QUACKENBOS COMO ANTÍDOTO A ORTIZ & PARDAL

O ENSINO DA GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA NO PARECER DE RUY BARBOSA, 1882

Autores

  • MIRIAN WARDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
  • Fernando Rodrigues de Oliveira UNIFESP

Palavras-chave:

George Payn Quackenbos, método intuitivo; Ruy Barbosa, gramática, língua portuguesa

Resumo

O objetivo deste artigo é contribuir para as já avançadas pesquisas, no Brasil, referentes ao método intuitivo. São examinados dois livros citados por Ruy Barbosa em seu Parecer de 1882 sobre o ensino primário no Município da Corte: Illustrated lessons in our lenguage; or how to speak and write correctly, de George Payn Quackenbos, recomendado por Barbosa como antídoto a Grammatica analytica e explicativa da língua portugueza, de José Ortiz e Candido Pardal, em circulação nos anos de 1870 e 1880, especialmente nas escolas primárias do Rio de Janeiro. Sobre Grammatica analytica, destaca-se sua organização fundada no conceito de gramática como arte de escrever e falar bem, o que denota sua filiação ao modelo geral e filosófico greco-latino, portanto, seu descompasso em relação à renovação científica que vinha ocorrendo na Linguística no século XIX. Para apresentação contextuada das Illustrated lessons... – e considerando que o seu autor ainda não ganhou estudos no Brasil sobre o ensino de gramática, composição e áreas adjacentes, e sobre o método intuitivo –, o artigo situa esse livro em relação às demais publicações de Quackenbos, bem como o seu enraizamento intelectual no “enlightenment” escocês e sua declarada adesão às lições de coisas (object lessons). Com isso, verifica-se em Ruy Barbosa um grau razoavelmente alto de consistência nas críticas que enceta contra o conservadorismo linguístico presente na Instrução Primária da Corte e sua atualidade em relação aos estudos então mais recentes que dão base a novas propostas pedagógicas, ditas modernas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Rodrigues de Oliveira, UNIFESP

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Foi professor Adjunto da Faculdade de Educação da UFMG (Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino). Doutor em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC), Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Marília, com estágio de Doutorado Sanduíche (bolsa PDSE-CAPES) junto ao Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Portugal; Mestre em Educação pela FFC-UNESP-Marília (2010); graduado em Pedagogia pela FFC-UNESP-Marília (2009); graduado em Letras pela Faculdade da Alta Paulista (2006). Líder do NIPELL - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre Ensino de Língua e Literatura. Integrante dos Grupos de Pesquisa "História da Educação e do Ensino de Língua e Literatura no Brasil" (UNESP-Marília) e 'História da Educação: Intelectuais, Instituições, Impressos" (UNIFESP-Guarulhos). Atua, principalmente, com pesquisas de abordagem histórica sobre: Literatura infantil e juvenil; Ensino de Língua Portuguesa; Ensino de Literatura; Alfabetização, Leitura e Escrita; Currículo e Disciplinas Escolares; Livro e Edições didáticas; Pesquisador junto ao Ceale - Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita, da FaE-UFMG. Coordenador do Subprojeto "Alfabetização" do Programa de Residência Pedagógica da CAPES / UNIFESP. É autor e organizador de livros; autor de artigos e capítulos de livros.

Publicado

2021-12-03

Edição

Seção

Artigos