À Mary Shelley

materialidade do papel e sua importância no processo de criação das obras para a exposição Os sentidos da forma – O design como ato poético

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.25725

Palavras-chave:

Materialidade do papel, Cultura material, Design e Arte

Resumo

Este artigo aborda a materialidade adotada nas obras para a exposição Os sentidos da forma – o design como ato poético, evento artístico-cultural da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no âmbito da disciplina Design, Matéria e Produto, do Programa de Pós-Graduação em Design. A obra literária de Mary Shelley, Frankenstein ou O Prometeu Moderno, foi interpretada considerando a materialidade do papel, material sensível ao tempo e mutável mediante determinadas técnicas de trabalho. O processo de desenvolvimento da série será discutido neste artigo, traduzindo-se em um estudo que envolveu a adoção de processo criativo colaborativo no design. Este estudo é parte de uma pesquisa de mestrado que permeia a arte, o design e a sua materialidade.

Biografia do Autor

Anielizabeth Bezerra Cruz, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Moda pelo Instituto Zuzu Angel / Universidade Veiga de Almeida (2001), especialização em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008), MBA em Figurino e Carnaval pela Universidade Veiga de Almeida (2018). Atualmente é aluna do Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Design – Escola de Belas Artes- Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Graduação em História, também na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Estudou ilustração na Scuola Internazionale de Illustrazione Stepan Zavrel, Sàrmede – Vêneto – Itália. Atua como ilustradora, com ênfase em livros de literatura infantil, mas também cria identidades visuais para diferentes projetos no campo do Design. Atua como figurinista, aderecista e cenógrafa em escolas de samba do Rio de Janeiro e para algumas companhias teatrais. Atualmente é professora colaboradora do MBA em Figurino e Carnaval da Universidade Veiga de Almeida, na Disciplina Laboratório de Criação em Carnaval – Perucas Carnavalescas. Tem experiência em formação de leitores, atuando principalmente nos seguintes temas: leitura de imagem, professores leitores, o livro ilustrado no contexto escolar, literatura para a primeira infância. Atuou como professora e diretora adjunta na Secretaria Municipal do Rio de Janeiro, entre os anos 1999 e 2013, atuando sobretudo com Educação Infantil. O tema de pesquisa do Mestrado é: “Processos de criação de objetos vestíveis performativos a partir do jogo entre a materialidade do papel e a materialidade textual e imagética do romance Frankenstein, de Mary Shelley”. Linha de Pesquisa: Design e Cultura. Orientadora: Professora Drª Larissa Elias. Integrante do LED - Laboratório de Experimentações em Design e do LabAtor, ambos vinculados ao PPGD - UFRJ. É graduanda do Curso de História da Universidade Federal do Rio de JUaneiro.

Ana Karla Freire de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pós-Doutorado em Design - Universidade de Aveiro, Portugal. Doutorado em Engenharia de Materiais e de Processos Químicos e Metalúrgicos - PUC Rio. Mestrado em Engenharia Agrícola - Universidade Federal de Campina Grande, PB. Bacharelado em Desenho Industrial - Universidade Federal da Paraíba. Professora Associada do Curso de Desenho Industrial, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Docente do Programa de Pós-Graduação em Design, Escola de Belas Artes da UFRJ, atuando na Área de Concentração, Design, Tecnologia e Imagem. Fundadora e pesquisadora do Grupo de Pesquisa LED - Laboratório de Experimentações em Design da Escola de Belas Artes, Programa de Pós-Graduação em Design, UFRJ. Patente de inventora concedido pelo INPI pelo desenvolvimento de material ecocompósito durante pesquisa de Doutorado em Engenharia de Materiais, Puc Rio. Pesquisadora da área de Design & Materiais e Métodos para seleção de materiais e processos no design. Membro da Comissão Avaliadora do Gampi Plural 2017. Chair I Congresso Internacional Design & Materiais 2016. Avaliadora de artigos do II Congresso Internacional Design & Materiais 2017. Avaliadora de artigos do 12°, 13º e 14º P&D 2016, 2018 e 2020, Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Membro do Comitê Científico do SBDS + ISSD 2017 - Simpósio Brasileiro de Design Sustentável + International Symposium on Sustainable Design. Chair e Avaliadora de Artigos Científicos do 6º ETD - Ergotrip Design 2017, área de Design de Produto.

Referências

ASHBY, M.F.; JOHNSON, K. Materiais e design: arte e ciência da seleção de materiais no design de produto; tradução de Arlete Simille Marques; revisão técnica de Mara Martha Roberto e Ágata Tinoco. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

BERNHEIM, Cathy. Mary Shelley: Uma biografia da autora de Frankenstein. Traduzido de José Alfaro. Lisboa: Antígona, 2014.

BIGAL, S. O design e o desenho industrial. São Paulo: Annablume, 2001.

CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo. Ubu, 2016.

CARPENTER, C. h. et al. Papermaking fibers. New York: State University College of Forest at Syracuse, 1963. CHC – Ciência Hoje das Crianças. De onde veio o papel. Disponível em: <http://chc.org.br/artigo/de-onde-veio-o-papel/>. Acesso em: 12 fev. 2020.

DELEUZE, Gilles. GUATTARI, Félix. Do caos ao cérebro. In: _____. O que é a filosofia? São Paulo: Editora 34, 1992. p. 211-257.

DELEUZE, Gilles. GUATTARI, Félix. Percepto, afecto e conceito. In: _____. O que é a filosofia? São Paulo: Editora 34, 1992. p. 257-271.

DESMET, P.M.A; HEKKERT, P. Framework of Product Experience. International Jounal of Design, Taiuã: IJDesign, v.1, n. 1, p. 13-23, 2007.

DOHMANN, Marcus. Cultura material: sobre uma vivência entre tangibilidades e simbolismos. Diálogo com a Economia Criativa, Rio de Janeiro, v. 2, n. 6, p. 41-53, set.-dez. 2017.

DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Rio de Janeiro: Rocco, 2014. p. 91-127.

FERRETI, F.S; FREIRE, K. Tu me ensina a fazer renda que te ensino a projetar: o papel do designer em processos colaborativos para inovação. Strategic Design Research Journal, v. 6, n. 2, p. 64-71, maio-ago. 2013.

FOCILLON, H. Vida das formas. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

FORTES, Hugo et al. A partilha do comum na performance Contra X Tempo: Processo criativo colaborativo como ato estético e político. Pós, Belo Horizonte, v. 9, n. 18, p. 58-86, nov. 2019. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/16116/12948>. Acesso em: 10 jun. 2021.

FRITOLI, C.M; KRÜGER, E; CARVALHO, S.K.P. História do papel: panorama evolutivo das técnicas de produção e implicações para sua preservação. RICI: R.Ibero-amer. Ci. Inf., Brasília, v. 9, n. 2, p. 475-502, jul.-dez. 2016.

GOGH, Van. Cartas a Théo. Edição ampliada, anotada e ilustrada. Tradução de Pierre Ruprecht. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2019.

GORDON, Charlotte. Mulheres extraordinárias: as criadoras e a criatura. Tradução de Giovanna Louise Libralon. Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2020.

HEKKERT, P.; KARANA, E. Chapter 1. Designing Material Experience. In: HEKKERT, P.; KARANA, E. Materials experience fundamentals of materials and design – 2014. Oxford, UK. Elsevier. “paginação irregular”.

HOBSBAWN, Eric. O Mundo Burguês. In: A Era do Capital – 1848 a 1875. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. p. 241-261

JACKSON, Paul. Texturas en papel: Técnicas de diseño de superficies. Barcelona: Promopress, 2017.

JUNG e a Psicologia Analítica. Disponível em: <http://institutojunguianorj.org.br/jung-e-apsicologia-analitica/>. Acesso em: 1 out. 2020

KÖHLER, Carl. História do Vestuário. São Paulo: Martins Fontes, 1996. 483-497p.

KARANA, Elvin; HEKKERT, Paul; KANDACHA, P. A tool for meaning driven materials selection. Materials & Design, v. 31, p. 2932-2941, dez. 2010.

LAW, E. et al. Understandign, scoping, and defining user experience: a survey approach. Paper Presented at the ACM SIGCHI Conference on Human Factors in Computing Systems (CHI2009), April 4-9 2009, Boston, MA.

MAZZA, A.C.A; IPIRANGA, A.S.R; FREITAS, A.A.F. O design, a arte e o artesanato deslocando o centro. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, dez. 2007. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/cebape/a/qrvDggBkpvgtT8GfdnC3mjd/?lang=pt>. Acesso em: 10 jun. 2021.

MAIOCCHI, M; PILLAN, M. Design e comunicazione. Milano: Alinea, 2009.

MAIOCCHI, M; PILLAN, M. Design Emocional (ou simplesmente design?). Cadernos de Estudos Avançados em Design – Emoção, p. 25-42, 2013.

MARTINS, Wilson. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca. 3. ed. São Paulo: Ática, 1996.

MERONI, A. Strategic design: where are we now? Reflection around the foundations of a recente discipline. Strategic Design Research Journal, v. 1, n. 1, p. 31-38, 2008.

MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

MINGUET, Eva. Paper art now!. Barcelona: Monsa Publications, 2015.

MOTTA, Edson; SALGADO, Maria Luiza. O papel: problemas de conservação e restauração. Petrópolis: Museu de Armas Ferreira Cunha, 1971.

NAKAO, Jum. A Costura do Invisível. São Paulo: Senac Editora, 2005.

NORMAN, Donald A. Design Emocional: Porque adoramos (ou detestamos) os objetos do dia a dia. Tradução de Ana Deiró. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

PATTON, Q.M. How to use qualitative methods in evalution. New Dehli: Sage Publications. 1987.

PERITO, Renata. O que é moulage? Disponível em: <http://www.renataperito.com/?p=781>. Acesso em: 10 ago. 2020.

REIS, A.A. A materialidade do design. Cadernos de Estudos Avançados em Design – Multiculturalismo, p. 55-71, 2013.

ROTH, Otávio. Criando papéis: o processo artesanal como linguagem. São Paulo: MASP, 1982.

SALLES, Cecilia Almeida. Redes da Criação: construção da obra de arte. Vinhedo: Horizonte, 2006.

SHELLEY, Mary. Frankenstein ou o Prometeu Moderno. São Paulo: Zahar, 2017.

VALÉRY, Paul. Questões de poesia; Primeira aula do Curso de Poética. In: ______. Variedades. São Paulo: Iluminuras, 1991. p. 177-186; 187-200.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

CRUZ, A. B.; OLIVEIRA, A. K. F. de. À Mary Shelley: materialidade do papel e sua importância no processo de criação das obras para a exposição Os sentidos da forma – O design como ato poético. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 22, p. 189–220, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.25725. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/25725. Acesso em: 16 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática