O Ensino de Ciências por Investigação em Construção: Possibilidades de Articulações entre os Domínios Conceitual, Epistêmico e Social do Conhecimento Científico em Sala de Aula

Palavras-chave: domínios do conhecimento científico, ensino de ciências por investigação, etnografia em educação, Ensino Fundamental

Resumo

Neste artigo, analisamos como estudantes construíram discursivamente articulações entre os domínios conceitual, epistêmico e social do conhecimento científico. A turma investigada estava no 1° ano do Ensino Fundamental e estudava a biologia de um inseto. Para construção e análise de dados, utilizamos aspectos da Etnografia em Educação. Foi realizada observação participante, registros em áudio e vídeo, além de coleta de artefatos produzidos pelos estudantes. Os resultados indicam que o uso de recursos instrucionais, organizados em torno do trabalho com perguntas, geraram diferentes caminhos para as articulações entre os três domínios, evidenciadas no discurso oral dos participantes. A ênfase no par [epistêmico+social] conferiu um caráter mais investigativo ao contexto instrucional, possibilitando a melhor compreensão do processo de construção do ensino de ciências por investigação. Discutimos implicações para a prática pedagógica e para pesquisa em Educação em Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danusa Munford, Universidade Federal do ABC

Possui graduação em Ciências Biológicas pela USP, mestrado em Biologia Genética pela mesma universidade, doutorado em Curriculum and Instruction pela Pennsylvania State University e pós doutorado na Ohio State University. Atualmente é professora associada da Universidade Federal do ABC e membro do programa de Pós-graduação em Educação da UFMG.

Referências

Bloome, D., & Green, J. (1982). The social contexts of reading: Multidisciplinary perspectives. In B. Hutson (Ed.). Advances in reading/language research, Greenwich: JAI Press.

Bloome, D., Puro, P., & Theodorou, E. Procedural display and classroom lessons. Curriculum Inquiry, 19, p. 265–291, 1989. https://doi.org/10.2307/1179417

Bloome, D., Carter, S. P., Christian, B. M., Madrid, S., Otto, S., Shuart-Faris, N., & Smith, M. (2008). Discourse Analysis in Classrooms: Approaches to Language and Literacy Research. Teachers College Press.

Cappelle, V. A. (2017). Construindo Investigações em aulas de Ciências: Práticas, modos de comunicação e relações temporais nos três primeiros anos do Ensino Fundamental. Tese de Doutorado. Programa de pós-graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG.

Castanheira, M. L., Crawford, T., Dixon, C., & Green, J. (2001). Interactional Ethnography: an Approach to Studying the Social Construction of Literate Practices. Linguistics an Education, 11(4), 353–400. https://doi.org/10.1016/S0898-5898(00)00032-2

Cardoso, M., & Scarpa, D. (2018). Diagnóstico de Elementos do Ensino de Ciências por Investigação: Uma Ferramenta de Análise de Propostas de Ensino Investigativas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(3), 1025–1059. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec20181831025

Carvalho, A. M. P. (2018). Fundamentos Teóricos e Metodológicos do Ensino por Investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. 18(3), 765–94. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2018183765

Carvalho, I. N., El-Hani, C. N., & Nunes-Neto, N. (2020). How Should We Select Conceptual Content for Biology High School Curricula? Science & Education, 29, 513–547. https://doi.org/10.1007/s11191-020-00115-9

Dixon, C., & Green, J. L. (2005). Studying the discursive Construction of Texts in Classrooms Through Interational Ethnogrphy. In Beach, R. Green, J. L., Kamil, M., Shanahan, T. Multidisciplinary Perspectives on Literacy Research. Santa Barbara, Hampten Press Cresskill.

Duschl, R. A. (2008). Science education in 3 part harmony: Balancing conceptual, epistemic and social goals. Review of Research in Education, 32, 268–291. https://doi.org/10.3102/0091732X07309371

Duschl, R. A (2017). Designing Knowledge-Building Practices in 3 Part Harmony: Coordinating Curriculum-Instruction-Assessment with Conceptual-Epistemic-Social Learning Goals (Conferência). Encontro de Ensino de Ciências por Investigação – Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, 15 a 17 de maio.

Franco, L. G., & Munford, D. (2017). Aprendendo a Usar Evidências nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental ao Longo do tempo: Um estudo da construção discursiva de formas de responder questões em aulas de Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 17(2), 662–688. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2017172662

Franco, L. G., & Munford, D. (2018). Investigando interações discursivas em aulas de ciências: Um “olhar sensível ao contexto” sobre a pesquisa em educação em ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(1), 125–151. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2018181125

Franco, L. G., & Munford, D. (2020). Aprendizagem de ciências: Uma análise de interações discursivas e diferentes dimensões espaço-temporais no cotidiano da sala de aula. Revista Brasileira de Educação, 25. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782020250015

Furtak, E. M., Seidel, T, Iverson, H. & Briggs, D. C. (2012). Experimental and Quasi-Experimental Studies of Inquiry-Based Science Teaching: A Meta-Analysis. Review of Educational Research. 82(3), 300–329. https://doi.org/10.3102/0034654312457206

Green, J., Dixon, C., & Zaharlic, A. (2005). A etnografia como uma lógica de investigação. Educação em Revista, 42, 13–79.

Green, J., & Wallat, C. (1981). Ethnography and language in educational settings. Ablex.

Gumperz, J. J. (1982). Discourse Strategies. 1st edition. Cambrige University Press.

Kelly, G. J. (2008). Inquiry, Activity, and Epistemic Practice. In R. Duschl & R. Grandy (Eds.) Teaching Scientific Inquiry: Recommendations for Research and Implementation (pp. 99–117). Sense Publishers.

Kelly, G. J. (2013). Inquiry teaching and learning: Philosophical considerations. In M. R. Matthews (ed.) Handbook of Historical and Philosophical Studies in Science Education. Springer.

Kelly, G. J., & Licona, P. (2018). Epistemic practices and science education. In M. R Matthews (Ed.), History, Philosophy and Science Teaching (pp. 139–165). Springer.

Ko, M. L. M., & Krist C. (2019). Opening up curricula to redistribute epistemic agency: A framework for supporting science teaching. Science Education, 103(4), 1–32. https://doi.org/10.1002/sce.21511

Manz, E. (2013). Integrating the conceptual, epistemic, and social aspects of scientific activity. Tese de Doutorado, Department of Teaching and Learning, Vanderbilt University.

Manz, E., Lehrer, R., Schauble, L. (2020). Rethinking the classroom science investigation. Journal of Research of Science Teaching. 57(7), 1148–1174. https://doi.org/10.1002/tea.21625

Monteira, S. F. & Jiménez-Aleixandre, M. P. (2015). The Practice of Using Evidence in Kindergarten: The Role of Purposeful Observation. Journal of Research in Science Teaching, 52(6), 1–27. https://doi.org/10.1002/tea.21259

Mortimer, E. F., Scott, P., Amaral, E. M. R. & El-Hani, C. (2014). Conceptual profiles: Theoretical methodological bases of a research program. In E. F., Mortimer & C., El-Hani (ed.), Conceptual profiles: A theory of teaching and learning scientific concepts (pp. 3–33). Springer.

Munford, D., & Lima, M. E. C. C. (2007). Ensinar ciências por investigação: Em que estamos de acordo? Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 9(1), 89–111. http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172007090107

Pedaste, M., Mäeots, M., Siiman, L. A., Jong, Ton de, Van R., Siswa A. N., Kamp, E. T., Manoli, C. C., Zacharia, Z. C., & Tsourlidaki, E. (2015). Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Educational Research Review, 14, 47–61. https://doi.org/10.1016/j.edurev.2015.02.003

Sasseron, L. (2018). Ensino de Ciências por Investigação e o Desenvolvimento de Práticas: Uma Mirada para a Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(3), 1061–1085. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec20181831061

Sasseron, L. H & Duschl, R. A. (2016). Ensino de Ciências e as Práticas epistêmicas: O papel do professor e o engajamento dos estudantes. Investigações em Ensino de Ciências, 21(2), 52–67.

Seung, E., Park, S., & Jung, J. (2014). Exploring Preservice Elementary Teachers’ Understanding of the Essential Features of Inquiry-Based Science Teaching Using Evidence-Based Reflection. Research in Science Education, 44(4), 507–529. https://doi.org/10.1007/s11165-013-9390-x

Spradley, J. P. (1980). Participant Observation. Harcourt Brace Jovanovich College Publishers. Orlando, Florida.

Strieder, R. B. & Watanabe, G. (2018). Atividades Investigativas na Educação Científica: Dimensões e Perspectivas em Diálogos com o ENCI. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. 18(3), 819–849. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2018183819

Stroupe, D. (2015). Describing “Science Practice” in Learning Settings. Science Education, 99(6), 1033–1040. https://doi.org/10.1002/sce.21191

Stroupe D, Moon J, Michaels S. (2019). Introduction to special issue: Epistemic tools in science education. Science Education, 1–4. https://doi.org/10.1002/sce.21512

Trivelato, S. L. F., & Soares, N. (2019). Ensino de Ciências por Investigação — revisão e características de trabalhos publicados. Atas de Ciências da Saúde, 7, 45–65.

Uum, S. J. van, Verhoeff, R. P., & Peeters M. (2016) Inquiry-based science education: Towards a pedagogical framework for primary school teachers, International Journal of Science Education, 38(3), 450–469. https://doi.org/10.1080/09500693.2016.1147660

Wolcott, H. F. (1994). Transforming qualitative data. Sage.

Publicado
2020-08-05
Como Citar
Franco, L. G., & Munford, D. (2020). O Ensino de Ciências por Investigação em Construção: Possibilidades de Articulações entre os Domínios Conceitual, Epistêmico e Social do Conhecimento Científico em Sala de Aula. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 20(u), 687-719. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u687719
Seção
Artigos