Estresse por alumínio no orégano em cultivo hidropônico

Autores

  • Julian Rodrigues Silva
  • Karoline Paulino Costa Instituto de Ciências Agrárias - Universidade Federal de Minas Gerais
  • Francine Souza Alves Fonseca
  • Iago Thomas do Rosário Vieira
  • Ernane Ronie Martins
  • Cândido Alves da Costa

Palavras-chave:

Origanum vulgare L.. Plantas condimentares. Antioxidante. Metabolismo secundário. Flavonoides.

Resumo

O orégano é uma planta medicinal aromática, utilizada ao longo da história humana com objetivo de conservar as propriedades dos alimentos, sendo considerado um antioxidante natural. Essa característica está associada às substâncias que são produzidas durante seu metabolismo secundário, e tal processo é influenciado por fatores adversos aos quais a planta está submetida. Assim, o objetivo desse estudo foi avaliar a influência do estresse por alumínio na produção de biomassa e metabolitos secundários de orégano (Origanum vulgare L.) cultivado em sistema hidropônico. Foi utilizado o sistema NFT de cultivo, com cinco doses de alumínio na forma de AlCl3.6H2O (0 - controle; 1,25; 2,5; 3,25; 5 e 7 mg L-1 de solução nutritiva) como tratamentos, em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Ao final do ciclo de cultivo foi avaliada a produção de biomassa, e para verificar a influência sobre o metabolismo secundário, foram analisados os teores de prolina livre, de flavonoides totais e a atividade antioxidante. Além disso foi avaliado o acúmulo de nutrientes nas folhas. As plantas submetidas ao estresse por alumínio apresentaram redução na produção de biomassa, teor de flavonoides e acumulo de nutrientes, com aumento no teor de prolina livre e atividade antioxidante. Assim, é possível concluir que o estresse por alumínio influencia a produção de biomassa e no metabolismo secundário do orégano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVARENGA, I. C. A. et al. Prolina livre em alecrim-pimenta sob estresse hídrico antes da colheita. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v. 13, p. 539-541, 2011.

BASLI, A. et al. Activité antibactérienne des polyphénols extraits d’une plante médicinale de la flore d’Algérie: Origanum glandulosum Desf. Phytothérapie, v. 10, n. 1, p. 2-9, 2012.

BENCHIKHA, N. B; MENACEUR, M. MENACEUR; BARHI, Z. Extraction and antioxidant activities of two species origanum plant containing phenolic and flavonoid compounds. Journal of Fundamental and Applied Sciences, v. 5, n. 1, p. 120-128, 2013.

CARBONI, T. R. Análise de crescimento, trocas gasosas, potencial antioxidante e óleo essencial de Origanum vulgare L. ssp. vulgare. 2013. 67 f. Dissertação (Mestrado Fisiologia e Bioquímica Vegetal) -Instituto de Biociências, Universidade do Estado de São Paulo, Botucatu, 2013.

CORRÊA, R. M. et al. Crescimento de plantas, teor e qualidade de óleo essencial de folhas de orégano sob malhas coloridas. Global Science and Technology, v. 5, n. 1, 2012.

EPSTEIN, E.; JUNIOR BLOOM, A. J. Nutrição Mineral de plantas, Princípios e perspectivas. Londrina: Planta, 2006. 401 p.

FURLANI, P. R. Instruções para o cultivo de hortaliças de folhas pela técnica de Hidroponia NFT. Campinas: Instituto Agronômico, 1998. 30 p.

GIANNAKOULA, A. et al. Aluminum tolerance in maize is correlated with increased levels of mineral nutrients, carbohydrates and proline, and decreased levels of lipid peroxidation and Al accumulation. Journal of plant physiology, v. 165, n. 4, p. 385-396, 2008.

GOBBO-NETO, L.; LOPES, N. P. Plantas medicinais: fatores de influência no conteúdo de metabólitos secundários. Química nova, v. 30, n. 2, p. 374, 2007.

KHALFI, O. et al. Chemical composition and insecticidal properties of Origanum glandulosum (Desf.) essential oil from Algeria. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 88, n. 9, p. 1562-1566, 2008.

LATTANZIO, V. et al. Relationship of secondary metabolism to growth in oregano (Origanum vulgare L.) shoot cultures under nutritional stress. Environmental and Experimental Botany, v. 65, n. 1, p. 54-62, 2009.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Metodologia para Análise de Elementos em Material Vegetal. In: Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2.ed., ver. e atual.--Piracicaba: POTAFOS, 1997. cap. 6.

MANIVANNAN, P. et al. Growth, biochemical modifications and proline metabolism in Helianthus annuus L. as induced by drought stress. Colloids and Surfaces B: Biointerfaces, v. 59, n. 2, p. 141-149, 2007.

MOLINARI, H. B. C. et al. Evaluation of the stress‐inducible production of proline in transgenic sugarcane (Saccharum spp.): osmotic adjustment, chlorophyll fluorescence and oxidative stress. Physiologia Plantarum, v. 130, n. 2, p. 218-229, 2007.

MOSSI, A. J. et al. Effect of aluminum concentration on growth and secondary metabolites production in three chemotypes of Cunila galioides Benth. medicinal plant. Brazilian Journal of Biology, v. 71, n. 4, p. 1003-1009, 2011.

SANTOS, V. B. Produção hidropônica de orégano (Origanum vulgaris) e agrião da terra (barbarea verna), em diferentes concentrações de solução nutritiva. Horizonte Científico, v. 2, n. 1, 2008.

SILVA, J. B. C.; NOVAIS, R. F.; SIGUEYUKI, S. C. Comportamento de genótipos de soja em solo com alta saturação de alumínio. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 19, n. 3, p. 287-298, 1984.

SILVA, J. R. et al. Cultivo Hidropônico. UFMG, 2014. 36p.

SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica sistemática: Guia ilustrado para identificação das famílias de angiospermas da flora brasileira, baseado em APG II. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2005. 640 p.

TEIXEIRA, B. et al. Chemical composition and bioactivity of different oregano (Origanum vulgare) extracts and essential oil. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 93, n. 11, p. 2707-2714, 2013.

VALDÉS OYERVIDES, F. J. et al. Ion and salt effects on the productivity and proline accumulation in Lippia gravolens HBK. Phyton, Buenos Aires, v. 81, p. 191-198, 2012.

VIEIRA JÚNIOR, P. A. et al. Relações entre o potencial e a temperatura da folha de plantas de milho e sorgo submetidas a estresse hídrico. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 29, n. 4, p. 555-561, 2007.

Downloads

Publicado

2017-08-31

Como Citar

Silva, J. R., Costa, K. P., Fonseca, F. S. A., Vieira, I. T. do R., Martins, E. R., & Costa, C. A. da. (2017). Estresse por alumínio no orégano em cultivo hidropônico. Caderno De Ciências Agrárias, 9(2), 16–27. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2963

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)