Neuroeducação e tecnologia

parceiras emergentes no processo ensino-aprendizagem no contexto do século XXI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2022.40459

Palavras-chave:

Tecnologia, Neuroeducação, Ensino-aprendizagem, Educação

Resumo

A tecnologia facilita a vida de muitas pessoas. Inserida no meio educacional, ela oportuniza ao professor diferentes formas de dinamizar as aulas, tornando-as interessantes para os alunos. Por isso, repensar as práticas e o processo pedagógico é importante para se adquirir uma educação de qualidade. Da mesma forma surgem a neuroeducação e a neurodidática que, como disciplinas, fortalecem cada vez mais o ensino e a aprendizagem através do entendimento de como o cérebro funciona. Compreender essa dinâmica é garantir aos alunos uma aula mais bem elaborada, baseada em muita reflexão. Portanto, essa pesquisa surgiu com o objetivo geral de analisar a neuroeducação e a tecnologia como parceiras emergentes no processo de ensino-aprendizagem no contexto do século XXI. A neuroeducação e a tecnologia podem ser parceiras no processo de ensino-aprendizagem? É o problema que move esta pesquisa. Por fim, neste trabalho encontraremos a oportunidade de gerar reflexões a respeito da tecnologia associada à neurociência e sua contribuição no processo educacional. Cabe à escola, portanto, a adaptação a esses novos momentos. Assim, não resta dúvida de que a tecnologia é um grande recurso para as atividades educativas e sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORÍM, J. I.; MORAIS, I. As contribuições das novas tecnologias e dos sistemas Braille para o acesso ao conhecimento das pessoas com deficiência visual. In: ORTIZ, L.; CARRIÓN, J. J. (Ed.). Reflexionando sobre la educación inclusiva. Una apuesta de futuro. [S.l.]: Editorial Universidad de Almería, 2019.

BRANDÃO, A. dos S.; CALIATTO, S. G. Contribuições da neuroeducação para a prática pedagógica. Revista Exitus, v. 9, n. 3, p. 521, jul. 2019. ISSN 2237-9460. DOI: 10.24065/2237-9460.2019v9n3ID926. Disponível em: http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/926. Acesso em: 10 out. 2022.

CASTELLS, M.; BORGES, M. L. X. de A. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócos e a sociedade. Revisãa técnica. Rio de Janero: Jorge Zahar, 2003.

FERNÁNDEZ BATANERO, J. M.; TADEU, P. J. Capacitación tecnológica docente y discapacidad. Aminorando la brecha digital en la educación superior. In: ORTIZ, L.; CARRIÓN, J. J. (Ed.). [S.l.]: Editorial Universidad de Almería, 2019.

FERNÁNDEZ MARTÍNEZ, M. Propuesta basada en la Neurodidáctica de una “Caza del tesoro” para tercer curso de la ESO. Madrid: Editorial Inclusión, 2021.

HERNÁNDEZ FERNÁNDEZ, A.; DE BARROS, Claudia. Inclusión, atención a la diversidad y neuroeducación en Educación Física (Inclusion, attention to diversity and neuroeducation in physical education). Retos, v. 41, p. 555–561, jul. 2021. DOI: 10.47197/retos.v0i41.86070. Disponível em: https://recyt.fecyt.es/index.php/retos/article/view/86070. Acesso em: 10 out. 2022.

HURTADO LEÓN, I.; TORO GARRIDO, J. Paradigmas y métodos de investigación en tiempos de cambio. 4. ed. Carabobo, Venezuela: Episteme Consultores Asociados, 1998.

LEVY, P. Cibercultura. São Paulo (SP): Ed. 34, 1999.

LIMA DO NASCIMENTO, M. S.; ORTIZ, A.; HERNÁNDEZ FERNÁNDEZ, A. La formación tecnológica del docente y las prácticas inclusivas en el contexto brasileño. Revista Espacios, v. 41, n. 35, 2020.

MOLINA, D.; LÓPEZ, P.; HERNÁNDEZ FERNÁNDEZ, A. Formación docente en neurodidáctica. In: RODRÍGUEZ, J. M. et al. (Ed.). Investigación aplicada en Ciencias de la Educación. Barcelona: Octaedro, 2020.

NASCIMENTO, M. J. O papel da neurociência no processo de ensino aprendizagem. 2011. Monografia – Pós-Graduação Neurociência Pedagógica, AVM Faculdade Integrada, Rio de Janeiro.

NAVAS-PAREJO, M. R. et al. Entornos personales de aprendizaje (PLE) en el ámbito universitario. In: LUCENA, F. J. et al. (Ed.). Los retos educativos de la enseñanza del siglo xxi Hacia una educación de calidad, inclusiva y digital. Barcelona: Octaedro, 2022. p. 15–23.

RUIZ, C. Instrumentos de Investigación Educativa. Caracas: CIDEG, 1998.

SOUSA, I. V. Educação Inclusiva no Brasil: Deficiência intelectual e empregabilidade. [S.l.]: Editora Paco e Littera, 2020.

UNESCO. Enfoques estratégicos sobre las TICS en educación en América Latina y el Caribe. Santiago: UNESCO, 2013

Downloads

Publicado

24-10-2022

Como Citar

NASCIMENTO, M. S. L. do; SANTOS, L. da S.; CARDOSO, M. da P.; MELO, M. M. de. Neuroeducação e tecnologia: parceiras emergentes no processo ensino-aprendizagem no contexto do século XXI. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 15, p. e40459, 2022. DOI: 10.35699/1983-3652.2022.40459. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/40459. Acesso em: 29 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.