Concepções de letramento para o ensino da língua portuguesa em tempos de uso de artefatos digitais

Autores

  • Márcia Aparecida Vergna Universidade Estácio de Sá

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2021.24366

Palavras-chave:

Letramento, Multiletramentos, Novos estudos do letramento , Novos letramentos

Resumo

Este artigo objetiva apresentar um estudo teórico acerca das principais concepções de letramento que embasam o ensino da Língua Portuguesa na contemporaneidade. Para isso, desenvolvemos uma pesquisa bibliográfica. Na atualidade, há, majoritariamente, três concepções teóricas acerca do letramento: Novos Estudos do Letramento, Pedagogia dos Multiletramentos e Novos letramentos, cujos principais representantes são Brian Street, Magda Soares e Ângela Kleiman, para Novos Estudos do Letramento; Bill Cope, Mary Kalantzis e Roxane Rojo, para Multiletramentos; e Colin Lankshear e Michele Knobel, para Novos Letramentos. Depreende-se, do estudo, que toda visão de letramento está atrelada a uma concepção de linguagem e a uma concepção de sociedade, e que a escola é a principal agência desse letramento, tendendo a desenvolver suas práticas de leitura e escrita a partir de um determinado posicionamento ideológico, estabelecido por valores, relações de poder e perspectivas que refletem o modelo de letramento escolhido para orientar a elaboração do currículo a ser implementado e todo o trabalho em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Aparecida Vergna, Universidade Estácio de Sá

Cursa Doutorado em Educação na Universidade Estácio de Sá, linha de pesquisa Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais, possui mestrado em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Regional, com graduação em Letras (Português e Inglês) e também em Pedagogia, e especialização em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. É professora efetiva das redes municipal e estadual de educação, atuando na EMEF Elza Roni Scarpati e na EEEM Emir de Macedo Gomes. Tem experiência na área de Letras, principalmente no desenvolvimento de projetos de leitura e escrita. Interessa-se por temáticas relacionadas ao desenvolvimento de projetos de leitura e escrita, leitura literária e políticas de avaliação externa.

Referências

BARRETO, Raquel Goulart. Objetos como sujeitos: o deslocamento radical. In: FERREIRA, Giselle Martins dos Santos; ROSADO, Luiz Alexandre da Silva; CARVALHO, Jaciara de Sá (Org.). Educação e Tecnologia: abordagens críticas. Rio de Janeiro: SESES/UNESA, 2017. p. 124–141. Disponível em: https://ticpe.files.wordpress.com/2017/04/ebook-ticpe-2017.pdf. Acesso em: 20 jun. 2018.

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem Online: textos e práticas digitais. Tradução: Milton Camargo Mota. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2015. 270 p. ISBN 9788579340888.

BRAGANÇA, Marcela Langa Lacerda; BALTAR, Marcos Antônio Rocha. Novos estudos de letramento: conceitos, implicações metodológicas e silenciamentos. Imagens da Educação, Universidade Estadual de Maringa, v. 6, n. 1, p. 3, abr. 2016. DOI: 10.4025/imagenseduc.v6i1.25321. Disponível em: https://doi.org/10.4025/imagenseduc.v6i1.25321. Acesso em: 19 set. 2020.

CAZDEN, Courtney et al. A Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. Harvard Educational Review, Harvard Education Publishing Group, v. 66, n. 1, p. 60–93, abr. 1996. Disponível em: https://doi.org/10.17763/haer.66.1.17370n67v22j160u.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. “Multiliteracies”: New Literacies, New Learning. Pedagogies: An

International Journal, Informa UK Limited, v. 4, n. 3, p. 164–195, ago. 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1080/15544800903076044.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 1989.

GRUPO DE NOVA LONDRES. pedagogy of multiliteracies: designing social futures. The Harvard educational review, v. 1, n. 66, p. 60–92, 1996.

KATO, Mary. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguistica. São Paulo: Ática, 1986.

KLEIMAN, Angela B. Letramento na contemporaneidade. Bakhtiniana, v. 9, n. 2, p. 72–91, 2014.

KLEIMAN, Angela B. Os significados do letramento. Campinas-SP: Mercado das Letras, 2003.

KNOBEL, Michele; LANKSHEAR, Colin. A New Literacies Sampler. New York: Peter Lang, 2007.

MAIA, Junot de Oliveira. Novos e híbridos letramentos em contexto de periferia. In: ROJO, Roxane (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. p. 59–71.

RAULIK, Viviane de Fátima Pettirossi. Práticas colaborativas de escrita em disciplina de língua inglesa de curso militar. 2016. Diss. (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

ROJO, Roxane (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos Multiletramentos. In: ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (Org.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 11–31.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos Multiletramentos: parte II. [Entrevista concedida a Cristiane Mori]. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IRFrh3z5T5w. Acesso em: 2 out. 2020.

SILVA, Themis Rondão Barbosa da Costa. Pedagogia dos multiletramentos: principais proposições metodológicas e pesquisas no âmbito nacional. Letras, Santa Maria, v. 26, n. 52, p. 11–23, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/letras/article/view/25319/14659. Acesso em: 22 set. 2020.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação & Sociedade, FapUNIFESP (SciELO), v. 23, n. 81, p. 143–160, dez. 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0101-73302002008100008.

STREET, Brian. Entrevista com Brian Street. Revista Língua Escrita, n. 7, p. 84–92, 2009. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/files/uploads/revista%20lingua%20escrita/LinguaEscrita_7.pdf. Acesso em: 21 set. 2020.

STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução: Marcos Bagno. São paulo: Parábola Editorial, 2014.

TERRA, Márcia Regina. Letramento & letramentos: uma perspectiva sociocultural dos usos da escrita. Delta: documentação de estudos em lingüística teórica e aplicada, v. 29, n. 1, p. 29–58, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/delta/v29n1/02.pdf. Acesso em: 19 set. 2020.

Downloads

Publicado

2020-11-07

Como Citar

VERGNA, M. A. . Concepções de letramento para o ensino da língua portuguesa em tempos de uso de artefatos digitais. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 14, n. 1, p. e24366, 2020. DOI: 10.35699/1983-3652.2021.24366. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/24366. Acesso em: 21 jun. 2021.

Edição

Seção

Linguística e Tecnologia