O desenho animado no papel, o grafismo do papel na animação

Naruto enquanto memórias e extensão poética na presentificação das técnicas e formas do desenho japonês

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.25821

Palavras-chave:

Naruto, Papel, Técnica de desenho, Audiovisual

Resumo

Pensando nas técnicas desenvolvidas ao longo da história geral sobre o papel como um suporte artístico e focando em suas extensões expressivas no Japão, o artigo anseia por refletir sobre o estreitamento das relações entre elas e as apresentadas no desenho animado Naruto. A pesquisa ancora-se na produção bibliográfica e audiovisual, acreditando que, como fruto da contribuição do grafismo e das animações para a extensão da experiência, criação de memórias, imaginário e criatividade, o processo e a obra de Masashi Kishimoto configuram-se em uma poética como uma manifestação e preservação de documentos gráficos do imaginário japonês, em uma indissociabilidade artística instigante, confundindo o que é animação e o que é desenho, em um novo arcabouço artístico.

Biografia do Autor

Isac dos Santos Pereira, Universidade Anhembi Morumbi

Arte/Educador na Prefeitura do município de São Paulo, trabalhando com crianças e jovens do Fundamental I e II desde 2014. Possui graduação em Artes Visuais pela Faculdade Paulista de Artes (2013), Especialização em Arte/Educação: teoria e prática (2015) pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Especialista em Neurociências aplicada a educação (2018) e Mestre em Comunicação Audiovisual pela Universidade Anhembi Morumbi (2020), com pesquisa sobre Naruto na sala de aula. Atua no componente Arte com ênfase em pesquisa nos temas História da Arte/Educação Modernista e Pós-modernista e sua interlocução com a comunicação audiovisual, Arte na Educação Escolar, Animações, desenhos e pintura infantojuvenis feitas nas aulas de Arte. Atualmente, também participa do grupo de estudos de professores ativos na educação paulista, com reflexões e publicações de livros sobre Arte/educação e Educação em geral no sistema escolar contemporâneo. Direciona e organiza os livros pela Editora Livro Alternativo. Criador e autor principal dos textos da Coluna “Catalog’Art: Naveg’Ações de Estudantes” da revista Primeira Evolução, onde publica desenhos e pinturas de estudantes do fundamental I com reflexões teóricas diversas

Maria Ignês Carlos Magno, Universidade Anhembi Morumbi

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras das Faculdades Associadas do Ipiranga (1974), mestrado em História Cultural pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente é Professora permanente do PPGCOM em Comunicação Audiovisual da Universidade Anhembi Morumbi. Pós-doutorado junto a ESPM/SP, sob a supervisão da Profa. Dra. Maria Aparecida Baccega. Pesquisadora da rede de pesquisadores Obitel Brasil/ Anhembi Morumbi. Lidera o Grupo de Pesquisa: Inovações e Rupturas na Ficção Televisiva Brasileira, da Universidade Anhembi Morumbi e integra o Grupo de Pesquisa: Comunicação, Educação e Consumo: as interfaces na teleficção do PPGCOM em Comunicação e Práticas de Consumo (ESPM). Autora da seção Resenha-Cinema da revista Comunicação&Educação da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA). Desenvolve pesquisas em Crítica de Cinema e de Telenovela. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Comunicação Audiovisual, Crítica, História da Cultura, atuando principalmente nos seguintes temas: crítica, cinema, televisão, cultura, mídia, história e identidade.

Referências

AMARAL, David G. A organização funcional da percepção e do movimento. In: KANDEL, Eric R. [et al.]. Princípios de neurociências. Tradução: Ana Lúcia Severo Rodrigues [et al.]. 5º. Ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

DAMÀSIO, António R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano; tradução de Dora Vicente, Georgina Segurado. 3º. ed. São Paulo: Companhia das letras, 2012.

GARDNER, Esther P.; JOHNSON, Kenneth O. Percepção. In: KANDEL, Eric R. [et al.] (2014). Princípios de neurociências. Tradução: Ana Lúcia Severo Rodrigues [et al.]. 5º. Ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

GILBERT, Charles D. A natureza construtiva do processamento visual. In: KANDEL, Eric R. [et al.]. Princípios de neurociências. Tradução: Ana Lúcia Severo Rodrigues [et al.]. 5º. Ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

HUYSSEN, Andreas. Passados presentes: mídia, política, amnésia. In: Seduzidos pela memória: arquiteturas, monumentos, mídia. Tradução de Sérgio Alcides. Rio de Janeiro:Aeroplano, 2000.

KOYAMA-RICHARD, Brigitte. L’animation japonaise des origines à nos jours ; Conférence 2012. Disponível em https://www.canal-u.tv/video/cinematheque_francaise/l_animation_japonaise_des_origines_a_nos_jours_conference_de_brigitte_koyama_richard.10159. Acesso em 15 dez 2019.

LECHENAUT, Emilie. Le Manga: um dispositif communicationnel. Université Michel de Montaigne Bordeaux 3. Ècole Doctorale Montaigne Humanités (ED 480), 2013.

LUCENA JÚNIOR, Alberto. A arte da Animação: Técnicas e Estética através da história. São Paulo: Senac, 2001.

MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. São Paulo: Editora Senac, 2000.

MACHADO, Arlindo. Pré-cinemas e Pós-cinemas. 4º Ed. Campinas, SP: Papirus, 2007.

MEISTER, Markus; TESSIER-LAVIGNE, Marc. Processamento visual de nível inferior: a retina. In: KANDEL, Eric R. [et al.] (2014). Princípios de neurociências. Tradução: Ana Lúcia Severo Rodrigues [et al.]. 5º. Ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

MONTE, Sandra. A presença do Animê na TV brasileira.São Paulo: Editora Laços, 2010.

MORIN, Edgard. O cinema ou o homem imaginário: ensaios de antropologia sociológica. Tradução de Luciano Loprete. São Paulo: Editora É Realizações, 2014.

MORIN, Edgard. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 7º ed. Rio de Janeiro: Berttrand Brasil, 2002.

MORIN, Edgard. Da necessidade de um pensamento complexo. IN MARTINS, Francisco Menezes; SILVA, Juremir Machado (Orgs). Para navegar no século XXI: Tecnologias do imaginário e cibercultura. 3ºEd. Porto Alegre: Sulina/Edipucrs, 2003.

MORIN, Edgard. Por uma reforma do pensamento. In PENA-VEGA: ALMEIDA, Elimar Pinheiro (Orgs). O pensar complexo: Edgard Morin e a crise da modernidade. Rio de Janeiro: Garamond, 1999.

MORIN, Edgard. Cultura de massas no século XX: O espírito do tempo-1. Neurose. Tradução de Maura Ribeiro Sardinha. 9º. ed. Rio de Janeiro: Forense universitária, 1997.

Naruto Shippuden. Masashi Kishimoto. Japão: Episódios disponíveis em <http://konohastreaming.eklablog.com/naruto-vf-liste-des-episodes-a177559756>. Acesso em 30/07/2020

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. Petrópolis: Vozes, 1987.

OTERO, Luis Miguel Martínez. Las Bases neurobiológicas de la percepción artística. In: ABRAHAM, Anna [Et al.]. Creatividad y neurociencia cognitiva. Madrid, España. Fundación Tomás Pascual y Pilar Gómez-Cuétara/ Instituto Tomás Pascual Sanz, 2012.

PRADO, Laryssa Moreira; TRINTA, Aluizio R. Pensando a animação: meio é mensagem. São Paulo; Revista Movimento, nº10, p.38-59: mar, 2018.

RICŒUR, Paul. La mémoire, l’histoire, l’oubli. Editions Esprit ; 2006/3 (Mars/avril), p. 20-29.

RICŒUR, Paul. La mémoire, l’histoire, l’oubli. Série essais. Paris: Seuil, 2000.

ROCHA, Marleide de Moura. A arte da Animação Japonesa: em busca dos recursos gerativos de sentidos. Recursos estéticos/efeitos estésicos. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUCSP. Dissertação de mestrado, 2008.

SILVA, Priscila Kalinke da. Educação, cultura escolar e mediação: em estudo o anime Naruto. Maringá; Centro de ciências humanas, letras e artes da Universidade de Maringá. Dissertação de mestrado, 2012.

SILVA, André Luiz Souza. O Heroi na forma e no conteúdo: analise textual do mangá Dragon Ball e Dragon Ball Z. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, 2005.

TASSARA, Marcello. Prefácio. In: LUCENA JÚNIOR, Alberto. A arte da Animação: Técnicas e Estética através da história. São Paulo: Senac, 2001.

WECHSLER, Solange Muglia. Criatividade: descobrindo e encorajando. 3.ed. Campinas: livro, 2002.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

PEREIRA, I. dos S.; MAGNO, M. I. C. O desenho animado no papel, o grafismo do papel na animação: Naruto enquanto memórias e extensão poética na presentificação das técnicas e formas do desenho japonês. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 22, p. 332–363, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.25821. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/25821. Acesso em: 16 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta