Perversões em Woman’s World

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.25820

Palavras-chave:

Literatura e imagem, Romance híbrido, Perversão e criação artística, Mise en abyme

Resumo

Além de qualificar uma estrutura psicopatológica, o termo perversão, de modo geral, refere-se a algo que causa repulsa ou é condenável. Mas o termo pode assumir conotações positivas. Neste artigo, associa-se à ideia de caminho e vincula-se à criatividade artística. Propõe-se uma leitura da obra e da personagem principal do romance híbrido Woman’s World: a graphic novel, do escritor e designer gráfico britânico Graham Rawle. Publicado pela primeira vez em 2005, as mais de 400 páginas do livro foram compostas, uma a uma, utilizando recortes extraídos de revistas femininas do início dos anos de 1960. O conceito de mise en abyme é associado à perversão conjugada à criação artítica, e configura-se de modo literal no final do artigo.

Referências

ARTE Degenerada. Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo328/arte-degenerada>. Acesso em: 31 mar. 2020.

CULLER, Jonathan. Sobre a desconstrução: teoria e crítica do pós-estruturalismo. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1997.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo. Perspectiva, 1973.

DÄLLENBACH, Lucien. Le récit spéculaire: essai sur la mise en abyme. Paris: Seuil, 1977.

DUNKER, Christian Ingo Lenz. Dossiê Perversão. Revista Cult. São Paulo: Bregantini, s. d. Disponível em: < https://revistacult.uol.com.br/home/dossie-perversao> Acesso em: 31 mar. 2020.

GARCIA, Angelo Mazzuchelli. A literatura como design gráfico: a linguagem em cena. Belo Horizonte: C/Arte, 2013.

HERMENS, Janske. Entartung: as vicissitudes de uma palavra tabu. Alguns aspectos do uso das palavras "Entartung" e "Degeneration" em Nietzsche. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-82422012000200006>
Acesso em: 31 mar. 2020.

KESKINEN, Mikko. Facsimile: the makings of the similar in Graham Rawle’s collage novel Woman’s World. Image [&] Narrative, v. 17, n. 1, 2016, p. 86-100.

KOGUT, Eliane. Crosdressing masculino: uma visão psicanalítica da sexualidade crossdresser. 2006. 254 f. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

LEONG, Michael. Writing with Scissors: Graham Rawle’s Woman’s world. 2012. Disponível em: <http://hyperallergic.com/51070/graham-rawle-womans-world>. Acesso em: jun. 2019.

LIMOGES, Jean-Marc. La Mise en abyme imagée. Textimage, n. 4, 2011. Disponível em: <http://www.revue-textimage.com/06_image_recit/limoges1.html> Acesso em 9 nov. 2019.

NATIVIDADE, Everton. A mise en abyme como recurso eniano nos anais. Aletria, v. 19, n.3, jul./dez. 2009. p. 47-56.

NETTO, Geraldino A. Ferreira. Perversões ou perversão. Estilos da Clínica. n. 4, 1999. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-71281999000100016> Acesso em mar. 2020.

RAWLE, Graham. Woman’s world: a graphic novel. London: Atlantic, 2006.

REIS, Carlos. Pessoas de livro: estudos sobre personagens. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2016.

SPITERI, Raymond A. Painting and the Cultural Politics of Surrealism1924-1929. 1989. 392p. Thesis (Doctor in Philosophy) – School of Architecture and Fine Arts /
University of Western Australia, Perth, 1989.

ROUDINESCO, Elisabeth. A parte obscura de nós mesmos: uma história dos perversos. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

GARCIA, A. M. Perversões em Woman’s World. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 22, p. 402–423, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.25820. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/25820. Acesso em: 16 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta