 12, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2016001205005&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 24 out. 2020.

RUCKERT, Bianca; ARANHA, Antônia Vitória Soares. Lutar por saúde é lutar por reforma agrária: estudo sobre práticas de saúde no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Saude soc., São Paulo, v. 27, n. 1, p. 116-127, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100116&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 23 out. 2020.

SANTOS, Júlio César Borges dos; HENNINGTON, Élida Azevedo. Aqui ninguém domina ninguém: sentidos do trabalho e produção de saúde para trabalhadores de assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 29 n. 8, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v29n8/v29n8a12.pdf. Acesso em: 17 out. 2020.

SCHERER, Magda Duarte dos Anjos; PIRES, Denise Elvira Pires de; JEAN, Rémy. A construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 11, p. 3203-3212, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232013001100011&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 dez. 2020.

SCHERER, Magda Duarte dos Anjos et al. Cursos de especialização em Saúde da Família: o que muda no trabalho com a formação?. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 20, n. 58, p. 691-702, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832016000300691&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 04 set. 2020.

SCHLINDWEIN, Vanderléia de Lurdes Dal Castel. Dor e sofrimento oculto: a desproteção social dos trabalhadores do fumo. Barbaroi, Santa Cruz do Sul, n. 32, p. 82-97, 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-65782010000100006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 09 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. Os ingredientes da competência: Um exercício necessário para uma questão insolúvel. Educ. Soc., Campinas, v. 19, n. 65, p. 101-140, 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73301998000400004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em :09 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. A comunidade científica ampliada e o regime de produção de saberes. Trab. Educ. [S.I.], v. 7, n. 7, 2013, p. 38-46. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9202. Acesso em: 9 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. Trabalho e uso de si. Pro-Posições, Campinas, v. 11, n. 2, p. 34–50, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644041. Acesso em: 9 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. Entrevista: Yves Schwartz. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 457-466, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462006000200015&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 out. 2020.

SCHWARTZ, Yves. O homem, o mercado e a cidade. In Y. Schwartz, & L. Durrive (org.), Trabalho e ergologia: conversas sobre a atividade humana, 2. ed., p. 247-273, 2010. Niterói: EdUFF.

SCHWARTZ, Yves. Reflexão em torno de um exemplo de trabalho operário. In Y. Schwartz, & L. Durrive (org.), Trabalho e ergologia: conversas sobre a atividade humana, 2. ed., p. 37-46, 2010. Niterói: EdUFF.

SCHWARTZ, Yves. Abordagem ergológica e necessidade de interfaces pluridisciplinares. ReVEL, edição especial, n. 11, 2016. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/2e5e27e69e52df1113fd2b52d2d99f39.pdf. Acesso em: 19 out. 2020.

SILVA, Cristiane A. Fernandes da. A gestão de si na reinvenção das normas: práticas e subjetividade no trabalho. Saúde soc., São Paulo, v. 17, n. 4, p. 111-123, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902008000400012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 set. 2020.

SILVA, Edil Ferreira da et al. A promoção da saúde a partir das situações de trabalho: considerações referenciadas em uma experiência com trabalhadores de escolas públicas. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 13, n. 30, p. 107-119, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832009000300010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 09 dez. 2020.

SILVA, Edil Ferreira; ARAÚJO, Anísio José da Silva; PINTO, Francinaldo do Monte; ZAMBRONI-DE-SOUZA, Paulo César; ROCHA, Euda Kaliani Gomes Teixeira Rocha; MÁXIMO, Thaís Augusta Cunha de Oliveira. Os ingredientes da competência de gerentes de hotéis. Laboreal, v. 11, n. 1, 2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/laboreal/4332. Acesso em: 04 dez. 2020.

SILVA, Elaine Menezes da; MOREIRA, Martha Cristina Nunes. Equipe de saúde: negociações e limites da autonomia, pertencimento e reconhecimento do outro. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 10, p. 3033-3042, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015001003033&lng=pt&nrm=iso. Acesso em:16 set. 2020.

SILVA, Marcela Sobreira; BARROS, Vanessa Andrade de. Saberes sobre o trabalho: experiência e história nos canaviais. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 26, n. 2, p. 440-448, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822014000200020&lng=pt&nrm=iso. Acesso em:13 out. 2020.

THURMOND, Veronica. The point of triangulation. Journal of Nursing Scholarship, USA, n. 33, v. 3, p. 253-258, 2011. Disponível em: https://sigmapubs.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1547-5069.2001.00253.x. Acesso em: 27 nov. 2020.

TRAJANO, Ana Rita Castro; CUNHA, Daisy Moreira da. Processo de trabalho no samu e humanização do sus do ponto de vista da atividade humana. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 9, p. 113-136, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462011000400006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 01 dez. 2020.

TURATO, Egberto Ribeiro. Tratado da metodologia da pesquisa clínica-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

VILLA, Eliana Aparecida; ARANHA, Antônia Vitoria Soares. A formação dos profissionais da saúde e a pedagogia inscrita no trabalho do Programa de Saúde da Família. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v. 18, n. 4, p. 680-687, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072009000400009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 23 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2022-05-27

Como Citar

SANTOS, L. P. .; SCHMIDT, M. L. G. . PESQUISAS EMPÍRICAS NA ABORDAGEM ERGOLÓGICA NO BRASIL NO PERÍODO DE 1980 A 2018. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 31, n. 1, p. 121–138, 2022. DOI: 10.35699/2238-037X.2022.29323. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/29323. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS