Os impactos da gamificação e a utilização de jogos educacionais nas aulas de língua inglesa

TOEFL iBT Produção Oral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2021.24946

Palavras-chave:

Ensino de línguas, Língua inglesa, Gamificação, Produção oral

Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar o potencial impacto da gamificação e da introdução de jogos educacionais na motivação e na proficiência linguística de estudantes de Língua Inglesa no decorrer de um curso de 16 horas de TOEFL iBT: Produção Oral em uma universidade pública do Estado do Paraná. Dentre os integrantes do curso, dois alunos de pós-graduação participaram ativamente da coleta dos dados. Durante as aulas, foram utilizados elementos diversificados de gamificação, e os jogos educacionais que contemplaram trabalho em grupo, competição, desenvolvimento da habilidade oral na língua estrangeira, pensamento rápido e tomada de decisões. Para analisar os impactos motivacionais, ao final do curso, foi aplicado um questionário acerca das percepções dos alunos sobre as práticas gamificadas e os jogos utilizados em sala de aula. Para a análise da proficiência linguística, foi conduzida uma análise de aprimoramento lexical utilizando o database interativo English Profile a partir de gravações de um mesmo teste realizado no início e no final do curso. Os resultados apontam que os estudantes acreditam que as aulas gamificadas e a utilização de jogos educacionais auxiliaram positivamente no processo de aprendizagem quanto a motivação, engajamento e autoconfiança. Por sua vez, a análise das gravações apontou que não houve ganhos significativos no que se refere ao aprimoramento linguístico da produção oral dos estudantes. Concluímos que, apesar de a gamificação mostrar-se como uma estratégia didática eficiente em relação ao envolvimento do estudante, faz-se necessário ampliar pesquisas e experiências didáticas que possam subsidiar dados mais aprofundados no âmbito do ensino de línguas estrangeiras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samantha Ramos , Universidade Estadual de Londrina

Docente do Departamento de Letras, Língua Inglesa, Universidade Estadual de Londrina  (UEL) – Brasil- Paraná. Doutora em Estudos da Linguagem

Raquel Carlos, Universidade Estadual de Londrina

Graduada de Letras Inglês- Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Paraná – Brasil.

Giovanna Mollero, Universidade Estadual de Londrina

Mestranda em Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, Paraná – Brasil. Professora de Língua Inglesa.

Referências

BRITO, A. Level up: uma PROPOSTA de processo gamificado para a educação. 2017. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Instituto Metrópole Digital, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Software. Natal, RN, 2017.

BURKE, B. Gamify: how gamification motivates people to do extraordinary things. Brookline, MA: Gartner Inc, 2014.

BZUNECK, J. A. As crenças de auto-eficácia dos professores. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

CHOU, Y.-K. Actionable Gamification: Beyond points, badges, and leaderboards. Fremont, CA, USA: Octalysis Media, 2015.

CHOU, Y.-K. Gamification & Behavioral Design – Learn how to use Gamification to make a positive impact on your work and life, 2017. Disponível em: https://yukaichou.com/gamification-examples/octalysis-complete-gamification-framework/. Acesso: em 15 jun. 2018.

COUNCIL OF EUROPE. Common European Framework of Reference for Languages: Learning, Teaching, Assessment (CEFR), 2018. Disponível em: https://www.coe.int/en/web/common-european-framework-reference-languages. Acesso em: 28 jul. 2018.

FITZGERALD, K. Instructional methods: Selection, use, and evaluation. In: BASTABLE, S. B. (ed.). Nurse as educator: Principles of teaching and learning for nursing practice. Sudbury, MA: Jones and Bartlett, 1997. p. 261-286.

GEE, J. P. What video games have to teach us about learning and literacy. New York: Palgrave Macmillan, 2003.

GEE, J. P. Situated language and learning: a critique of traditional schooling. London: Routledge, 2004.

GEE, J. P. Why video games are good for your soul: pleasure and learning. Melbourne: Common Ground, 2005.

GEE, E.; GEE, J. P. Games as Distributed Teaching and Learning Systems. Teachers College Record, New York, v. 119, n. 12, 2017. Acesso em: 1º jul. 2018. Disponível em: https://www.learntechlib.org/p/189294/. Acesso em: 1º jul. 2018.

GOZCU, E.; CAGANAGA, C. K. The importance of using games in EFL classrooms. Cypriot Journal of Educational Sciences, Cyprus, v. 11, n. 3, p. 126-135, 2016.

HUANG, W. H.-Y; SOMAN, D. A practitioner’s guide to gamification of education. Toronto: Rotman School of Management, 2013.

KAPP, K. M. The gamification of learning and instruction: Game-based methods and strategies for training and education. San Francisco: Pfeiffer, 2012.

NIMAN, N. B. The gamification of higher education. New York, NY: Palgrave Macmillan, 2014.

PAPASTERGIOU, M. Digital game-based in high school computer science education: impact on education effectiveness and students’ motivation. Computers & Education, Elsevier, v. 53, n 3, p. 977-989, 2009.

PIETRUCHINSKI; M. H.; NETO, J. C.; MALUCELLI, A.; REINEHR, S. Os jogos educativos no contexto do SBIE: uma revisão sistemática de Literatura. SBIE, 22., WIE, 17., 2011, Aracaju. Anais… Aracaju, 2011. p. 476-485.

PINK, D. Drive: The Surprising Truth About What Motivates Us. New York: Riverhead Books, 2009 (Kindle edition).

PRENSKY, M. Nativos Digitais, Imigrantes Digitais. Tradução de Roberta de Moraes Jesus de Souza: On the Horizon, Lincoln: NCB University Press, v. 9, n. 5, p. 1-6, out. 2001.

REINERT, M. Alceste, une méthodologie d’analyse des données textuelles et une application: Aurelia de Gerard de Nerval. Bulletin de Méthodologie Sociologique, Paris: Association Internationale de Méthodologie Sociologique, v. 26, p. 24-54, 1990.

ROLAND, L. C.; FABRE, M.-C. J. M.; KONRATH, M. L. P.; TAROUCO, L. M. R. Jogos educacionais. Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre: CINTED-UFRGS, v. 2, n. 1, p. 1-7, mar. 2004.

SANTOS, R. B. dos. As tecnologias e o ensino de inglês no século XXI: reflexos na atuação e na formação do professor. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica) – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Minas Gerais. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12990. Acesso em: 27 abr. 2018.

YANG, Q.; DIXON, V. L. Application of games in college English teaching in China. Journal of international research and review, Raipur, India, v. 4, n. 2, p. 65-75, 2015.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

MELLO, D. E. de; RAMOS , S.; CARLOS, R.; MOLLERO, G. . Os impactos da gamificação e a utilização de jogos educacionais nas aulas de língua inglesa: TOEFL iBT Produção Oral . Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 13, n. 3, p. 316–333, 2020. DOI: 10.35699/1983-3652.2021.24946. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/24946. Acesso em: 9 dez. 2021.