A produção escrita de brasileiros aprendizes de inglês como língua estrangeira: uma análise com base no uso de input diversificados

Autores

  • Marden Oliveira Silva Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Liliane de Oliveira Neves Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Valéria Netto Valente Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Gláucia Maria de Moura Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.10.1.118-138

Palavras-chave:

aquisição de LE, input diversificados, produções escritas.

Resumo

RESUMO:A aquisição de língua estrangeira (LE) tem sido muito pesquisada pela Linguística Aplicada, enfocando os campos linguístico, cognitivo e social. Com base nas teorias sobre input, este artigo objetivou analisar qualitativamente produções escritas (output) de alunos brasileiros aprendizes de inglês como LE em um curso de nível intermediário, a partir de input diversificados. Para a composição do corpus, foram utilizados e-mails produzidos por esses alunos. Na amostra selecionada, os dados demonstraram que o input diversificado pode ter contribuído para a compreensão leitora dos alunos, mas não contribuiu para que eles produzissem textos mais adequados à situação de comunicação estabelecida.

  

ABSTRACT:The acquisition of foreign language (FL) has been widely researched in Applied Linguistics, focusing on social, cognitive and linguistic fields. Based on input theories, this article aimed at qualitatively analyzing written productions (output) of Brazilian students, using diverse input. All participants were enrolled in an EFL intermediate level course. In order to create the corpus, emails written by those students were used. From the selected sample, data showed us that the use of different kinds of input may have contributed to students' reading comprehension, but it was not enough to help students to produce more appropriate texts to the communication established.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marden Oliveira Silva, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Graduado em Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto (2007), com habilitação no ensino de Língua Inglesa. Mestre em Estudos de Linguagens pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), com foco no ensino de língua inglesa mediado pelas novas tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) e nos processos interacionais envolvidos. Participa dos grupos de pesquisa INFORTEC - Núcleo de Pesquisa em Linguagens e Tecnologia e NALET - Núcleo de Aprendizagem de Línguas e Ensino Tecnológico, ambos do CEFET-MG. Professor vinculado ao Departamento de Linguagem e Tecnologia (DELTEC) do CEFET-MG.

Liliane de Oliveira Neves, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Possui graduação em Letras pela Faculdade de Filosofia e Letras de Diamantina (FAFIDIA - 2005), mestrado em Estudos de Linguagens pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG - 2012), doutorado em andamento (2015-2018) pelo CEFET-MG. É secretária executiva do CEFET-MG. Atua na área de Linguística Aplicada e Análise do Discurso. Temas de pesquisa: exame Celpe-Bras, ensino e aprendizagem de Português como língua estrangeira, interlíngua, enunciação, argumentação. É membro do Grupo de Pesquisas em Linguagem e Tecnologia (INFORTEC), da Associação Mineira dos Professores de Português como Língua Estrangeira (AMPPLIE) e é colaboradora do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), na avaliação do Exame que confere o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras).

Valéria Netto Valente, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Mestre em Estudos de Linguagens pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET-MG (2012). Especialista em Língua Inglesa pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1997). Professora de inglês e português, com experiência no ensino de graduação em cursos emergenciais da PUC-MG. Participou da implementação, coordenação e atuou em cursos de extensão no Centro de Idiomas do CEFET-MG. Atualmente é professora do ensino básico técnico e tecnológico e também do Curso de Letras do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Exerceu o cargo de sub-coordenadora do Curso de Letras. Tem experiência na elaboração de provas para processo seletivo dos cursos superiores e da pós-graduação do CEFET-MG. Atua na formação continuada de servidores da Instituição e em cursos de extensão do Centro de Línguas e Culturas do CEFET-MG.

Gláucia Maria de Moura, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Pós-graduada em TESOL (Teachers of English to Speakers of other Languages) na Cal State Fullerton nos Estados Unidos e em Língua Inglesa pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Atualmente é professora efetiva, regime dedicação exclusiva do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais participa da comissão do CLIC (Centro de Línguas e Culturas) com o objetivo de ser pilar para pesquisa e desenvolvimento dos profissionais., Deu início à coordenação de Línguas estrangeiras e seus laboratórios, coordenou a mesma e desenvolveu projetos de extensão em línguas estrangeiras para a instituição e para a comunidade externa como o Centro de Idiomas e o Comunicando (atividades interativas de conversação). Promoveu cursos e seminários para o desenvolvimento de professores. Participou de trabalhos voluntários para a formação de crianças e adolescentes.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org.). Parâmetros Atuais no Ensino de Português Língua Estrangeiras. Campinas: Pontes Editores, 1997.

ALMEIDA FILHO, J. C. P.; BARBIRATO, R. C. Ambientes Comunicativos para Aprender Língua Estrangeira. Trabalhos de Linguística Aplicada, Campinas: Editora da Unicamp, v. 36, p. 23-42, 2000.

BARBOSA, J. R. A. Interlíngua: contribuições para a aquisição de L2. Expressão, Mossoró, v. 38, p. 45-54, 2007.

BAZERMAN, C. A vida do gênero, a vida na sala de aula. In: HOFFNAGEL, J. C. e DIONÍSIO, A. P. (Orgs.). Gênero, agência e escrita. São Paulo: Cortez, 2006, p. 23-37.

BERBER-SARDINHA, A. P. Proficiência e compreensão de telenotícias em língua estrangeira. DELTA, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 177-190, ago. 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44501997000200001&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 15 mai. 2017.

BRESSAN, C. G. A elaboração de tarefas com vídeos autênticos para o ensino de Línguas Estrangeiras. 2002. 231f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de PósGraduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, nov. 2002. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12508. Acesso em: 15 mai. 2017.

BROWN, H. D. Teaching by Principles: An Interective Approach to Language Pedagogy. White Plains, New York: Pearson-Longman, 2007.

COADY, J.; HUCKIN, T. Second language vocabulary acquisition. Cambridge University Press, 1997.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Literacies. Cambridge: Cambridge University Press, 2012.

CRYSTAL, D. Directions in Applied Linguistics. New York: Academic Press, 1981. DELL’ISOLA, R. L. P. Gêneros textuais em livros didáticos de português língua estrangeira: o que falta? In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L (Orgs.). O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2009, p. 99- 120.

DIAS, R. Critérios para a avaliação do livro didático de línguas estrangeiras. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Orgs.). O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2009, p. 199-234.

ELLIS, R. Understanding Second Language Acquisition. Oxford: Oxford University Press, 1985.

KRASHEN, S. Principles and practice in second language acquisition. Tradução de José Carlos Paes de Almeida Filho. New York: Prentice Hall, 1987.

KRASHEN, S. The power of reading. Englewood, CO: Libraries Unlimited, 1993.

MCLAUGHLIN, B. Restructuring. Applied Linguistics, Oxford Academic, v. 11, ed. 2, p. 113-128, 1990.

MYLES, J. Second Language Writing and Research: The Writing Process and Error Analysis in Student Texts. TESL-EJ, v. 6, n. 2, A-1, set. 2002. Disponível em: http://www.cc.kyoto-su.ac.jp/information/tesl-ej/ej22/a1.html. Acesso em: 18 mai. 2011.

OLSHTAIN, E. Functional tasks for mastering the mechanics of writing and going just beyond. In: CELCE-MURCIA, M. Teaching English as a Second or Foreign Language. Boston, MA, USA: Heinle & Heinle, 2001, p. 207-217.

PACHECO, D. G. L. C. Português para estrangeiros e os materiais didáticos: um olhar discursivo. 2006. 335f. Tese (Doutorado em Letras) - Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 2006. Disponível em: https://oportuguesdobrasil.files.wordpress.com/2015/02/pachecodglc.pdf. Acesso em: 15 mai. 2017.

PAIVA, V. L. M. O. E-mail: um novo gênero textual. In: MARCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos (Orgs.). Hipertexto e gêneros digitais. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 68-90.

PAIVA, V. L. M. Aquisição de segunda língua. São Paulo: Parábola, 2014.

RIBEIRO, T. S. E-mail e Blog: "gêneros textuais" ou veículos de comunicação? Hipertextus Revista Digital, Recife, n. 2, p. 1-9, jan. 2009. Disponível em: http://www.hipertextus.net/volume2/Tiago-Silva-RIBEIRO.pdf. Acesso em: 15 mai. 2017.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Os gêneros escolares: das práticas de linguagem aos objetos de ensino. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 11, p. 5-17, 1999.

SELINKER, L. Interlanguage. IRAL, Berlin, v. 10, n. 3, p. 209-231, 1972. https://doi.org/10.1515/iral.1972.10.1-4.209.

SILVA, R. M. R. O efeito retroativo do Celpe-Bras na cultura de aprender de candidatos ao exame. 2006. 142f. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de São Carlos, 2006.

SILVA, W. M. Livros didáticos: fomentadores ou inibidores da autonomização. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Orgs.). O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas, Campinas: Mercado de Letras, 2009, p. 57-78.

SMITHSONIAN EDUCATION. Vídeo Smithsonian Institution’s National Museum of Natural HistoryNational Museum of Natural History – Student Orientation Video. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=CxO2GW4QT_M. Acesso em: 20 mai. 2011.

SWAIN, M. The output hypothesis: theory and research. In: HINKEL, E. (Ed.). Handbooks of research in second language teaching and learning. Mahwa, NJ: Lawrence Erlbaum, 2005, p. 471-484.

VENTURI, M. A. Perfil de estudos em Linguística Aplicada e língua estrangeira no Brasil. In: DEL RÉ, A. (Org.). Aquisição da linguagem: uma abordagem psicolinguística. São Paulo: Contexto, 2006. p. 113-134.

WALESKO, A. M. H. A Interculturalidade no Ensino Comunicativo de Língua Inglesa: um estudo em sala de aula com leitura em inglês. 2006. 139f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006. Disponível em: http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/10383/ANGELA_M_H_WALESKO.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 mai. 2017.

WIDDOWSON, H. C. Explorations in Applied Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 1979.

Downloads

Publicado

2017-06-26

Como Citar

SILVA, M. O.; NEVES, L. de O.; VALENTE, V. N.; DE MOURA, G. M. A produção escrita de brasileiros aprendizes de inglês como língua estrangeira: uma análise com base no uso de input diversificados . Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 10, n. 1, p. 118–138, 2017. DOI: 10.17851/1983-3652.10.1.118-138. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16749. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Linguística e Tecnologia