Movimento e Expressividade

Dança educativa para alunos com deficiência intelectual

Autores

Palavras-chave:

Dança e Educação, Deficiência Intelectual, Expressividade

Resumo

Esse artigo é resultado de uma pesquisa sobre dança e educação que abordou as experimentações corporais de alunos com deficiência intelectual. Toma-se como pressuposto que se pode desenvolver a expressividade pelo movimento no espaço e no tempo que se tem na escola e que a dança encontra caminhos para se desvincular de uma prática pautada no ‘siga o mestre’ ou ‘faça como eu’, que privilegia coreografias com referências televisivas e não se preocupa com a criação subjetiva que se apresenta nas respostas do aluno. Trata-se de uma pesquisa pedagógica pautada pela arte e que procurou não desprezar as referências em dança produzidas culturalmente e percebidas no contexto da investigação. A pesquisa baseia-se na abordagem teórica de Rudolf Laban a respeito do movimento para a construção de uma proposta de dança educativa para alunos com deficiência intelectual. A partir dos temas de movimento desenvolvidos por esse teórico, foram estabelecidas as categorias temáticas: Corpo, Espaço, Grupo e Criação, para análise da expressividade em experimentações focadas na percepção do corpo no relacionamento do corpo com o espaço e no processo criativo do movimento. Nesse contexto, destacou-se o papel da arte para uma aprendizagem significativa, cujo exercício da  alteridade permeou a compreensão da convivência com as diferenças. A possibilidade metodológica apresentada é a da pesquisa-ação, que oferece suporte para refletir e transformar as ações pedagógicas desafiadoras. Percebeu-se a construção de significados provocados pela dança na interação com o outro e na construção de uma prática acessível que valoriza a presença de cada corpo, em suas possibilidades expressivas.

Biografia do Autor

Belister Rocha Paulino, Universidade de Brasília (UNB), Brasília, Brasil

Mestra em Artes pela Universidade de Brasília e professora na Secretaria de Educação do Distrito Federal

Paulo Sérgio de Andrade Bareicha, Universidade de Brasília (UNB), Brasília, Brasil

Doutor em Artes pela Universidade de São Paulo. Professor na Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Coordenador do Mestrado Profissional em Artes - UnB.

Referências

ALVES, Rubem. Educação dos Sentidos e Mais. Campinas, SP: Verus, 2011.

AMARAL, Vera Lúcia do. A Dinâmica dos Grupos e o Processo Grupal. Natal, RN: EDUFRN, 2007.

BARBIER, René. A Pesquisa-Ação. Trad. Lucie Dídio. Brasília: Liber Livro, 2002.

BAREICHA, Paulo. Problemas para se iniciar uma aula: o que está em jogo? Revista Sala Preta. USP, 2002

BARRETO, Débora. Dança... Ensino, Sentidos e Possibilidades na Escola. UNICAMP - São Paulo, 1998.

BOLSANELLO, Débora Pereira. A Língua do Movimento. IN: BOLSANELLO, Débora Pereira. Em pleno Corpo. Rio de Janeiro: Juruá, 2010.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). Artes. Dança. Ensino Fundamental. Séries Iniciais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CANCHERINI, Ângela. A Escuta Sensível como Possibilidade Metodológica. Universidade Católica de Santos, 2010.

COUTO, Yara Aparecida. A Arte, o Jogo, a Dança e as Brincadeiras: dos primórdios lúdicos aos processos de civilização e cultura. Revista Poiésis Pedagógica, Catalão-GO, v.11, n.1, p. 38-53, jan/jun. 2013.

DEWEY, John. Arte como Experiência. Tradução. Vera Ribeiro. SÃO PAULO: MARTINS, 2010, 646 p.

DIAS, Sueli de Souza. OLIVEIRA, Maria Cláudia. Deficiência Intelectual na Perspectiva Histórico-Cultural - contribuições ao estudo do desenvolvimento adulto. Revista Brasileira de educação especial. v. 19, n. 2. Marília, SP, 2013.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Fundamentos Estéticos da Educação. Campinas, SP: Papirus, 1981.

FALKEMBACH, Maria Fonseca. Quem disse que não tem espaço para a dança na escola? In: FERREIRA, Taís. FALKEMBACH, Maria Fonseca. Teatro e Dança nos Anos Iniciais. Porto Alegre: mediação, 2012.

FERREIRA, Consuelo da Piedade Bernardo. A Expressividade no Sociodrama. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação. Universidade de Brasília, 2010.

GALLO, Sílvio. Eu, o outro e tantos outros: educação, alteridade e filosofia da diferença. UNICAMP, 2011.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de Presença - o que o sentido não consegue transmitir. Tradução de Isabel Soares - Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2010.

JOROSKY, Narda Helena. Dança educativa no ambiente escolar a luz da proposta de Rudolf

Laban. Revista Hórus, v. 4 n. 1. 2010.

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, Arte e Invenção. Revista Psicologia em Estudo, Maringá. V.6, n.1. p. 17-27, jan/jun. 2001.

KUPPERS, Petra. Educação Acessível: estéticas, corpos e deficiência. Tradução de Gabriela Camargo e Carla Vendramin. UFRGS: Revista Cena, n.15, 2014.

LABAN, Rudolf. Danza Educativa Moderna. Traduccion de Amanda Area Vidal. Paidos: México, 1989.

LARROSA, Jorge. Linguagens e Educação depois de Babel. Autêntica Editora: 2007.

_________. Notas sobre a Experiência e o Saber de Experiência. Rev. Bras. Educ. [online]. 2002, n. 19, pp. 20-28.

MACHADO, Fernando. NAZARI, Juliano. Aspectos históricos das pessoas com deficiência no contexto educacional: rumo a uma perspectiva inclusiva. Revista Lentes pedagógicas. V. 2 n.1. Uberlândia, 2012.

MARTINS, Mirian Celeste. PICOSQUE, Gisa. Mediação Cultural para Professores Andarilhos na Cultura. 2ª ed. São Paulo: Intermeios, 2012.

MATOS, Lúcia Helena Alfredi de. Dança e Diferença: cartografia de múltiplos corpos. Salvador: EDUFBA, 2012. 184 p. (Coleção Pesquisa em Artes).

MELO, Armando Sérgio Emereciano de. MAIA FILHO, Osterne Nonato. CHAVES, Viana. Conceitos Básicos em Intervenção Grupal. Encontro Revista de Psicologia. Volume 17/ 26,

MENDES, Eniceia Gonçalves. Deficiência mental - a construção científica de um conceito e a realidade educacional. Tese de Doutorado. USP. Instituto de Psicologia. São Paulo, 1995.

MENEZES, Estera Muszkat. SILVA, Edna Lúcia. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de

Dissertação. Florianópolis: UFSC, 2005.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Na dança e na Educação: o círculo como princípio. Revista

Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n.1, p. 165-176, jan./abr. 2009.

PAULINO, Belister Rocha. Movimento, Arte e Expressividade: uma proposta de dança educativa para alunos com deficiência intelectual. Dissertação. Programa de Pós-Graduação

em Artes. Universidade de Brasília, 2017.

RENGEL, Lenira. Os Temas do Movimento de Rudolf Laban: I, II, III, IV, V, VI, VII e VIII: modos e referências de aplicações. São Paulo: Annablume, 2008.

SILVA, Ângela Ferreira da. Projeto Dança Criança e a Escola Cidadã: O Aprendizado da Dança na construção de Significados. Porto Alegre: 2007

SILVA, Graziela Mazziotti Soares da. SCHWARTZ, Gisele Maria. A Expressividade na Dança: Visão do profissional. Motriz, V. 05, n. 2. São Paulo, 1999 (p. 168-177)

SILVA, Luciene Maria da. A deficiência como expressão da diferença. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 44. p. 111-133. dez. 2006.

SILVA, Silvana dos Santos. A Dança, Sentidos e Significados. Revista Digital Buenos Aires, Ano 14 Nº 139 - dezembro de 2009.

VIEIRA, Marcílio Souza. Abordagens Somáticas do Corpo na Dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença. UFRN: Rio Grande do Norte, 2015. v. 0 n. 1.

THONES, Ana Paula Bellochio. PEREIRA, Marcelo de Andrade. Um entre o Outro e Eu - do

estranho e da alteridade na educação. Revista Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 38, n. 2, p. 501-520, abr./jun. 2013. Disponível em: http:// www.ufrgs.br/edu_realidae Acesso: 18/07/2017

ZIMMERMANN, Ana Cristina. Ensaio sobre o Movimento Humano: jogo e expressividade. Tese de doutorado. UFSC. Programa de Pós-Graduação em Educação. Florianópolis, SC, 2010.

Downloads

Publicado

2018-11-29

Como Citar

PAULINO, B. R.; BAREICHA, P. S. de A. Movimento e Expressividade : Dança educativa para alunos com deficiência intelectual. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 8, n. 16, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15595. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática