A obra cênica como experiência estética para a primeira infância

A trajetória poético-pedagógica do Núcleo Quanta

Autores

  • Suzana Schmidt Viganó Universidade de São Paulo USP

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.32924

Palavras-chave:

Artes cênicas e primeira infância, Experiência estética e primeira infância, Arte contemporânea e primeira infância

Resumo

Este artigo analisa proposta poética e pedagógica do Núcleo Quanta, de criação e pesquisa artística para a primeira infância. Busca-se aqui o diálogo entre a construção cênica e o universo das crianças pequenas, em sua singularidade ontológica e expressiva. Analisa-se: a relação entre o brincar e a experiência criativa; o corpo e o movimento das crianças e sua relação com a cena; o espaço cênico como ambiente de jogo e vivência estética; as materialidades cênicas como intermediárias entre o corpo, o movimento e o espaço; as relações entre artistas e espectadores na construção da obra cênica. Compreende-se assim a primeira infância como potência criativa e a cena como ambiente disparador da sua experiência estética singular.

Referências

ARAUJO, Everton Lampe de. O auto-teatro de Hélio Oiticica: provocações de uma arte ambiental. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p.1-18 ago./set. 2020. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/issue/view/767. Acesso em: 31/03/2021.

BÉZIERS, Marie-Madeleine e HUNSINGER, Yva. O bebê e a coordenação motora. São Paulo: Summus, 1994.

BRANDSTETTER, Gabriele. Dança como cena-grafia do saber. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v.2, n.19, p.101-111 nov.2012. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/3195. Acesso em: 30/03/2021.

CATALANO, Ana Rosa. O lugar do espectador participante na obra de Lygia Clark e Helio Oiticica. 2004. 99 f. Dissertação de Mestrado em História Social da Cultura. PUC, Rio de Janeiro, 2004.

DESGRANGES, Flávio. A inversão da olhadela: reflexões sobre o ato do espectador teatral. São Paulo: Hucitec, 2017.

FOUCAULT, Michel. O Corpo Utópico, as Heterotopias. São Paulo: n-1 edições, 2013.

LOPONTE, Luciana. Arte e metáforas contemporâneas para pensar a infância e a educação. Revista Brasileira de Educação, Porto Alegre v. 13, n. 37, p.112-122, jan./abr. 2008.

MACHADO, Marina Marcondes. A criança é performer. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre: UFRGS, vol.35, nº2, pp.115-137, maio/ago 2010.

MACHADO, Marina Marcondes. A Poética do Brincar. São Paulo: Loyola, 2004.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível. São Paulo: Editora 34, 2009.

REVISTA EDUCAÇÃO. Cultura e Sociologia da Infância: a criança em foco. São Paulo: Editora Segmento, 2013.

ROSENTHAL, Dália. Joseph Beuys: o elemento material como agente social. ARS, São Paulo, v.9, n.18. p.110-133, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-53202011000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30/03/2021.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Jogar, Representar. São Paulo: CosacNaify, 2009.

VIGANÓ, Suzana Schmidt. Quanta: a experiência estética e a primeira infância. Mauritius: Novas Edições Acadêmicas, 2019.

WINNICOTT, D.W.. O Brincar e a Realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

ZOURABICHVILI, François, O Vocabulário de Deleuze. IFCH/UNICAMP, 2004.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

VIGANÓ, S. S. A obra cênica como experiência estética para a primeira infância: A trajetória poético-pedagógica do Núcleo Quanta. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 23, p. 130–158, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.32924. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/32924. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática